Avaliação da qualidade de vida de praticantes de ginástica laboral

Autores

  • Thânia R. M. F. Corrêa Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Mariana M. M. Cintra Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Tony P. Paulino Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Renata C. R. Silva Universidade do Oeste Paulista
  • Débora T. Resende e Silva Universidade Federal Fronteira Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v50i1p11-17

Palavras-chave:

Ginástica laboral. Qualidade de Vida. Questionário SF-36

Resumo

Introdução: A qualidade de vida (QV) de trabalhadores vem sendo alvo de pesquisas há algum tempo no Brasil. Sendo assim verifica-se a necessidade de avaliar QV e parâmetros antropométricos de participantes, funcionários e estagiários, de instituição de ensino que realizaram a prática da ginástica laboral com o objetivo de melhorar sua rotina diária de trabalho. Material e Métodos: Foi realizada ginástica laboral para os participantes e a versão brasileira do questionário SF-36 foi aplicada, além disto, foram avaliados peso e altura e calculado o índice de massa corporal (IMC). Resultados: Foram avaliados 21 indivíduos, sendo 19% masculinos e 81% femininos, com idade média de 35,47±12,90 anos. A amostra tinha média de peso de 63,26±5,80 gramas e média de 1,64±3,90 centímetros de altura e foi calculado o IMC, e obteve-se média de 23,25±2,90. Os aspectos motores, emocionais, além dos sociais e mentais têm determinantes no aspecto que influenciam a QV dos praticantes demonstrando que a realização de tal atividade, mesmo que em um período curto (três meses) parece trazer influências benéficas no cotidiano do praticante de tal atividade, pois a maioria dos entrevistados relatam boa saúde física e emocional, e sem prejuízos de suas atividades laborais. Conclusões: Os participantes estão satisfeitos e motivados com a liberdade de expressão, participações em decisões e satisfação com a QV no trabalho, sendo assim com o conhecimento do grau de satisfação dos trabalhadores, instituições podem ajuda a direcionar estratégias de prevenção, orientação e suporte dos seus trabalhadores, afim de proporcionar um ambiente saudável de trabalho. Observou-se que a prática de ginástica laboral contribui para estes resultados

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Thânia R. M. F. Corrêa, Universidade Federal do Triângulo Mineiro
    Acadêmica do curso técnico em enfermagem da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais
  • Mariana M. M. Cintra, Universidade Federal do Triângulo Mineiro
    Fisioterapeuta, doutoranda da UFTM
  • Tony P. Paulino, Universidade Federal do Triângulo Mineiro
    Farmacêutico, Doutor, Docente do Curso de Técnico em Enfermagem, UFTM
  • Renata C. R. Silva, Universidade do Oeste Paulista
    Fisioterapeuta, Doutora, Docente da Universidade do Oeste Paulista
  • Débora T. Resende e Silva, Universidade Federal Fronteira Sul
    Fisioterapeuta, Doutora, Coordenadora do projeto e Docente da Universidade Federal Fronteira Sul

Downloads

Publicado

2017-02-16

Edição

Seção

Artigo Original

Como Citar

1.
Corrêa TRMF, Cintra MMM, Paulino TP, Silva RCR, Resende e Silva DT. Avaliação da qualidade de vida de praticantes de ginástica laboral. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 16º de fevereiro de 2017 [citado 19º de julho de 2024];50(1):11-7. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/134996