Estilo de vida de estudantes universitários: estudo de acompanhamento durante os dois primeiros anos do curso de graduação

Autores

  • Bruno J. Q. Brito Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Centro de Formação de Professores
  • Alex P. Gordia Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Curso de Licenciatura em Educação Física, Centro de Formação de Professores
  • Teresa M. B. Quadros Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Curso de Licenciatura em Educação Física, Centro de Formação de Professores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v49i4p293-302

Palavras-chave:

Estilo de Vida. Estudantes. Saúde. Qualidade de Vida

Resumo

Introdução: O estilo de vida (EV) têm se constituído como fator de constante preocupação na sociedade atual, uma vez que baixos níveis de saúde e bem-estar podem provocar consequências negativas, ainda mais em grupos vulneráveis, como estudantes universitários, cujas condutas adquiridas nesta fase podem se estender para outras etapas da vida. Modelo do estudo: Estudo de coorte. Objetivos: Avaliar o estilo de vida de estudantes universitários durante os dois primeiros anos do curso de graduação. Métodos: Participaram do estudo universitários que ingressaram nos cursos de graduação do Centro de Formação de Professores da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia no primeiro semestre do ano letivo de 2010. O estilo de vida foi determinado através da utilização do questionário autoadministrado “Estilo de Vida Fantástico”. Utilizou-se o teste Qui-quadrado, teste de McNemar e risco relativo (RR), considerando p<0,05. A amostra que participou de todo o período de seguimento foi composta por 92 universitários (64,1% do sexo feminino). Resultados: Observou-se uma tendência de aumento na prevalência de universitários que apresentaram EV global pouco saudável (16,3% vs. 21,7%). Universitários que já ingressaram com EV pouco saudável para os domínios “Família e Amigos” (RR=2,17; IC95%: 1,25-3,76) e “Introspecção” (RR=1,69; IC95%: 1,02-2,81) tiveram maior risco para permanecer com este comportamento ao final do segundo ano do curso de graduação. Conclusões: O tempo de permanência na graduação teve influência sobre o EV dos universitários investigados. Políticas públicas de promoção da saúde devem ser desenvolvidas dentro dos campi universitários visando contribuir com a adoção de comportamentos mais saudáveis entre seus estudantes

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno J. Q. Brito, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Centro de Formação de Professores

Graduado em Educação Física - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Docente do Curso de Licenciatura em Educação Física, Centro de Formação de Professores, UFRB. Amargosa, Bahia

Alex P. Gordia, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Curso de Licenciatura em Educação Física, Centro de Formação de Professores

Mestre em Educação Física - Universidade Federal do Paraná e Docente do Curso de Licenciatura em Educação Física, Centro de Formação de Professores, UFRB

Teresa M. B. Quadros, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Curso de Licenciatura em Educação Física, Centro de Formação de Professores

Mestre em Educação Física - Universidade Federal de Santa Catarina e Docente do Curso de Licenciatura em Educação Física, Centro de Formação de Professores, UFRB

Downloads

Publicado

2016-11-11

Como Citar

1.
Brito BJQ, Gordia AP, Quadros TMB. Estilo de vida de estudantes universitários: estudo de acompanhamento durante os dois primeiros anos do curso de graduação. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 11 de novembro de 2016 [citado 18 de janeiro de 2022];49(4):293-302. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/122721

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share