Validação de conteúdo do protocolo de prevenção da sepse precoce porStreptococcus agalactiae em recém-nascidos

Autores

  • Fabiana Alves da Silva Hospital Universitário de Santa Maria
  • Cláudia Fernanda de Lacerda Vidal Universidade Federal de Pernambuco; Hospital das Clínicas
  • Ednaldo Cavalcante de Araújo Universidade Federal de Pernambuco; Departamento de Enfermagem

DOI:

https://doi.org/10.1590/0104-1169.0179.2598

Resumo

Objetivo:validar o conteúdo do protocolo de prevenção da sepse precoce porStreptococcus agalactiaeem recém-nascidos.Método:estudo transversal, descritivo, do tipo metodológico, com abordagem quantitativa. A amostra foi composta por 15 juízes, oito médicos obstetras e sete pediatras. A validação ocorreu por intermédio da avaliação de conteúdo do protocolo pelos juízes, os quais receberam o instrumento de coleta de dados - checklist - contendo sete itens, que representam requisitos a serem contemplados no protocolo. A validação de conteúdo foi atingida mediante aplicação do Índice de Validade de Conteúdo.Resultado:no processo de julgamento, todos os itens que representam requisitos contemplados no protocolo obtiveram concordância dentro do nível estabelecido (Índice de Validade de Conteúdo >;0,75). Dos sete itens, seis obtiveram concordância total, (Índice de Validade de Conteúdo 1.0) e o item exequibilidade obteve Índice de Validade de Conteúdo de 0,93. A avaliação global dos instrumentos obteve Índice de Validade de Conteúdo de 0,99.Conclusão:a validação de conteúdo realizada foi ferramenta eficaz para adequação do protocolo, de acordo com o julgamento de profissionais experientes, demonstrando a importância em se realizar validação prévia de instrumentos. Espera-se que, este estudo incentive a adoção do rastreio universal por outras instituições, mediante protocolos validados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2015-08-01

Como Citar

Silva, F. A. da, Vidal, C. F. de L., & Araújo, E. C. de. (2015). Validação de conteúdo do protocolo de prevenção da sepse precoce porStreptococcus agalactiae em recém-nascidos . Revista Latino-Americana De Enfermagem, 23(4), 635-641. https://doi.org/10.1590/0104-1169.0179.2598

Edição

Seção

Artigos Originais