Influência do treinamento concorrente na composição corporal e óssea de adolescentes obesos

Autores

  • Paula A Monteiro Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro
  • Barbara de M M Antunes Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro
  • Loreana S Silveira Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro
  • Ricardo R Agostinete Universidade Estadual Paulista, Campus de Presidente Prudente
  • Malena R Picolo Universidade Estadual Paulista, Campus de Presidente Prudente
  • Ismael F Freitas Junior Universidade Estadual Paulista, Campus de Presidente Prudente.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v48i3p308-314

Palavras-chave:

Exercício. Densidade Óssea. Obesidade.

Resumo

Modelo de estudo: Estudo prospectivo Objetivo: Analisar a diferença da densidade, conteúdo mineral ósseo e composição corporal de adolescentes obesos pré e pós treinamento concorrente de 16 semanas. Métodos: Amostra composta por 19 adolescentes obesos. Mensurou-se a densidade mineral óssea(BMD), conteúdo mineral ósseo(BMC), massa corporal magra(MCM) em kg, massa de gordura(MG) em kg e em percentual(%GC) e percentual de gordura do tronco(%GT) por meio da técnica absortiometria de raios-X de dupla energia(DEXA). A Intervenção consistiu de treinamento concorrente (treino resistido [30 minutos] e aeróbio [30 minutos]) com três sessões semanais. Para análise estatística utilizou-se teste t de Student, qui-quadrado, ANOVA e correlação de Pearson por meio do software SPSS(17.0) e significância estatística fixada em p<5%. Resultados: Houve diferença estatística entre os gêneros para %GT(p<0,007). No grupo feminino houve correlação entre BMD, %GC e %GT, já a BMC correlacionou-se com peso e MCM. No grupo masculino
houve correlação da BMC e BMD com a estatura e MCM. Após a intervenção, no grupo feminino, houve significância apenas para estatura(p<0,014), já no grupo masculino houve aumento significativo da
estatura(p<0,000), MCM(p<0,011) e BMC(p<0,002) bem como a diminuição das variáveis IMC(p<0,004), %GC(p<0,000) e %GT(p<0,016). Após o treinamento 78,9% dos adolescentes aumentaram e 21,1%
diminuíram o BMD. Dos que aumentaram o BMD 63,2% diminuíram o %GC, 57,9% a MG e 57,9% a MCM. Conclusão: Após a intervenção houve diminuição da gordura corporal, aumento da massa magra e conteúdo mineral ósseo de adolescentes do sexo masculino. No grupo feminino não houve diferença entre os momentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula A Monteiro, Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro

Departamento de Educação Física - Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro, Brasil-SP.

Barbara de M M Antunes, Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro

Departamento de Educação Física - Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro, Brasil-SP.

Loreana S Silveira, Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro

Departamento de Educação Física - Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro, Brasil-SP.

Ricardo R Agostinete, Universidade Estadual Paulista, Campus de Presidente Prudente

Departamento de Educação Física - Universidade Estadual Paulista, Campus de Presidente Prudente, Brasil-SP.

Malena R Picolo, Universidade Estadual Paulista, Campus de Presidente Prudente

Departamento de Fisioterapia – Universidade Estadual Paulista, Campus de Presidente Prudente, Brasil-SP.

Ismael F Freitas Junior, Universidade Estadual Paulista, Campus de Presidente Prudente.

Departamento de Educação Física - Universidade Estadual Paulista, Campus de Presidente Prudente, Brasil-SP.

Downloads

Publicado

2015-06-08

Como Citar

1.
Monteiro PA, Antunes B de MM, Silveira LS, Agostinete RR, Picolo MR, Freitas Junior IF. Influência do treinamento concorrente na composição corporal e óssea de adolescentes obesos. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 8 de junho de 2015 [citado 18 de agosto de 2022];48(3):308-14. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/104324

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share