Mudanças no perfil da mulher vítima de violência sexual em uma capital do sul do Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.rmrp.2021.177038

Palavras-chave:

Violencia sexual, Mulheres, Epidemiologia

Resumo

Introdução: O perfil da mulher vítima de violência sexual deve ser conhecido para elaboração de medidas preventivas.
Objetivos: Avaliar o perfil epidemiológico e a aplicação do protocolo de atendimento para mulheres vítimas de violência sexual nos casos acolhidos no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie (HUEM), em Curitiba-PR.
Metodologia: Foram avaliados os dados da Ficha de Violência Interpessoal/Autoprovocada de mulheres com idade maior ou igual a 12 anos, acolhidas no serviço de atenção à vítima de violência sexual do HUEM em Curitiba-PR, entre janeiro de 2015 a dezembro de 2018. Foram buscados dados sociodemográficos da vítima, da ocorrência em si, clínicos e laboratoriais, sobre o provável autor da violência e sobre o retorno ao serviço.
Principais resultados: Foram estudadas 252 vítimas de violência sexual. No período, a idade das vítimas nos anos 2015 e 2016 (mediana de 19 anos) em relação aos anos 2017 e 2018 (mediana de 17 anos) reduziu de forma significativa (p=0,026). Já a escolaridade não influenciou a violência sexual (p=0,64) e ser solteira conferiu maior risco (p<0,0001; OR=16,1). O horário noturno foi o de maior risco (p<0,0001; OR=3,5). Dentre as vítimas com idade entre 12 e 18 anos, 63,6% dos agressores são conhecidos e nas maiores de 18 anos, 70,8% dos agressores são desconhecidos (p<0,0001). Observou-se que 46% das vítimas não retornaram para nenhuma das consultas previstas e apenas 1,6% cumpriram o protocolo de acompanhamento.
Conclusão: No período estudado, a redução significativa da idade apontou uma mudança no perfil demográfico da mulher vítima de violência sexual. Mesmo em um serviço de referência, a taxa de retorno ainda é muito baixa e são necessárias medidas para aumentar a adesão ao protocolo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Valle R, Bernabé-Ortiz A, Gálvez-Buccollini J, Gutiérrez C, Martins S. Intrafamilial and extrafamilial sexual assault and its association with alcohol consumption. Rev Saude Publica. 2018;52.

Labronici LM, Fegadoli D, Correa MEC. Significado da violência sexual na manifestação da corporeidade: um estudo fenomenológico. Rev da Esc Enferm. 2010;44(2):401–6.

Tarzia L, Thuraisingam S, Novy K, Valpied J, Quake R, Hegarty K. Exploring the relationships between sexual violence, mental health and perpetrator identity: A cross-sectional Australian primary care study. BMC Public Health. 2018;18(1)1410.

Conceição M, Costa O, Santos CAST. O perfil da violência contra crianças e adolescentes, segundo registros de Conselhos Tutelares: vítimas, agressores e manifestações de violência. Ciência & Saúde Coletiva, 12(5):1129-1141. https://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232007000500010

Souza C de M e, Adesse L. Violência sexual no Brasil: perspectivas e desafios. 2005 186p. Available from: http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=ADOLEC&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=429888&indexSearch=ID

Nacional P. Pesquisa Nacional de Vitimização Questionário SENASP Maio de 2013 Pesquisa Nacional de Vitimização Questionário SENASP. 2013; Available from: http://www.crisp.ufmg.br/wp-content/uploads/2013/10/Relat�rio-PNV-Senasp_final.pdf

Anuário Brasileiro de Segurança Pública [Internet]. 2017 [cited 2020 Sep 26]. Available from: www.forumseguranca.org.br

Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2018. Fórum Bras Segurança Pública [Internet]. 2018;1–90. Available from: http://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2019/03/Anuario-Brasileiro-de-Segurança-Pública-2018.pdf

Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2019. https://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2019/10/Anuario-2019-FINAL_21.10.19.pdf

Pinto LSS, de Oliveira IMP, Pinto ESS, Leite CBC, Melo A do N, de Deus MCBR. Políticas públicas de proteção à mulher: Avaliação do atendimento em saúde de vítimas de violência sexual. Ciencia e Saude Coletiva. 2017;22(5):1501–8.

Andrade, Rosires Pereira de. Violência sexual contra mulheres: aspectos médico, psicológicos, sociais e legais do atendimento. 2. ed. Curitiba: Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná, 2017.

Brasil. Ministério da Saúde. Ficha de Notificação de Violência Interpessoal/Autoprovocada [cited 2020 Sep 26]. Available from: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2015/julho/02/Ficha-Viol-5.1-Final_15.06.15.pdf

Andrade RP, Guimarães ACP, Fagotti Filho Á, Carvalho NS de, Arrabal JS, Rocha DM da, et al. Características Demográficas e Intervalo para Atendimento em Mulheres Vítimas de Violência Sexual. Rev Bras Ginecol e Obs. 2001;23(9):583–7.

Facuri C de O, Fernandes AM dos S, Oliveira KD, Andrade TDS, de Azevedo RCS. Violência sexual: Estudo descritivo sobre as vítimas e o atendimento em um service universitário de referência no estado de São Paulo, Brasil. Cad Saude Publica. 2013;29(5):889–98.

Nunes MCA, Lima RFF, Morais NA de. Violência Sexual contra Mulheres: um Estudo Comparativo entre Vítimas Adolescentes e Adultas. Psicol Ciência e Profissão. 2017;37(4):956–69.

Sousa TCC de, Coelho ASF, Mattos DV de, Valadares JG, Lima MRG de, Costa PS, et al. Características de mulheres vítimas de violência sexual e abandono de seguimento de tratamento ambulatorial. Cad Saúde Coletiva. 2019; 27(2):117–23. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-462X2019000200117&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Araujo RP de, Sousa FM da S, Feitosa VC, Coêlho DMM, Sousa M de FA e. Perfil sociodemográfico e epidemiológico da violência sexual contra as mulheres em Teresina/Piauí. Rev Enferm da UFSM. 2015;4(4):739–50.

Cerqueira D, Coelho D. Estupro no Brasil: uma radiografia segundo os dados da Saúde (versão preliminar). IPEA- Nota Técnica no 11 [Internet]. 2014;1–30. Available from: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=21842

Trigueiro TH, Merighi MAB, Medeiros ARP de, Ribeiro CEL, Mata NDS da, Jesus MCP de. Vítimas De Violência Sexual Atendidas Em Um Serviço De Referência. Cogitare Enferm. 2015;20(2):249–56.

Neto JA, Colas OR, Bianca G, Bertolani M. Assistência multiprofissional à vítima de violência sexual : a experiência da Universidade Federal de São Paulo Multidisciplinary care for victims of sexual assault : the experience at the Federal University in São Paulo, Brazil. Cad. Saúde Pública. 2007;23(2):459–64.

Publicado

2021-10-01

Como Citar

1.
Maluf GC, Donida IC, Francisco JAFC, Nisihara RM. Mudanças no perfil da mulher vítima de violência sexual em uma capital do sul do Brasil. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 1 de outubro de 2021 [citado 13 de agosto de 2022];54(2):e-177038. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/177038

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)