Liberdade, humanidade e propriedade: os escravos e a Assembléia Constituinte de 1823

Autores

  • Jaime Rodrigues Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i39p159-167

Palavras-chave:

Escravidão-parlamento, Escravidão-Assembléia Constituinte, Escravos-senhores paralamentares, Escravidão-liberdade, Escravidão-direto de propriedade

Resumo

Este ensaio aborda as questões acerca da liberdade dos escravos através da discussão de um caso particular, na Assembléia Constituinte brasileira de 1823. Através da solicitação de um grupo de escravos, podemos avaliar suas estratégias no âmbito da discussão parlamentar, bem como o papel de senhores e parlamentares, no início do século XXI. Temos aqui algumas evidências de que, além do confronto cotidiano direto entre senhores e escravos e do confronto na arena judicial, o parlamento também foi visto pelos escravos como um campo de luta no interior da escravidão brasileira no século XIX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1995-12-31

Como Citar

Rodrigues, J. (1995). Liberdade, humanidade e propriedade: os escravos e a Assembléia Constituinte de 1823. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, (39), 159-167. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i39p159-167

Edição

Seção

Artigos