Contos baldios

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i80p187-194

Palavras-chave:

Márcio Marciano, Contos, Literatura brasileira contemporânea

Resumo

A seção Criação tem por objetivo publicar textos e materiais inéditos de escritores e/ou artistas, fotógrafos, desenhistas, além de documentos inéditos encontrados no Arquivo do IEB-USP. Neste número, são publicados três Contos baldios, de Márcio Marciano. Dramaturgo e encenador, Marciano fundou a Companhia do Latão, em São Paulo, e o Coletivo de Teatro Alfenim, em João Pessoa. Atualmente é consultor da Academia Paraibana de Cinema. Nas palavras do crítico José Antonio Pasta (2017, p. 22), seu trabalho artístico “tem o vezo de procurar resolver os problemas, não ao aliviá-los, obviando o que neles é obstáculo, mas, ao contrário, incrementando a sua dificuldade, extremando-a, até que ela passe no seu outro”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio Marciano, Academia Paraibana de Cinema

Márcio Marciano é dramaturgo e encenador. Fundou a Companhia do Latão (São Paulo/SP) e o Coletivo de Teatro Alfenim (João Pessoa/PB). É coautor do livro Companhia do Latão 7 peças, lançado em 2008 pela editora Cosac Naify. Atuou como crítico teatral da revista Bravo! de 2002 a 2004. Com o Coletivo de Teatro Alfenim, escreveu Quebra-Quilos (2007), Milagre Brasileiro (2010), Histórias de Sem Réis (2010), O Deus da Fortuna (2011), Brevidades (2012), Memórias de um Cão (2015), Helenas (2017) e Desertores (2019). Atualmente é consultor da Academia Paraibana de Cinema, trabalhando na criação de roteiros audiovisuais para fins de difusão em mídias sociais.

Referências

CARVALHO, Sérgio de (Org.). Introdução ao teatro dialético: experimentos da Companhia do Latão. São Paulo : Expressão Popular/ Companhia do Latão, 2009.

COSTA, Iná Camargo. “O nome do jogo”. In: CARVALHO, Sérgio de; MARCIANO, Márcio. Companhia do Latão 7 peças. São Paulo: Cosac Naify, 2008, p. 15-29.

EFREM FILHO, Roberto. “Lâminas de Corte: sobre três estratégias para o encontro com o ‘humano’”. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. São Paulo, n. 60, 2015, p. 152-170. Disponível em: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i60p152-170. Acesso em: 15 out. 2021.

FERRAZ JÚNIOR, Expedito. “Memórias de um cão: o humanitismo de Machado de Assis transposto para a linguagem dramática”. Machado Assis em linha. São Paulo, n. 19, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-682120169196. Acesso em: 15 out. 2021.

FERREIRA, Mayra de Brito. Sonoridades da cena: a expressão musical no teatro épico do Coletivo de Teatro Alfenim (PB). 147 f. Dissertação (Mestrado em Música). Centro de Comunicação, Turismo e Artes Universidade Federal da Paraíba, 2018.

MATSUNAGA, Priscila Saemi. Trabalho do Latão. 228 f. Tese (Doutorado em Literatura comparada). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2013.

PASTA, José Antonio. “Dialética do Alfenim – nota crítica e teórica”. In: CABRAL, Adriano; MARCIANO Márcio; COELHO, Paula. Memórias de um cão: caderno de Apontamentos. João Pessoa: Coletivo de Teatro Alfenim, 2017, p. 21-29.

Downloads

Publicado

2021-12-13

Como Citar

Marciano, M. (2021). Contos baldios. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(80), 187-194. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i80p187-194

Edição

Seção

Criação