O Método Cartográfico no projeto da Arquitetura da Paisagem

Palavras-chave: Paisagem, Cartografia, Projeto

Resumo

O artigo apresenta uma reflexão teórica acerca do Método Cartográfico como estratégia para o processo de leitura da cidade e projeto em Arquitetura da Paisagem. Discorre sobre a relação histórica entre Cartografia e Paisagem, explicitando articulações entre Ciência e Arte e partindo da ideia de Cartografia como representação do mundo até sua concepção como estratégia metodológica. A descrição desse percurso busca criticar métodos de desenvolvimento de projeto estritamente pragmáticos que definem suas ações segundo uma visão de sobrevoo, pouco relacionada às especificidades do lugar. Procura-se descrever como a Cartografia, enquanto processo, apresenta o potencial de abarcar as complexidades e polissemias da ideia de Paisagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Bongiovanni Martins Schenk, Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo

Arquiteta e Urbanista graduada pela FAU-USP, mestre em Arquitetura e Urbanismo pela FAU-USP e doutora pelo IAU-USP, docente no Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP.

Maria Cecília Pedro Bom de Lima, Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo

Arquiteta e Urbanista formada pelo IAU-USP, mestranda no Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo do IAU-USP.

Referências

ALIATA, F; SILVESTRI, G. A paisagem como cifra de harmonia: relações entre cultura e natureza através do olhar paisagístico. Curitiba: Editora UFPR, 2008.

ALVAREZ, Johnny; PASSOS, Eduardo. Cartografar é habitar um território existencial. In PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da. (Org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015.

BARTALINI, Vladimir (Org.). Paisagem Textos 1. São Paulo: FAUUSP, 2013.

BERQUE, Augustin. Paysage, milieu, histoire. In BERQUE, A. (Org.) Cinq propositions pour une théorie du paysage. Mayenne: Champ Vallon, 1994.

BESSE, Jean-Marc. O gosto do mundo: exercícios de paisagem. Rio de Janeiro: Eduerj, 2014.

BESSE, Jean-Marc. Ver a terra: seis ensaios sobre a paisagem e a geografia. São Paulo: Perspectiva, 2006.

CERTEAU. Michel de (1980). A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Editora Vozes, 2007.

COSGROVE, Denis. Introduction: mapping meaning. In COSGROVE, Denis (Org.). Mappings. London: Reaktion Books, 1999.

DARDEL, Eric (1952). O homem e a terra: natureza da realidade geográfica. São Paulo: Perspectiva, 2011.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix (1980). Mil Platôs - vol. 1. São Paulo: Editora 34, 1995.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Cascas. São Paulo: Editora 34, 2017.

HERZOG, Cecília Polacow; ROSA, Lourdes Zunino. Infraestrutura Verde: Sustentabilidade e resiliência para a paisagem urbana. Revista LABVERDE, São Paulo, n. 1, p. 92-115, set. 2010. ISSN 2179-2275. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/revistalabverde/article/view/61281/64217>. Acesso em: 14 ago. 2017. doi:http://dx.doi.org/10.11606/issn.2179-2275.v0i1p92-115.

HOUGH, Michael. Naturaleza y ciudad. Barcelona: GG, 1998.

JACQUES, P. B.; BRITTO, F.D.; DRUMMOND, W. (Org.). Experiências Metodológicas para compreensão da complexidade da cidade contemporânea. Salvador: EDUFBA, 2015.

JACQUES, Paola B. Errâncias urbanas: a arte de andar pela cidade. Arqtexto, Porto Alegre, n. 7, p. 16 - 25, 2005.

KASTRUP, Virgínia. O funcionamento da atenção no trabalho do cartógrafo. In PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da. (Org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015.

LASSUS, Bernard. L'obligation de l'invention: du paysage aux ambiances successives. In BERQUE, A. (Org.) Cinq propositions pour une théorie du paysage. Mayenne: Champ Vallon, 1994.

MADERUELO, Javier. Maneras de ver el mundo: de la cartografía al paisaje. In MADERUELO, Javier (Org.). Paisaje y territorio. Madrid: Abada, 2008.

MCHARG, Ian (1969). Design with Nature. Jonh Wiley & Sons Inc., 1992.

MERLEAU-PONTY, Maurice (1945). Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

MERLEAU-PONTY, Maurice (1961). O olho e o espírito. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

NOGUÉ, Joan. Al margen: los paisajes que no vemos. In MADERUELO, Javier (Org.). Paisaje y territorio. Madrid: Abada, 2008.

PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da. (Org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015

ROGER, Alain. Breve tratado del paisaje. Madrid: Biblioteca Nueva, 2007.

SCAFI, Alessandro. Mapping Eden: cartographies of the earthly paradise. In COSGROVE, Denis (Org.). Mappings. London: Reaktion Books, 1999.

SCHENK, Luciana. B. M. Arquitetura da paisagem: entre o Pinturesco, Olmsted e o Moderno. Tese de Doutorado. São Carlos: EESC/USP, 2008.

SPIRN, Anne (1984). W. O jardim de Granito. São Paulo: Edusp, 1995.

Publicado
2019-09-17
Como Citar
Schenk, L., & Lima, M. C. (2019). O Método Cartográfico no projeto da Arquitetura da Paisagem. Risco Revista De Pesquisa Em Arquitetura E Urbanismo (Online), 17(2), 26-40. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4506.v17i2p26-40
Seção
Artigos e Ensaios