[1]
M. R. B. Bettiol, “Mário de Andrade e a especificidade do gênero epistolar: o esboço de uma teoria”, Rev. Inst. Estud. Bras., nº 65, p. 227-236, dez. 2016.