Enfrentamento da COVID-19 em região de fronteira internacional: saúde e economia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1518-8345.4659.3398

Palavras-chave:

Pandemias, COVID-19, Isolamento Social, Áreas de Fronteira, Saúde Pública, Saúde na Fronteira

Resumo

Objetivo: analisar como o isolamento social e o fechamento das fronteiras repercutem na saúde e na economia em região de fronteira internacional. Método: estudo descritivo-transversal realizado no Oeste do Paraná, Brasil, por meio do questionário eletrônico Formulários Google®. Foi estudada uma amostra de 2.510 pessoas. Utilizou-se a análise estatística descritiva e o teste qui-quadrado, com nível de significância de 5%. Pesquisa de opinião pública, com participantes não identificados, que atende às Resoluções 466/2012 e 510/2016. Resultados: a média de idade foi de 41,5 anos, a maioria é do sexo feminino e composta por trabalhadores do setor de educação; 41,9% indicam que o fechamento das fronteiras/comércio influenciou negativamente a renda e, para 17,7%, existe a possibilidade de desemprego. Para 89,0%, o número de pessoas adoecidas seria maior caso as fronteiras/comércio não tivessem sido fechadas; 63,7% indicam que os serviços de saúde não estão preparados para enfrentar a pandemia; 74,9% percebem que o Sistema Único de Saúde pode não ter capacidade de atendimento; 63,4% sinalizam ansiedade e 75,6% dos trabalhadores do comércio terão alterações na renda. Conclusão: o fechamento das fronteiras internacionais e do comércio relacionou-se à percepção de alterações físicas e mentais, perda de emprego e de renda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-04-29

Como Citar

Silva-Sobrinho, R. A. ., Zilly, A., Silva, R. M. M. da, Arcoverde, M. A. M., Deschutter, E. J., Palha, P. F., & Bernardi, A. S. (2021). Enfrentamento da COVID-19 em região de fronteira internacional: saúde e economia. Revista Latino-Americana De Enfermagem, 29, e3398. https://doi.org/10.1590/1518-8345.4659.3398

Edição

Seção

Artigos Originais