Não há desvio sobre o vazio: a produção do espaço pela desvalorização, atualização e transformação de elementos existentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/1984-4506.risco.2021.160338

Palavras-chave:

desvio, método, produção do espaço

Resumo

O artigo propõe o desvio (détournement) situacionista como método para a produção de espaço na cidade contemporânea. O desvio usurpa ou copia elementos existentes sem fazer referência a seus proprietários, desvalorizando, atualizando e transformando sua materialidade em um conjunto novo e crítico. Manifestações do desvio em diferentes mídias são analisadas cronologicamente para organizar o processo de formação do conceito, desde as práticas do cinema do Letrismo, das metagrafias e textos da Internacional Letrista e das artes plásticas da Bauhaus Imaginista até sua sistematização como método no “Manual do desvio”, aplicado no cotidiano da Internacional Situacionista. Percebemos o espaço arquitetônico e urbano como suporte a ser desviado, que pode ter suas intenções de projeto e significados históricos subvertidos em ações coletivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACQUAVIVA, F. Wolman in the open. In: ACQUAVIVA, F. et al. Gil J Wolman: Sóc immortal i estic viu. Barcelona: Museu d’Art Contemporani de Barcelona, 2010. p.10-43.

DEBORD, G. (dir.) L’Urbanisme Unitaire à la fin des annés 50. Internationale Situationniste: Bulletin central édité par l’Internationale Situationniste, n.3, p.11-16, dez. 1959.

DEBORD, G. Rapport sur la construction des situations et sur les conditions de l’organisation et de l’action de la tendance situationniste internationale. Inter: art actuel, n.44, supplément, p.1-11, été 1989. Disponível em: http://id.erudit.org/iderudit/46876ac. Acesso em 1 abr. 2016.

DEBORD, G. Présentation des 29 numéros de Potlatch. In: LEBOVICI, G. (ed.) Potlatch, 1954-1957. Paris: Champ Libre, 1985.

DEBORD, G. E. La societé du spectacle. Paris: Gallimard, 1996.

DEBORD, G.; KNABB, K. (ed.) Complete Cinematic Works: Scripts, Stills, Documents. Chico: AK Press, 2003.

DEBORD, G.; JORN, A. Mémoires. Paris: Internationale Situationniste, 1952.

DEBORD, G. E.; WOLMAN, G. Mode d’emploi du détournement. Inter, n.117, p.23–26, 2014. Disponível em: https://www.erudit.org/fr/revues/inter/2014-n117-inter01492/72291ac.pdf. Acesso em 17 jul. 2019.

FORD, S. The Situationist International: a user's guide. Londres: Black Dog, 2005.

GENTY, T. La critique situationniste ou la praxis du dépassement de l’art. Dijon: Zanzara Athée, 1998.

GONÇALVES, G. R. Do urbanismo unitário à crítica ao urbanismo: um percurso sobre a cidade e o urbano na Internacional Situacionista. Geousp – Espaço e Tempo (Online), v.21, n.2, p.518-530, ago. 2017. ISSN 2179-0892. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/geousp/ article/view/117516. Acesso em 25 fev 2019.

INTERNATIONALE SITUATIONNISTE. (Dir. Guy-Ernest Debord) Paris: Ed. Sections de l’Internationale Situationniste, n.1, jun. 1958.

JAPPE, A. Guy Debord. Berkeley, Los Angeles: University of California Press, 1999.

JORN, A. Fin de Copenhague. Amsterdam: Bauhaus Imaginiste, 1957. Disponível em: https://monoskop.org/images/7/75/Jorn_Asger_Fin_de_Copenhague.pdf. Acesso em 23 jul. 2019.

LE BAIL, Y. (org.). Potlatch. 1954-1957. Choucoutimi: Bibliothèque Paul-Émile-Boulet da Universidade do Québec, 2007. Disponível em: http://classiques.uqac.ca/contemporains/internationale_lettriste/Potlatch/Potlatch.html. Acesso em 22 jul. 2019.

MARX, K. O capital. Crítica da economia política. Livro 1: O processo de produção do capital. (Trad. Rubens Enderle) São Paulo: Boitempo, 2013.

NESBITT, K. (org.) Uma nova agenda para a Arquitetura. (Trad. Vera Pereira) 2 ed. São Paulo: Cosac Naify, 2006.

SOUZA, F. Guy Debord: Histórias, análise e comparações heréticas. Imaginários, a.11, n.16, 2006, p.24-33. (ISSN-L: 1516-9294, e-ISSN: 1980-3710). Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/famecos/article/view/903/689. Acesso em 19 jul. 2019.

SUSSMAN, E. (ed.) On the Passage of a few People Through a Rather Brief Moment in Time: the Situationist International 1957-1972. Cambridge: MIT Press, 1989.

TOLEDO, P. F. A astúcia da dialética: o desvio em Guy Debord. 2014. 315f. Tese (Doutorado em Ciência da Literatura) – Centro de Letras e Artes, Universidade Federal de Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

WARK, M. The beach beneath the street. Nova York, Londres: Verso, 2011.

Filmografia

TRAITÉ de bave et d’éternité. Direção de Isidore Isou. França: 1951. Arquivo digital formato mp4 (124 min), son, 35mm.

L’ANTICONCEPT. Realização de Gil J Wolman. França: 1951. Filme (60min.), son., 35mm. Disponível em: http://www.ubu.com/film/wolman_anticoncept.html. Acesso em 19 jul. 2019.

HURLEMENTS en faveur de Sade. Realização de Guy Debord. França: 1952. Filme (63min.), son, 35mm. Disponível em: http://www.ubu.com/film/debord_hurlements.html. Acesso em 19 jul. 2019.

Downloads

Publicado

2022-07-14

Como Citar

Castro, L. F. de. (2022). Não há desvio sobre o vazio: a produção do espaço pela desvalorização, atualização e transformação de elementos existentes. Risco Revista De Pesquisa Em Arquitetura E Urbanismo (Online), 20, 170-184. https://doi.org/10.11606/1984-4506.risco.2021.160338

Edição

Seção

Artigos e Ensaios