Risco - Revista de Pesquisa em Arquitetura e Urbanismo https://www.revistas.usp.br/risco <p><strong>RISCO - Revista de Pesquisa em Arquitetura e Urbanismo</strong>, fundada em 2003, é uma revista científica do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP).&nbsp;ISSN:&nbsp;1984-4506</p> <p>A revista&nbsp;visa ampliar o debate teórico, histórico e crítico em arquitetura e urbanismo, buscando no trabalho interdisciplinar - junto à história, à geografia, à engenharia, às ciências sociais, às artes, à filosofia e à literatura - uma renovação do olhar e das práticas da pesquisa. A revista almeja contribuir para o estreitamento do diálogo e trocas entre as pesquisas realizadas nos diversos centros e institutos de pesquisa nacionais e internacionais.&nbsp;</p> <p>A revista&nbsp;se encontra indexada nas bases:&nbsp;“AI - Actualidad Iberoamericana”, “ARLA - Asociación de Revistas Latinoamericanas de Arquitectura”, "ASI - Advanced Sciences Index",“BASE - Bielefeld Academic Search Engine”,&nbsp;"DIADORIM - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras", “DOAJ - Directory of Open Access Journals”, “SJIF – Scientific Journal Impact Factor”; “Latindex - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal” e “MIAR - Matriz de Información para el Análisis de Revistas”.</p> Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo pt-BR Risco - Revista de Pesquisa em Arquitetura e Urbanismo 1984-4506 <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <p>a. Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a>&nbsp;que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>b. Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>c. Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja&nbsp;<a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html" target="_new">O Efeito do Acesso Livre</a>).</p> Um monumento “colonial” para uma cidade moderna: o conjunto jesuítico do Pátio do Colégio nas comemorações do IV Centenário de São Paulo https://www.revistas.usp.br/risco/article/view/157718 <p>O artigo aborda as mobilizações em prol da reconstrução do conjunto arquitetônico jesuítico do Pátio do Colégio, em São Paulo. Tais mobilizações resultaram na aprovação da Lei Estadual n° 2658 de 1954. Por meio desse instrumento legal, ocorreu a doação da área correspondente ao antigo Colégio aos jesuítas, representados pela Sociedade Brasileira de Educação, e ainda previu a reconstrução como parte das comemorações do IV Centenário de São Paulo. É objetivo desse artigo abordar a dimensão política dessa reconstrução e compreender o seu papel discursivo perante outras iniciativas de comemoração do IV Centenário, com destaque para o Parque Ibirapuera.</p> Roberto dos Santos Canado Junior Copyright (c) 2021 Roberto dos Santos Canado Junior http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-01-20 2021-01-20 19 10.11606/1984-4506.risco.2021.157718 Slow Cities: uma experiência da contemporaneidade https://www.revistas.usp.br/risco/article/view/153236 <p>Na modernidade o capitalismo é a ordem social em ascensão, o capital surge para desterritorializar e mudar a relação das pessoas e instituições com o tempo, com suas identidades e com o território. Num mundo globalizado, cidades caminham para homogeneização. “Fluidez”, velocidade e instabilidade (traços de uma sociedade líquida moderna) fazem surgir movimentos sociais contrários a esta lógica e que passam a questionar seus efeitos sobre os indivíduos, mostrando que existe alternativa para uma vida mais equilibrada e saudável, o <em>slow movement</em> é um deles e dentre suas vertentes, o movimento <em>slow cities</em> surge e traz para a reflexão a necessidade de repensar a vida nas cidades contemporâneas e a necessidade de humanização e de resgate das identidades nestes espaços.</p> <p><strong>Palavras-Chave: Identidade, modernidade líquida, território, <em>slow city</em>.</strong></p> <p> </p> <p><strong> </strong></p> Eloisa Estrela Oliveira Copyright (c) 2020 Eloisa Estrela Oliveira http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-01-21 2021-01-21 19 10.11606/1984-4506.risco.2021.153236