Avaliação da dor e fatores associados em pessoas que vivem com HIV/AIDS

Palavras-chave: HIV, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, Dor, Medição da Dor, Qualidade de Vida, Depressão

Resumo

Objetivo: avaliar a dor em pessoas que vivem com o vírus da imunodeficiência humana/síndrome da imunodeficiência adquirida e relacionar com fatores sociodemográficos, clínicos, sintomas depressivos e qualidade de vida relacionada à saúde. Método: estudo descritivo, analítico, observacional, de corte transversal e de caráter quantitativo. Participaram trezentas e duas (302) pessoas de um serviço de atendimento especializado. Foram utilizados instrumentos para avaliação de dados sociodemográficos, clínicos, sintomas depressivos e qualidade de vida relacionada à saúde. Empregou-se análise descritiva, bivariada e regressão logística múltipla. Resultados: foram encontrados 59,27% de presença de dor de intensidade leve, recorrente na cabeça, com interferência no humor, a maioria do sexo feminino e em indivíduos sem/baixa escolaridade. As mulheres apresentaram maior probabilidade de ter dores moderadas ou severas. Pessoas de 49 a 59 anos apresentaram maior intensidade de dor do que as de 18 a 29 anos. Sintomas depressivos e dor são variáveis diretamente proporcionais. Quanto maior o nível da qualidade de vida relacionada à saúde e escolaridade, menor a possibilidade da presença de dor. Conclusão: a presença de dor encontrada é preocupante e possui associação com o sexo feminino, sem/ baixa escolaridade, pior nível da qualidade de vida relacionada à saúde e presença de sintomas depressivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-03-19
Como Citar
Pereira, A., Bradbury, F., Rossetti, E., & Hortense, P. (2019). Avaliação da dor e fatores associados em pessoas que vivem com HIV/AIDS. Revista Latino-Americana De Enfermagem, 27, e3155. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/rlae/article/view/162111
Seção
Artigos Originais