Atenção ao parto e nascimento em hospital universitário: comparação de práticas desenvolvidas após Rede Cegonha

Palavras-chave: Enfermagem Obstétrica, Trabalho de Parto, Assistência ao Parto, Centro Obstétrico, Parto, Organização Mundial da Saúde

Resumo

Objetivo: comparar, após transcorridos quatro anos da implementação da Rede Cegonha, as práticas obstétricas desenvolvidas em um hospital universitário segundo classificação da Organização Mundial da Saúde. Método: estudo transversal realizado no ano de adesão à Rede Cegonha (377 mulheres) e replicado quatro anos após (586 mulheres). Dados obtidos mediante prontuário e questionário estruturado. Na análise, utilizou-se o Teste Qui-quadrado. Resultados: quatro anos após a Rede Cegonha, dentre as práticas da Categoria A (práticas comprovadamente úteis/ boas práticas), aumentou a frequência de acompanhante, de métodos não farmacológicos, de contato pele a pele e de estímulo à amamentação e diminuiu a liberdade de posição/ movimentação. Na Categoria B (práticas prejudiciais), houve redução de tricotomia e aumento de venóclise. Na Categoria C (práticas sem evidências suficientes), o Kristeller apresentou aumento. Na Categoria D (práticas utilizadas de modo inadequado), aumentou o percentual de toque vaginal acima do recomendado, de analgésicos e de analgesia e diminuiu a episiotomia. Conclusão: esses resultados indicam a manutenção de uma assistência tecnocrática e intervencionista e direcionam para a necessidade de mudanças no modelo de atenção obstétrica. Um caminho consolidado mundialmente é a incorporação de enfermeiras obstetras/obstetrizes na assistência ao parto pelo potencial de utilização apropriada de tecnologias e redução de intervenções desnecessárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-03-19
Como Citar
Lopes, G., Gonçalves, A., Gouveia, H., & Armellini, C. (2019). Atenção ao parto e nascimento em hospital universitário: comparação de práticas desenvolvidas após Rede Cegonha. Revista Latino-Americana De Enfermagem, 27, e3139. https://doi.org/10.1590/1518-8345.2643-3139
Seção
Artigos Originais