Os carbonários, 40 anos, de Alfredo Sirkis (1950-2020): testemunho e sobrevivência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i81p98-114

Palavras-chave:

Alfredo Sirkis, Ditadura brasileira, Testemunho

Resumo

Estudo da narrativa de Os carbonários, de Alfredo Sirkis (1950-2020), partindo da análise do paratexto das várias edições do livro, apontando eventuais contradições, explicitando e  detalhando a construção do personagem-narrador, o próprio Sirkis, que ostenta bem delineadas características de testemunha e de sobrevivente. Para tanto, arregimenta os conceitos de sobrevivente (Agamben, 2008) e de testemunho (Agamben, 2008; Ricoeur, 2007; Sarlo, 2007).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Silva Pereira, Universidade Federal da Grande Dourados. Faculdade de Comunicação, Artes e Letras

Professor associado da Faculdade de Comunicação, Artes e Letras da Universidade Federal da Grande Dourados (FACALE/UFGD).

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. Trad. Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2008.

BETTO, Frei. Batismo de sangue: os dominicanos e a morte de Carlos Marighella. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.

CURY, Maria Zilda Ferreira; PEREIRA, Rogério Silva. O que é isso, companheiro? 40 anos: entre a autobiografia, o testemunho, a entrevista e a confissão. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB), n. 73, 2019, p. 210-227.

GABEIRA, Fernando. O que é isso, companheiro? Rio de Janeiro: Codecri, 1979.

GUARANY, Reinaldo. A fuga. Cantadas Literárias, n. 18. São Paulo: Brasiliense, 1984.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à Internet. Trad. Jovita Maria Gerheim Noronha, Maria Inês Coimbra Guedes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

PEREIRA, Rogério Silva. Fronteiras da literatura brasileira contemporânea: mistura de gêneros em Batismo de Sangue de Frei Betto. Remate de Males, v. 30, n. 2, jul./dez. 2010, p. 335-350.

RICOEUR, Paul. O testemunho. In: RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Trad. Alain François et al. Campinas: Editora da Unicamp, 2007, p. 170-175.

SARLO, Beatriz. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. Trad. Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras; Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

SILVA, Mario Augusto Medeiros da. Prelúdios & noturnos: ficções, revisões e trajetórias de um projeto político. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.

SIRKIS, Alfredo. Os carbonários: memórias da guerrilha perdida. 1. ed. e-book. Rio de Janeiro: TIX, 2014.

SIRKIS, Alfredo. Os carbonários: memórias da guerrilha perdida. Rio de Janeiro: Record, 1998.

SIRKIS, Alfredo. Os carbonários: memórias da guerrilha perdida. Rio de Janeiro: Ubook Editora, 2020.

SIRKIS, Alfredo. Os carbonários. Rio de Janeiro: Bestbolso, 2014.

SIRKIS, Alfredo. Os Carbonários: memórias da guerrilha perdida. 5. ed. São Paulo: Global Editora, 1981.

TAPAJÓS, Renato. Em câmara lenta. São Paulo: Alfa-Omega, 1977.

Downloads

Publicado

2022-04-29

Como Citar

Pereira, R. S. (2022). Os carbonários, 40 anos, de Alfredo Sirkis (1950-2020): testemunho e sobrevivência. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(81), 98-114. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i81p98-114

Edição

Seção

Artigos