O viaduto que não caiu: a cidade como perda em Adoniran Barbosa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i81p115-140

Palavras-chave:

Adoniran Barbosa, Samba, Música popular

Resumo

A aparente ausência de sentido existente entre o embelezamento do Viaduto Santa Ifigênia e a tristeza desdobrada na canção de Adoniran Barbosa é o ponto de partida e de chegada deste artigo. O estudo da materialidade poético-musical dessa canção, que tematiza a possibilidade não concretizada de demolição de uma construção histórica, amparado em análises histórico-sociais sobre a formação e o desenvolvimento de São Paulo, norteiam nossa tentativa de interpretação do conjunto da obra do sambista paulista em torno do esforço por tornar visível aperda como núcleo da experiência de quem habita a cidade .

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel S. S. Lima Rezende, Universidade Federal da Integração Latino-Americana

Professor do curso de Música da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) e orientador do Programa de Pós-Graduação em Culturas e Identidades Brasileiras do IEB-USP.

Rogério Machado Braga, Rede Estadual de Ensino de São Paulo

Professor da rede estadual de ensino de São Paulo. Bacharel em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e em História pela Universidade de São Paulo. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Culturas e Identidades Brasileiras do IEB-USP.

Referências

ADAMOWSKI, Fernanda. Adoniran Barbosa entre malocas edifícios: uma proposta de análise de Viaduto Santa Efigênia (1978). 119 f. Dissertação (Mestrado em Música) - Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná, 2013. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/58742. Acesso em: 3 jan. 2022.

ALMEIDA LEITE, Sylvia Helena Telarolli de. Chapéus de palha, panamás, plumas, cartolas: a caricatura na literatura paulista, 1900-1920. São Paulo: Editora Unesp, 1996. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/up000008.pdf. Acesso em: 3 jan. 2022.

BESSA, Virginia de Almeida. A cena musical paulistana: teatro musicado e canção popular na cidade de São Paulo (1914-1934). 358 f. Tese (Doutorado em História) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2012. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-07122012-104254/pt-br.php. Acesso em: 3 jan. 2022.

CAMPOS Júnior, Celso de. Adoniran: uma biografia. São Paulo: Globo, 2004.

FERNANDES, Dmitri Cerboncini. A Inteligência da Música Popular: a ‘autenticidade’ no samba e no choro. 414 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2010. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8132/tde-15092010-171819/pt-br.php. Acesso em: 3 jan. 2022.

FREUD, Sigmund. Luto e Melancolia. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

JORGE, Athayde Clovis de. Santa Ifigênia. História dos bairros de São Paulo, 23. São Paulo: Departamento do Patrimônio Histórico, 1999.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Tristes trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2021.

MOTTA SOBRINHO, Alves. A civilização do café (1820-1920). São Paulo: Brasiliense, 1978. • n. 81 140 • abr. 2022 (p.115-140)

MOURA, Flávio; NIGRI, André. Adoniran: se o senhor não tá lembrado. São Paulo: Boitempo, 2002.

MUGNAINI Jr., Ayrton. Adoniran: dá licença de contar. 2 ed. São Paulo: Editora 34, 2013.

OLIVA, Jaime Tadeu; FONSECA, Fernanda Padovesi. O “modelo São Paulo”: uma descompactação antiurbanidade na gênese da metrópole. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 65, p. 20-56, 2016.

Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i65p20-56. Acesso em: 3 jan. 2022.

OLIVEIRA, Rodrigo Bartholomeu Romano da Silva. Os três viadutos do Vale do Anhangabaú: aspectos históricos, construtivos e estruturais. 207 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia). Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, 2011. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3144/tde-09082011-152807/pt-br.php. Acesso em: 3 jan. 2022.

ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira. Cultura Brasileira e Indústria Cultural. 2. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.

SALIBA, Elias Thomé. Raízes do riso: a representação humorística na história brasileira: da Belle Époque aos primeiros tempos do rádio. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

SANTOS, Milton. Metrópole Corporativa Fragmentada. 2. ed. São Paulo: Edusp, 2009.

SEVCENKO, Nicolau. A cidade matástasis e o urbanismo inflacionário: incursões na entropia paulista. Revista USP, n. 63, p. 16-35, set./nov. 2004. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i63p16-35. Acesso em: 3 jan. 2022.

SILVA, Marcos Virgílio da. São Paulo 1946-1957: Representações da cidade na música popular. São Paulo: Biblioteca 24 horas, 2010.

SILVA, Marcus Vinícius da. Adoniran Barbosa: nem trabalho, nem malandragem. 216 f. Dissertação (Mestrado em Teoria e História Literária) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, 2012.

Downloads

Publicado

2022-04-29

Como Citar

Rezende, G. S. S. L., & Braga, R. M. (2022). O viaduto que não caiu: a cidade como perda em Adoniran Barbosa. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(81), 115-140. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i81p115-140

Edição

Seção

Artigos