Comportamentos de risco à saúde entre adolescentes de acordo com gênero, idade e nível socioeconômico

Autores

  • Oldemar Mazzardo Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Michael P. da Silva Universidade Federal do Paraná
  • Roseane de F. Guimarães Universidade Estadual de Campinas
  • Rafael V. Martins
  • Priscila I. Watanabe
  • Wagner de Campos Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v49i4p321-330

Palavras-chave:

Comportamentos Saudáveis. Estilo de Vida. Adolescente. Estudantes

Resumo

Modelo do Estudo: Estudo de base escolar com caráter transversal descritivo. Objetivo do Estudo: Identificar a proporção de Comportamentos de Risco à Saúde (CRS) de forma individual e agregada em adolescentes do ensino público da cidade de Curitiba-PR, em função do gênero, faixa etária e do nível socioeconômico. Metodologia: Em amostra composta por 996 adolescentes, gênero, faixa etária e nível socioeconômico foram determinados através de questionário sociodemográfico. As variáveis de comportamentos de risco foram determinadas pela versão em português do Youth Risk Behavior Survey, Questionário Simplificado para a Avaliação do Consumo Alimentar Relacionado ao Risco Cardiovascular em Adolescentes, Questionário de Atividades Sedentárias para Adolescentes e Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ -versão curta). O teste de Qui-quadrado foi utilizado para a comparação entre os grupos adotando p<0,05. Resultados: Foram observadas altas proporções de experimentação (41,5%) e consumo excessivo de álcool (28,2%), consumo excessivo de alimentos com alto teor de colesterol (41,6%), tempo de tela excessivo (58,5%) e níveis insuficientes de atividade física (54,9%). Dos participantes do estudo, 86,5% apresentaram ao menos 1 CRS, 50,75% foram classificados com 2 ou mais CRS e 25% apresentaram ao menos 3 CRS. Conclusões: Proporções elevadas de consumo de bebidas alcoólicas, tempo de tela excessivo e atividade física insuficiente estão presentes na população adolescente, principalmente nos mais velhos, enquanto que a alimentação inadequada é um comportamento com maior prevalência nos mais jovens. Rapazes reportam mais tempo excessivo de tela enquanto moças apresentam níveis maiores de atividade física insuficiente. Independente do gênero e nível socioeconômico, adolescentes acima de 14 anos apresentaram proporções mais elevadas de agregação de CRS

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Oldemar Mazzardo, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutor. Professor Adjunto A no colegiado de Licenciatura em Educação Física, UNIOESTE

Michael P. da Silva, Universidade Federal do Paraná

Mestre. CEAFS. Doutorando no programa de Pós-Graduação em Educação Física - UFPR

Roseane de F. Guimarães, Universidade Estadual de Campinas

Mestre. Professora do Centro Universitário Salesiano, São Paulo. Doutoranda no programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e Adolescente - UNICAMP

Rafael V. Martins

Mestre. Mestre pelo programa de Pós-Graduação em Educa- ção Física - UFPR

Priscila I. Watanabe

Mestre, CEAFS. Programa de Pós-Graduação em Educação Física - UFPR

Wagner de Campos, Universidade Federal do Paraná

Doutor. Professor Titular no Departamento de Educação Física, UFPR. Coordenador do CEAFS

Downloads

Publicado

2016-11-11

Como Citar

1.
Mazzardo O, Silva MP da, Guimarães R de F, Martins RV, Watanabe PI, Campos W de. Comportamentos de risco à saúde entre adolescentes de acordo com gênero, idade e nível socioeconômico. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 11 de novembro de 2016 [citado 5 de outubro de 2022];49(4):321-30. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/122723

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)