Avaliação da cavidade nasal de camundongos submetidos à exposição ao herbicida ácido 2,4-diclorofenoxiacético

  • Fabíola de Azevedo Mello Universidade do Oeste Paulista
  • Giselle Quinallia Universidade do Oeste Paulista
  • Ana Carolina Marion Faculdade de Medicina, UNOESTE
  • Fernanda Cardoso Jorge Faculdade de Medicina, UNOESTE
  • Laura Monico Marinelli Faculdade de Medicina, UNOESTE
  • Ana Karina Marques Salge
  • Marcela de Andrade Bernal Fagiani Universidade do Oeste Paulista
  • Edson Assunção Mareco Universidade do Oeste Paulista
  • Ana Paula Alves Favareto Universidade do Oeste Paulista
  • Renata Calciolari Rossi e Silva Universidade do Oeste Paulista
Palavras-chave: Ácido 2,4-Diclorofenoxiacético, Inflamação, Mastócitos

Resumo

No último ano, o Brasil apresentou um aumento de 190% na utilização de agrotóxicos, o que implica em um grave problema de saúde pública. O ácido 2,4-diclorofenoxiacético possui classificação toxicológica I (extremamente tóxico) e por ser muito volátil, favorece a contaminação de solos, águas, animais e seres humanos. Modelo do estudo: Estudo Experimental. Objetivo: Analisar o infiltrado inflamatório de camundongos submetidos à nebulização aguda ao herbicida ácido 2,4-diclorofenoxiacético, em diferentes intervalos de tempo e concentrações. Métodos: Foram utilizados 80 camundongos Swiss machos divididos em quatro grupos (n=20): salina, baixa (3,71 x 10-3 gramas de ingrediente ativo por hectare), média (6,19 x 10-3 gramas de ingrediente ativo por hectare) e alta concentração (9,28 x10-3 gramas de ingrediente ativo por hectare). Todos os animais foram expostos às nebulizações preconizadas para cada grupo por 15 minutos, em diferentes intervalos de tempo: 24, 48, 72 e 192 horas. O protocolo de exposição contou com duas caixas ligadas a um nebulizador ultrassônico e o vestíbulo nasal de cada animal foi retirado após a eutanásia, para a análise histológica. Resultados: A contagem de mastócitos apresentou valores significativamente aumentados no grupo alta concentração, no intervalo de tempo de 48 horas, quando comparado ao de 24 horas. Conclusão: Os resultados mostraram que a exposição aguda ao herbicida ácido 2,4-diclorofenoxiacético aumenta a produção de mastócitos na cavidade nasal de animais expostos a altas concentrações, e que podem estar relacionados ao surgimento de reações alérgicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabíola de Azevedo Mello, Universidade do Oeste Paulista

Pós-graduação Strictu Sensu em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE)

Giselle Quinallia, Universidade do Oeste Paulista

Pós-graduação Strictu Sensu em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE)

Ana Karina Marques Salge

Faculdade de Enfermagem, Doutorado em Ciências da Saúde, Universidade Federal de Goiás

Marcela de Andrade Bernal Fagiani, Universidade do Oeste Paulista

Pós-Graduação Strictu Sensu em Ciência Animal, UNOESTE

Edson Assunção Mareco, Universidade do Oeste Paulista

Docente do Programa de Pós-graduação Strictu Sensu em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, UNOESTE

Ana Paula Alves Favareto, Universidade do Oeste Paulista

Docente do Programa de Pós-graduação Strictu Sensu em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, UNOESTE

Renata Calciolari Rossi e Silva, Universidade do Oeste Paulista

Docente do Programa de Pós-graduação Strictu Sensu em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, UNOESTE

Publicado
2018-12-27
Como Citar
1.
Mello F, Quinallia G, Marion AC, Jorge F, Marinelli L, Salge AK, Fagiani M, Mareco E, Favareto AP, Silva R. Avaliação da cavidade nasal de camundongos submetidos à exposição ao herbicida ácido 2,4-diclorofenoxiacético. RMRP [Internet]. 27dez.2018 [citado 24ago.2019];51(4):247-53. Available from: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/154919
Seção
Artigo Original