Nas matas com pose de reis: a representação de bandeirantes e a tradição da retratística monárquica européia

  • Paulo César Garcez Marins USP; Museu Paulista
Palavras-chave: pintura histórica, retrato, bandeirantes, Hyacinthe Rigaud, Benedito Calixto, Henrique Bernardelli.

Resumo

Este artigo dedica-se ao estudo da adoção e difusão de uma convenção pictórica - a pose monárquica consagrada em retratos de Hyacinthe Rigaud - em pinturas e esculturas do acervo do Museu Paulista que representam bandeirantes. Estas obras de arte, exemplos do chamado "gênero histórico", ingressaram no acervo do museu entre 1903 e 1922, período em que a instituição passou a acolher artefatos voltados à evocação e celebração do passado paulista como eixo condutor da história brasileira. As pinturas e esculturas serão compreendidas como parte dessa interpretação histórica, na medida em que constituíram uma solução visual capaz de dignificar e exaltar personagens do período sertanista, mediante uma forma de representação do corpo que demonstrava poder e solenidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-02-01
Como Citar
Marins, P. (2007). Nas matas com pose de reis: a representação de bandeirantes e a tradição da retratística monárquica européia . Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, (44), 77-104. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i44p77-104
Seção
Artigos