A infância na universidade pelo Departamento de Estudos da Infância

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i82p216-235

Palavras-chave:

Infância, universidade, Departamento de Estudos da Infância, políticas públicas

Resumo

Este texto apresenta o Departamento de Estudos da Infância (Dedi), vinculado à Faculdade de Educação (EDU) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Criado em 2005, o Dedi é o único departamento universitário, no Brasil, estruturado a partir do campo dos Estudos da Infância, e, por essa razão, oferece uma perspectiva para problematizar os lugares da infância nessa instituição de ensino superior, isto é, se o tema da infância historicamente já se fazia presente no tripé ensino-pesquisa-extensão, sua criação deslocou tal temática também para o campo da gestão universitária, dado que a infância torna-se um eixo para as políticas internas da instituição. Que concepções de infância se colocam em pauta quando uma universidade pública propõe um departamento com essa especificidade? Que diálogos esse lugar institucional tece com as epistemologias e as políticas de educação, cultura e de reconhecimento de direitos para as crianças? O texto apresenta um histórico da construção e das transformações institucionais desse departamento trazidas em diálogo com a legislação e reformas  curriculares que aconteceram ao longo de sua existência e com conhecimento teórico produzido acerca da infância nos diferentes campos da cultura, ciência, educação e das políticas públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aristeo Gonçalves Leite Filho, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutor em Ciências Humanas da Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Professor adjunto da Faculdade de Educação do Departamento de Estudos da Infância da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Lisandra Ogg Gomes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo. Professora Associada da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Procientista Uerj. Coordenadora das pesquisas: MCTIC/CNPq/2018 e Capes-Print/2022 (Código de Financiamento 001) e do Grupo de Pesquisa Território dos Estudos da Infância.

Rita Marisa Ribes Pereira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Licenciada em filosofia pela Universidade Federal de Pelotas e doutora em Ciências da Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Professora titular da Faculdade de Educação do Departamento de Estudos da Infância da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Infância e Cultura Contemporânea. Procientista Uerj, Cientista do Nosso Estado Faperj e Bolsista Produtividade CNPq. Coautora dos livros “Infância em Pesquisa” e “Infância Crônica”, pela editora NAU.

Referências

ALANEN, Leena. Gender and generation: feminism and the “child question”. In: QVORTRUP, Jens; BARDY, Marjatta; SGRITTA, Giovanni B; WINTERSBERGER, Helmut. (Eds.). Childhood Matters. Social theory, practice and politics. Alershot: Avebury, 1994.

ALANEN, Leena. Estudos feministas/estudos da infância: paralelos, ligações e perspectivas. In: CASTRO, Lucia Rabello. (Org.). Crianças e jovens na construção da cultura. Rio de Janeiro: NAU, 2001, p. 19-46.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; DELGADO, Ana Cristina Coll; TOMÁS, Catarina Almeida. Estudos da infância, estudos da criança: quais campos? Quais teorias? Quais questões? Quais métodos? Inter-Ação, v. 41, n. 1, 2016, p. 103-122. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/interacao/article/view/36055/20952. Acesso em: 22 maio 2022.

BAZÍLIO, Luiz Cavalieri. O Estatuto da Criança e do Adolescente está em risco? Os conselhos tutelares e as medidas socioeducativas. In: BAZÍLIO, Luiz Cavalieri; KRAMER, Sônia. (Orgs.). Infância, educação e direitos humanos. São Paulo: Cortez, 2003, p. 35-58.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Diário Oficial da União, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 15 set. 2021.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei Nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília: Diário Oficial da União, 1990a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 15 set. 2021.

BRASIL. Casa Civil. Subchefia de Assuntos Jurídicos. Convenção sobre os Direitos da Criança. Brasília: Diário Oficial da União, 1990b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1990-1994/d99710.htm. Acesso em: 15 set. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Política Nacional de Educação Infantil: pelo direito das crianças de zero a seis anos à Educação. Brasília: Ministério da Educação, 1994a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pol_inf_eduinf.pdf. Acesso em: 15 set. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Por uma política de formação do profissional de Educação Infantil. Brasília: Ministério da Educação, 1994b. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me002343.pdf. Acesso em: 15 set. 2021.

BRASIL. Casa Civil. Subchefia de Assuntos Jurídicos. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Diário Oficial da União, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 15 set. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. v. I. Brasília: Ministério da Educação, 1998a.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. v. II. Brasília: Ministério da Educação, 1998b.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. v. III. Brasília: Ministério da Educação, 1998c.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução Nº 01/99. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Câmara de Educação Básica. Brasília: MEC, 1999. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=159281-rceb001-99-1&-category_slug=outubro-2020-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 15 set. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Resolução Nº 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: Ministério da Educação, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb005_09.pdf. Acesso em: 15 set. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação Conselho Pleno. Resolução Nº 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura)

e para a formação continuada. Brasília: Ministério da Educação, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em: 15 set. 2021.

CERISARA, Ana Beatriz. A produção acadêmica na área da educação infantil a partir da análise de pareceres sobre o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil: primeiras aproximações. In: FARIA, Ana Lúcia Goulart de; PALHARES, Marina Silveira. (Orgs.). Educação Infantil pós-LDB: rumos e desafios. Campinas: Autores Associados/FE/UNICAMP; São Carlos: Editora da UFSCar; Florianópolis: Editora da UFSC, 1999, p. 19-50.

CHAUÍ, M. Universidade pública sob nova perspectiva. Revista Brasileira de Educação (Rio de Janeiro), n. 24, 2003, p. 5-15. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/n5nc4mHY9N9vQpn4tM5hXzj/?-format=pdf&lang=pt. Acesso em: 9 ago. 2021.

FRANGELLA, Rita De Cássia Prazeres. Na procura de um curso: currículo-formação de professores – Educação Infantil Identidade(s) em (des)construção. Tese (Doutorado em Educação). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: https://curriculo-uerj.pro.br/wp-content/uploads/na-procura-de-um-curso-curriculo-formacao-de-professores-educacao-infantil-identidade-em-desconstrucao.pdf. Acesso em: 7 maio. 2022.

FRANGELLA, Rita De Cássia Prazeres. Política curricular em contexto de mudança e suas tensões, conflitos e conexões: discurso da/na Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro. In: XI Congresso Nacional de Educação. 2013. II Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividades e Educação – SIRSSE. IV Seminário Internacional sobre Profissionalização Docente – SIPD/Cátedra Unesco. Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Anais... Curitiba, 23-29 de setembro de 2013..

FREIRE, Paulo. Política e educação: ensaios. São Paulo: Cortez, 2001.

GABARRÓN, Luis Rodríguez. Infância e investigación participativa. TRAMAS. Subjetividad Y Procesos Sociales, n. 26, 2007, p. 189-209. Disponível em: https://tramas.xoc.uam.mx/index.php/tramas/article/view/454. Acesso em: 18 set. 2021.

KRAMER, Sonia. A ideia de infância na pedagogia contemporânea. Revista de Educação AEC (Brasília), v. 30, 1978, p. 12-34.

LEITE FILHO, Aristeo; GARCIA, Regina Leite. Em defesa da educação infantil. Rio de Janeiro: Dp&a, 2001.

MAYALL, B. Sociologies de l’enfance. In: BROUGÈRE, Gilles; VANDENBROECK, M. (Orgs.). Repenser l’education des jeunes enfantes. Bruxelles: P.I.E Peter Lang, 2007, p. 77-102.

NASCIMENTO, Maria Letícia. Estudo da infância e desafios da pesquisa: estranhamento e interdependência, complexidade e interdisciplinaridade. Childhood & Philosophy (Rio de Janeiro), v. 14, n. 29, 2018, p. 11-25. Disponível em: 10.12957/childphilo.2018.30537. Acesso em: 7 maio. 2022.

PEREIRA, Rita Ribes; GOMES, Lisandra Ogg; SILVA, Conceição Firmina Seixas. A infância no fio da navalha: construção teórica como agir ético. ETD – Educação Temática Digital (Campinas), v. 20, n. 3, 2018, p. 761-780. Disponível em: 10.20396/etd.v20i3.8649227. Acesso em: 9 ago. 2021.

QVORTRUP, Jens. Sociology of childhood: conceptual liberation of children. In: MOURITSEN, Flemming; QVORTRUP, Jens. (Eds.). Childhood and children culture. Odense: Odense University Press, 2002, p. 43-78.

ROSEMBERG, Fúlvia. Educação: para quem? Revista Ciência e Cultura, v. 28, n. 12, 1976, p. 1466-1471.

SGRITTA, Giovanni Battista. Infanzia. In: Enciclopedia delle Scienze Social. V IV. Roma: Istituto della Enciclopedia Italiana, 1994. p. 679-690.

SGRITTA, Giovanni Battista. La condizioni dell’infanzia: teoria, politiche, rappresentazioni sociali. Milano: Franco Angeli, 1988.

SGRITTA, Giovanni Battista; SAPORITTI, Angelo. Childhood as a social phenomenon. Implication for future social policy. International comparative research project. National research council, Italy, Country report 13, 1989, p. 1-51.

UERJ – Universidade do Estado do rio de Janeiro. Resolução Nº 546/1988. Disciplina em caráter provisório os Departamentos e Conselhos Departamentais. UERJ, 1988. Disponível em: http://www.boluerj.uerj.br/pdf/re_05461988_01111988.pdf. Acesso em: 19 set. 2021.

UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Deliberação Nº 022/1991. Regula o Currículo Pleno do Curso de Pedagogia e a Estrutura Departamental da Faculdade de Educação. UERJ, 1991. Disponível em: http://www.boluerj.uerj.br/pdf/de_00221991_24101991.pdf. Acesso em: 19 set. 2021.

UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Deliberação Nº 012/2003. Cria o Curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da UERJ. UERJ, 2003. Disponível em: http://www.boluerj.uerj.br/pdf/de_00122003_20052003.pdf. Acesso em: 19 set. 2021.

UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Deliberação Nº 015/2005. Modifica a Estrutura Departamental da Faculdade de Educação e cria Disciplinas nos novos Departamentos. UERJ, 2005. Disponível em: http://www.boluerj.uerj.br/pdf/de_00152005_14072005.pdf. Acesso em: 19 set. 2021.

UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Deliberação Nº 034/2011. Altera a Estrutura Departamental da Faculdade de Educação. UERJ, 2011. Disponível em: http://www.boluerj.uerj.br/pdf/de_00342011_30082011.pdf. Acesso em: 19 set. 2021.

UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Extensão na UERJ. UERJ, 2022. Disponível em: https://www.uerj.br/extensao/extensao-na-uerj/. Acesso em: 7 maio 2022.

Downloads

Publicado

2022-08-23

Como Citar

Leite Filho, A. G., Gomes, L. O., & Pereira, R. M. R. . (2022). A infância na universidade pelo Departamento de Estudos da Infância. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(82), 216-235. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i82p216-235

Edição

Seção

Artigos