Análise comparativa da não adesão ao tratamento medicamentoso da hipertensão arterial sistêmica em população urbana e rural

Autores

  • Patricia Magnabosco Universidade de São Paulo; Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto; Universidade de São Paulo
  • Eliana Cavalari Teraoka Universidade de São Paulo; Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto; Universidade de São Paulo
  • Edward Meirelles de Oliveira Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto; Universidade de São Paulo
  • Elisangela Aparecida Felipe Escola Eurípedes Barsanulfo
  • Dayana Freitas Universidade de São Paulo; Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto; Universidade de São Paulo
  • Leila Maria Marchi-Alves Universidade de São Paulo; Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto; Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/0104-1169.0144.2520

Resumo

OBJETIVO: avaliar os índices e os principais fatores associados a não adesão ao tratamento medicamentoso da hipertensão arterial sistêmica, entre área urbana e rural. MÉTODO: estudo analítico baseado em inquérito epidemiológico, realizado com amostra de 247 hipertensos moradores das áreas rural e urbana, com aplicação de questionário sociodemográfico, econômico e avaliação da adesão. Foi utilizado o teste quiquadrado de Pearson e calculado o Odds Ratio (OD) para análise dos fatores relacionados a não adesão. RESULTADOS: a prevalência da não adesão foi de 61,9%, sendo maior na área urbana (63,4%). Os fatores que apresentaram associação estatisticamente significativa com a não adesão foram: gênero masculino (OR=1,95; IC95% 1,08-3,50), faixa etária entre 20 e 59 anos (OR=2,51; IC95% 1,44-4,39), baixa classe econômica (OR=1,95; IC95% 1,09-3,47), etilismo (OR=5,92; IC 95% 1,73-20,21), tempo curto de diagnóstico de hipertensão (OR=3,07; IC95% 1,35-6,96) e não procura pelo serviço de saúde para consultas de rotina (OR=2,45; 1,35-4,42). CONCLUSÃO: as características sociodemográficas, econômicas, hábitos de vida e o modo de relacionar-se com os serviços de saúde foram os fatores que apresentaram associação com a não adesão, independentemente do local de residência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2015-02-01

Como Citar

Magnabosco, P., Teraoka, E. C., Oliveira, E. M. de, Felipe, E. A., Freitas, D., & Marchi-Alves, L. M. (2015). Análise comparativa da não adesão ao tratamento medicamentoso da hipertensão arterial sistêmica em população urbana e rural . Revista Latino-Americana De Enfermagem, 23(1), 20-27. https://doi.org/10.1590/0104-1169.0144.2520

Edição

Seção

Artigos Originais