Práticas profissionais em instituições psiquiátricas: desafios para o atendimento humanizado e integra

Autores

  • João Mário Pessoa Júnior Universidade Federal Rural do Semi-Árido. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Departamento de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Cognição. Mossoró, (RN), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-2458-6643
  • Francisco de Sales Clementino Universidade Estadual da Paraíba. Programa de Pós-graduação em Saúde Pública. Campina Grande, (PB), Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8470-4694
  • Eliane Santos Cavalcante Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0001-9161
  • Albert Lengruber de Azevedo Universidade Federal do Rio de Janeiro. Escola de Enfermagem Anna Nery. Rio de Janeiro, (RJ), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-2977-9946
  • Ellany Gurgel Cosme do Nascimento 5Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Faculdade de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Saúde e Sociedade. Mossoró, (RN), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-4014-6242
  • Francisco Arnoldo Nunes de Miranda Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Centro de Ciências da Saúde. Departamento de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Natal, (RN), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8648-811X

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.rmrp.2022.191142

Palavras-chave:

Saúde mental, Recursos humanos, Hospitais psiquiátricos, Serviços de saúde mental

Resumo

Modelo de estudo: Estudo transversal de abordagem misto (quantitativa e qualitativa). Objetivo: Analisar as práticas de profissionais em hospitais psiquiátricos no atendimento a pessoas com transtornos mentais, com vistas a contribuir para a abordagem humanizada e itegral. Metodologia: Estudo realizado em dois hospitais psiquiátricos do Rio Grande do Norte, tendo como participantes 60 profissionais de saúde. Os dados quantitativos foram submetidos ao software estatístico e analisados através de estatística bivariada; e nos dado qualitativos, recorreu-se ao tratamento do software Alceste e a técnica de análise de conteúdo. Resultados: Observou-se o predomínio de práticas profissionais associadas a intervenções tradicionais no contexto da abordagem realizada, reforçados nos dois temas centrais, oriundos dos achados qualitativos, a saber: Práticas profissionais no hospital psiquiátricos: cotidianos e políticas, e, Entraves e caminhos para o atendimento integral e humanizado em instituições psiquiátricas. Conclusão: As práticas profissionais desenvolvidas no âmbito das instituições psiquiátricas apontam para o enfoque terapêutico biológico e individual, tendo em vista os desafios de articular um atendimento integral e humanizado condizente com as diretrizes propostas pelo movimento de reforma psiquiátrica brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Mário Pessoa Júnior, Universidade Federal Rural do Semi-Árido. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Departamento de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Cognição. Mossoró, (RN), Brasil.

Doutor

Francisco de Sales Clementino, Universidade Estadual da Paraíba. Programa de Pós-graduação em Saúde Pública. Campina Grande, (PB), Brasil.

Doutor.

Eliane Santos Cavalcante, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Brasil.

Doutora.

Albert Lengruber de Azevedo, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Escola de Enfermagem Anna Nery. Rio de Janeiro, (RJ), Brasil.

Doutor

Ellany Gurgel Cosme do Nascimento, 5Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Faculdade de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Saúde e Sociedade. Mossoró, (RN), Brasil.

Doutora.

Francisco Arnoldo Nunes de Miranda, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Centro de Ciências da Saúde. Departamento de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Natal, (RN), Brasil.

Pós-Doutor.

Referências

World Health Organization. Mental health: strengthening our response. 2016.

Organização Mundial da Saúde. Saúde mental. Brasília: OMS; 2020.

Brasil. Lei nº 10.216, de 06 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais redireciona o modelo assistencial em saúde mental. In: Diário Oficial da União. Brasília; 2001.

Brasil. Portaria n. 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da República Federativa do Brasil; 2013.

Moreira DJ, Bosi MLM. Qualidade do cuidado na Rede de Atenção Psicossocial: experiências de usuários no Nordeste do Brasil. Physis. 2019; 29(2): e290205.

Baptista JA, Camatta MW, Filippon PG, Schneider JF. Singular therapeutic project in mental health: na integrative review. Rev Bras Enferm. 2020 ; 73(2):e20180508.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria no 3.588, de 21 de dezembro de 2017. Altera as Portarias Consolidação no 3 e no 6, de 22 dezembro de 2017, para dispor sobre a RAPS, e dá outras providências. In: Diário Oficial da União. Brasília; 2017.

Brasil. Ministério da Saúde. Nota técnica nº 11/2019 de 04 de fevereiro de 2019. Esclarecimentos sobre as mudanças na Política Nacional de Saúde Mental e nas Diretrizes da Política Nacional sobre Drogas. Brasília: CGMAD/DAPES/SAS/MS; 2019.

Sousa FSP, Jorge MBS. O retorno da centralidade do hospital psiquiátrico: retrocessos recentes na política de saúde mental. Trab. educ. saúde. 2019; 17(1):e0017201.

Souza DS, Arena VCA, Carrara BS, Moll MF, Mendes IAC. Exercício dos direitos humanos de pessoas institucionalizadas: percepção de profissionais de hospitais psiquiátricos. Rev. Bras. Enferm. 2020; 73 (1): e20180519.

Toledo VS, Oliveira A, Pacheco I, Garcia APRF. Psychiatric patient safety: nursing team perception. Rev enferm UFPE on line. 2019;13:e242325.

Nunes MO, Lima Júnior JM, Portugal CM, Torrenté M. Reforma e contrarreforma psiquiátrica: análise de uma crise sociopolítica e sanitária a nível nacional e regional. Ciên saúde coletiva. 2019; 24(12):4489-4498.

Santos RCA, Pessoa Júnior JM, Miranda FAN. Rede de atenção psicossocial: adequação dos papéis e funções desempenhados pelos profissionais. Rev Gaúcha Enferm . 2018; 39, e5744.

Mota AS, Silva ALA, Souza AC. Educação permanente: Práticas e processos da enfermagem em saúde mental. Rev. port. enferm. saúde mental. 2016; (spe4): 9-16.

Pinho ES, Souza ACS, Esperidião E. Processos de trabalho dos profissionais dos Centros de Atenção Psicossocial: revisão integrativa. Ciên saúde coletiva. 2018; 23(1), 141-152.

Creswell JW, Clark VLP. Pesquisa de métodos mistos. 2. ed. Porto Alegre: Penso; 2013.

Brasil. Ministério da Saúde. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES.

Barbetta PA. Estatística Aplicada às Ciências Sociais. Santa Catarina (SC): Editora UFSC; 2007.

Furegato ARF, Osinaga VLM, Galera SAF, Pillon SC. Avaliação de instrumento para diagnóstico de atividades dos profissionais de saúde mental: estudo piloto. Cad Bras Saúde Mental. 2010; 2(3): 22-37.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa (PT): Edições 70; 2009.

Arcêncio, RA. Nursing as the profession of the future and the foundation of universal health systems. Rev Latino-Am Enfermagem. 2018;26:e3063.

Emerich F, Onocko-Campos R. Formação para o trabalho em Saúde Mental: reflexões a partir das concepções de Sujeito, Coletivo e Instituição. Interface (Botucatu). 2019; 23, e170521.

Rocha FLR., Gaioli CCLO, Camelo SHH, Mininel VA, Vegro TC. Cultura organizacional de um hospital psiquiátrico e resiliência dos trabalhadores de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2016; 69(5), 817-824.

Maftum MA, Pagliace AGS, Borba LO, Brusamarello T, Czarnobay J. Mudanças ocorridas na prática profissional na área da saúde mental frente à reforma psiquiátrica brasileira na visão da equipe de enfermagem. Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online). 2017; 9(2):309-314.

Cunha VCA, Galera, SAF. Perfil das equipes dos centros de atenção psicossocial de uma região do estado de minas gerais. Arq. ciências saúde. 2016; 23(1) 32-36.

Franzmann UT, Kantorski LP, Jardim VMR, Treichel CAS, Oliveira MM, Pavani FM. Fatores associados à percepção de melhora por usuários de Centros de Atenção Psicossocial do Sul do Brasil. Cad Saúde Pública. 2017; 33(7): e00085216.

Silva EV, Ribeiro MC, Souza MCS. O cuidado e os processos de trabalho em um hospital de custódia e tratamento psiquiátrico sob a perspectiva de seus trabalhadores. Cad. Bras. Ter. Ocup. 2018; 26(2): 315-327.

Ely GZ, Terra MG, Silva AA, Freitas FF, Leite MT, Brum BN. Percepções do ser humano internado em unidade psiquiátrica sobre o viver com doença mental. Texto & contexto enferm. 2017; 26(3):e0280016.

Almeida JMC. Política de saúde mental no Brasil: o que está em jogo nas mudanças em curso. Cad. Saúde Pública. 2019; 35(11): e00129519.

Publicado

2022-12-27

Como Citar

1.
Pessoa Júnior JM, Clementino F de S, Cavalcante ES, Azevedo AL de, Nascimento EGC do, Miranda FAN de. Práticas profissionais em instituições psiquiátricas: desafios para o atendimento humanizado e integra. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 27 de dezembro de 2022 [citado 1 de março de 2024];55(4):e-191142. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/191142

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)