Entre os gramados e os trilhos: a história do Paulista Futebol Clube de Jundiaí

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i79p104-123

Palavras-chave:

Futebol, ferrovia, Paulista F.C.

Resumo

O presente artigo investiga a relação entre o Paulista Futebol Clube de Jundiaí e a Companhia Paulista de Estradas de Ferro nas duas primeiras décadas do século XX. A partir do cruzamento de fontes documentais do Clube com o Banco de Dados Ferrovia, Cidade e Trabalhadores, a conquista do Oeste (1850-1920), revela-se o perfil dos ferroviários participantes da agremiação futebolística, trazendo à tona a dimensão paternalista das relações entre a equipe de futebol e a ferrovia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Grandi, Universidade de São Paulo

Guilherme Grandi é professor do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP).

Marcelo Roubicek, Universidade de São Paulo

Marcelo Roubicek é economista formado pela Faculdade de da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade  da Universidade de São Paulo (FEA/USP) e jornalista do Nexo Jornal.

Referências

ALMEIDA, Marco Antonio Bettine de; GUTIERREZ, Gustavo Luis; FERREIRA, Ricardo Pellison. Futebol e ferrovia: a história de um trem da industrialização que parte para o noroeste paulista. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 24, n. 2, 2010, p. 249-258.

BUCHMANN, Ernani. Quando o futebol andava de trem: memória dos times ferroviários do Brasil. 2. ed. Curitiba: Editora Sesquicentenário, 2004.

COSTA, Wilma Peres. Ferrovia e trabalho assalariado em São Paulo. 170 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 1976.

FERREIRA, Lania Stefanoni. Racismo na “família ferroviária”: brancos e negros na Companhia Paulista em São Carlos. 113 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais). Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, 2004.

GOTTARDO, Ivan Henrique. 1968: o ano que o galo cantou. Campinas: Pontes Editores, 2018.

GRANDI, Guilherme. Café e expansão ferroviária: a Companhia E.F. Rio Claro (1880-1903). São Paulo: Annablume, 2007.

INOUE, Luciana; GRANDI, Guilherme. A reinvenção do paternalismo: a Companhia Paulista de Estradas de Ferro entre as décadas de 1920 e 1940. América Latina en la Historia Económica, v. 28, n. 1, 2021, p. 1-23.

LANNA, Ana Lucia Duarte. Ferrovia, cidade e trabalhadores. A conquista do Oeste (1850-1920). [S.l: s.n.], 2000.

LANNA, Ana Lúcia Duarte. Trabalhadores das ferrovias: a Companhia Paulista de Estrada de Ferro, São Paulo, 1870-1920. Varia Historia, v. 32, n. 59, 2016, p. 505-545.

LIVRO de Ofícios do Paulista Foot Ball Club – 5 jan. 1915 a 13 fev. 1919 (Centro de Memória de Jundiaí).

LIVRO de Ofícios do Paulista Foot Ball Club –19 jan. 1921 a abr. 1922 (Centro de Memória de Jundiaí).

LUCATO, Claudio. Jundiahy Foot Ball Club ou Paulista F.C. Jundiaí: Literarte, 2002.

MINA, Renan Vidal. A bola e os trilhos: a incorporação do futebol em Rio Claro e o desenvolvimento do Rio Claro Futebol Clube. 179 f. Dissertação (Mestrado em Ciências). Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, 2017.

NORTH, Douglass. Understanding the process of economic change. Princeton, NJ: Princeton University Press, 2005.

O ESTADO de S. Paulo, 23 de junho de 1903.

PAULISTA FUTEBOL CLUBE. Galeria. Disponível em: http://paulistafutebol.com.br/o-clube. Acesso em: 15 jun. 2018.

PINTO, Rodrigo. Do passeio público à ferrovia: o futebol proletário em Fortaleza. 156 f. Dissertação (Mestrado em História). Centro de Humanidades. Universidade Federal do Ceará, 2007.

RIBEIRO, Suzana Lopes Salgado; BONI, Marcela. Pontes da memória: história da nossa gente. São Paulo: Prefeitura de Jundiaí/Museu Histórico e Cultural de Jundiaí, 2013.

RIO CLARO FC. Rio Claro Futebol Clube. Galo Azul, o Azulão. Disponível em: https://www.rioclarofc.com.br. Acesso em: 15 jun. 2019.

SANTOS, João Manuel. Revolução vascaína: a profissionalização do futebol e a inserção socioeconômica de negros e portugueses na cidade do Rio de Janeiro (1915-1934). 501 f. Tese (Doutorado em História Econômica). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2010.

SEGNINI, Liliane. Ferrovias e ferroviários: uma contribuição para a análise do poder disciplinar na empresa. São Paulo: Cortez, 1982.

TEIXEIRA, Déa. A estrutura de poder, o paternalismo e o papel da assessoria técnica gerencial na pequena empresa industrial. Revista de Administração de Empresas, v. 24, n. 2, 1984, p. 13-17.

ZAMBELLO, Mario Henrique. Ferrovia e memória: estudo sobre o trabalho e a categoria dos antigos ferroviários da Vila Industrial de Campinas. 368 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2005.

Downloads

Publicado

2021-09-01

Como Citar

Grandi, G., & Roubicek, M. (2021). Entre os gramados e os trilhos: a história do Paulista Futebol Clube de Jundiaí. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(79), 104-123. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i79p104-123

Edição

Seção

Artigos