Fatores associados à velocidade da marcha em idosos submetidos aos exames para habilitação veicular

Palavras-chave: Idoso Fragilizado, Marcha, Velocidade de Caminhada, Exame para Habilitação de Motoristas, Estudos Transversais, Idoso

Resumo

Objetivo: analisar os fatores associados à velocidade da marcha em idosos submetidos aos exames de aptidão física e mental para habilitação veicular. Método: estudo quantitativo de corte transversal realizado nas clínicas de trânsito, no qual fizeram parte da amostra do tipo probabilística 421 idosos (≥ 60 anos). O estudo foi desenvolvido mediante aplicações de questionários e testes que constituem o fenótipo da fragilidade. Para avaliar a velocidade da marcha, cronometrou-se o tempo gasto pelo participante para percorrer uma distância de 4,6 metros, de maneira habitual e em superfície plana. Os dados foram analisados utilizando a regressão linear múltipla por meio do método stepwise. Adotou-se o programa estatístico R versão 3.4.0. Resultados: houve associação significativa entre velocidade da marcha e trabalho remunerado (<0,0000), índice de massa corporal (<0,0000), escore do Mini-Exame de Estado Mental (=0,0366), fragilidade física (pré-frágeis =0,0063 e não frágeis <0,0000), idade (<0,0000), sexo (=0,0255) e força de preensão manual (<0,0000). Conclusão: idosos motoristas que não trabalham, mulheres, com idade avançada, elevado índice de massa corporal, baixo escore no Mini-Exame de Estado Mental, baixa força de preensão manual e frágeis possuem tendência de diminuição da velocidade da marcha e devem ser prioridade das intervenções.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-03-19
Como Citar
Binotto, M. A., Lenardt, M. H., Carneiro, N., Lourenço, T. M., Cechinel, C., & Rodríguez-Martínez, M. del C. (2019). Fatores associados à velocidade da marcha em idosos submetidos aos exames para habilitação veicular. Revista Latino-Americana De Enfermagem, 27, e3138. https://doi.org/10.1590/1518-8345.2667-3138
Seção
Artigos Originais