[1]
R. M. Ramassote, “ Antonio Candido em Assis e depois ”, Rev. Inst. Estud. Bras., nº 50, p. 103-128, mar. 2010.