Entre arte e técnica: Thomas Hardy e a profissão de arquiteto no século XIX

Autores

  • Cristina Meneguello Universidade Estadual de Campinas; Instituto de Filosofia e Ciências Humanas; Departamento de História

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-4506.v0i1p4-15

Palavras-chave:

profissão do arquiteto, restauro, concursos

Resumo

A partir do romance A laodicean (1881), de Thomas Hardy, o presente artigo propõe um comentário sobre a prática da arquitetura na Inglaterra do século XIX, centrado em temas fundamentais como a profissionalização dos arquitetos, a batalha dos estilos e a preservação e restauro de edifícios. Neste percurso, ressalta-se o caráter biográfico do romance, nos termos da atuação de Hardy como arquiteto, como restaurador de igrejas e como membro da Society for the Protection of Ancient Buildings (SPAB) fundada por William Morris. Finalizando, sugerem-se hipóteses para compreender a acepção, na história contemporânea, da profissão e da imagem do arquiteto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2003-07-01

Como Citar

Meneguello, C. (2003). Entre arte e técnica: Thomas Hardy e a profissão de arquiteto no século XIX. Risco Revista De Pesquisa Em Arquitetura E Urbanismo (Online), (1), 4-15. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4506.v0i1p4-15

Edição

Seção

Artigos e Ensaios