Transtorno bipolar: uma revisão dos aspectos conceituais e clínicos

Autores

  • Nayanne Beckmann Bosaipo Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento
  • Vinícius Ferreira Borges Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento
  • Mario Francisco Juruena Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento Department of Psychological Medicine, Institute of Psychiatry, King’s College London, United Kingdom

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v50isupl1.p72-84

Palavras-chave:

Transtorno Bipolar. Depressão Bipolar. Psicose, Maníaco-Depressiva. Transtorno Maníaco

Resumo

Esta revisão tem o objetivo de introduzir aspectos históricos, epidemiológicos e etiológicos do transtorno bipolar, além de apresentar a caracterização e curso da doença e algumas questões relativas ao diagnóstico, tratamento e prognóstico. O Transtorno Bipolar (TB) é caracterizado por graves alterações de humor, que envolvem períodos de humor elevado e de depressão intercalados por períodos de remissão. O transtorno se diferencia em dois tipos principais: o Tipo I, em que ocorrem episódios de mania, e o Tipo II, em que a elevação do humor é mais branda e breve, caracterizando episódios de hipomania. O conceito de espectro bipolar amplia a classificação do TB, incluindo padrões clínicos e genéticos. O TB é uma doença comum, que atinge cerca de 30 milhões de pessoas no mundo, afetando homens e mulheres de modo diferente. As causas do TB incluem uma interação de fatores genéticos e ambientais, distinguindo-o como um transtorno complexo e multideterminado. O diagnóstico segundo os critérios do DSM-5 envolve a identificação de sintomas de mania ou hipomania e da avaliação do curso longitudinal da doença. A depressão é geralmente o quadro mais comum e persistente entre os pacientes bipolares. Embora não existam sintomas específicos que distinguem a depressão unipolar da depressão bipolar, foram encontradas características clínicas típicas de cada manifestação (e.g., perfil dos sintomas, história familiar, e curso da doença). O diagnóstico precoce e o tratamento dos episódios agudos de humor melhoram significativamente o prognóstico. O tratamento de primeira escolha é com medicamentos estabilizadores de humor, anticonvulsivantes e antipsicóticos atípicos. A combinação de medicamentos com intervenções psicossociais tem se mostrado efetiva. Não obstante, o uso de antidepressivos em monoterapia não é recomendado

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nayanne Beckmann Bosaipo, Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento

Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Vinícius Ferreira Borges, Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento

Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2017-02-04

Como Citar

1.
Bosaipo NB, Borges VF, Juruena MF. Transtorno bipolar: uma revisão dos aspectos conceituais e clínicos. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 4 de fevereiro de 2017 [citado 27 de novembro de 2021];50(supl.1):72-84. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/127541
Bookmark and Share