Perfil das condições de saúde das idosas quilombolas no município de Bequimão, Maranhão: dados do IQUIBEQ

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.rmrp.2022.198071

Palavras-chave:

Idosos, Saúde da mulher, Saúde da população negra, Grupo com ancestrais do Continente Africano, Inquéritos de saúde

Resumo

Objetivo: analisar as condições de saúde de mulheres idosas quilombolas residentes em uma cidade do interior do estado do Maranhão, Brasil. Método: Trata-se de um estudo transversal, de base domiciliar realizado em 11 comunidades remanescentes de quilombolas no Município de Bequimão, Maranhão. Realizou-se o censo da população de idosos quilombolas, que foi representada por 132 mulheres idosas ≥60 anos de idade. Os dados foram analisados no programa Stata® versão 14, com técnicas de estatística descritiva. Resultados: a mediana das idosa foi de 70 a 79 anos, (61,4%) se declarava na cor/raça preta; (32,6%) eram viúvas, 53,8% das mulheres não sabem ler e escrever. Quanto à situação de saúde, em relação às condições crônicas, 60,6% referiam acometimento por duas ou mais, 38,8% realizaram exame preventivo para câncer de colo do útero há, pelo menos, 3 anos. A maioria das idosas nunca realizou uma mamografia (67,2%) e nunca tinham sido submetidas a um exame clínico das mamas (56,9%). Conclusão: A maioria das idosas quilombolas vivem em precária situação socioeconômica, sanitária e de saúde, entre eles, a prevalência de multimorbidade foi elevada.

 

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Claudia Silva Pinto, Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro, Pinheiro, (MA), Brasil

    Enfermeira

  • Getúlio Rosa dos Santos Junior, Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro, Pinheiro, (MA), Brasil

    Enfermeiro

  • Rosiany Pereira da Silva, Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro, Pinheiro, (MA), Brasil

    Enfermeira

  • Bruno Luciano Carneiro Alves de Oliveira , Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro, Pinheiro, (MA), Brasil

    Docente

  • Francisca Bruna Arruda Aragão, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, (SP), São Paulo, Brasil

    Doutoranda

  • Andressa Rayane Viana Barros, Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro, Pinheiro, (MA), Brasil

    Enfermeira

  • Andréa Suzana Vieira Costa, Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro, Pinheiro, (MA), Brasil

    Enfermeira

Referências

Kalache, A., Silva, A. D., Giacomin, K. C., Lima, K. C. D., Ramos, L. R., Louvison, M., & Veras, R. (2020). Envelhecimento e desigualdades: políticas de proteção social aos idosos em função da pandemia Covid-19 no Brasil. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 23.

Tavares, R. E., Jesus, M. C. P. D., Machado, D. R., Braga, V. A. S., Tocantins, F. R., & Merighi, M. A. B. (2017). Envelhecimento saudável na perspectiva de idosos: uma revisão integrativa. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, 20, 878-889.

Veras, R. P., & Oliveira, M. (2018). Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciência & saúde coletiva, 23, 1929-1936.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeção da população por sexo e idade - Indicadores implícitos na projeção - 2021/2059. [Internet]. 2021,27 de novembro. pesquisado em https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/index.html.

Ferretti, F., Nierotka, R. P., & da Silva, M. R. (2011). Health conception according to reports of elderly people living in an urban environment/Concepcao de saude segundo relato de idosos residentes em ambiente urbano/Concepcion de salud segun relato de ancianos que residen en el ambiente urbano. Interface: Comunicação Saúde Educação, 15(37), 565-573.

Küchemann, B. A. (2012). Envelhecimento populacional, cuidado e cidadania: velhos dilemas e novos desafios. Sociedade e estado, 27, 165-180.

Werneck, J. (2016). Racismo institucional e saúde da população negra. Saúde e Sociedade, 25, 535-549.

Oliveira BLCA, Thomaz EBAF, Silva RA. Associação da cor/raça aos indicadores de saúde para idosos no Brasil: um estudo baseado na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (2008). Cad Saúde Pública 2014; 30(7): 1438-52

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Dados do Censo 2010 publicados no Diário Oficial da União do dia 04/11/2010. Disponível em: http://www.censo2010.ibge.gov.br/dados_divulgados/index.php?uf=31. Acesso em: 31 jan. 2019.

Costa, A. S. V., dos Santos Rodrigues, L., de Deus Cabral, J., Coimbra, L. C., & de Oliveira, B. L. C. A. (2021). Survey of the living conditions and health status of older persons living in Quilombola communities in Bequimão, Brazil: the IQUIBEQ Project. Journal of Public Health, 29(5), 1061-1069.

Lopes, R. D. C. D. (2020). Identidade e territorialidade na comunidade remanescente de quilombo Ilha de São Vicente–Tocantins.

Santos, R. C. D., & Silva, M. S. (2014). Condições de vida e itinerários terapêuticos de quilombolas de Goiás1. Saúde e Sociedade, 23, 1049-1063..

Batista, L. E., Monteiro, R. B., & Medeiros, R. A. (2013). Iniquidades raciais e saúde: o ciclo da política de saúde da população negra. Saúde em Debate, 37, 681-690.

Oliveira, B. L. C. A., Silva, A. M. D., Rodrigues, L. D. S., & Rêgo, A. S. (2016). O uso da modelagem com equações estruturais na análise da influência da cor/raça e status socioeconômico na saúde de idosos brasileiros. Rev Bras Cienc Saúde [Internet], 20(2), 149-56.

Oliveira, S. K. M., Pereira, M. M., Guimarães, A. L. S., & Caldeira, A. P. (2015). Autopercepção de saúde em quilombolas do norte de Minas Gerais, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 20, 2879-2890.

dos Santos Tavares, D. M., dos Santos Ferreira, P. C., Dias, F. A., de Morais Souza, L., Gonçalves, J. R. L., & Rodrigues, L. R. (2017). Aspectos sociodemográficos e desempenho cognitivo de idosos residentes na zona rural. Avances en Enfermería, 35(3), 275-283.

Bezerra, V. M., Medeiros, D. S. D., Gomes, K. D. O., Souzas, R., Giatti, L., Steffens, A. P., ... & Guimarães, M. D. C. (2014). Inquérito de Saúde em Comunidades Quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil (Projeto COMQUISTA): aspectos metodológicos e análise descritiva. Ciência & Saúde Coletiva, 19, 1835-1847..

Carvalho, R. M. A., & da Costa Lima, G. F. (2013). Comunidades quilombolas, territorialidade e legislação no Brasil: uma análise histórica. Política & Trabalho, (39).

Girardi, S. N., Carvalho, C. L., Araújo, J. F., Farah, J. M., Wan der Maas, L., & Campos, L. A. D. (2011). Índice de escassez de médicos no Brasil: estudo exploratório no âmbito da Atenção Primária. Pierantoni CR, Dal Poz MR, França T, organizadores. O trabalho em saúde: abordagens quantitativas e qualitativas. Rio de Janeiro: Cepesc/IMS/UERJ, ObservaRH, 171-186.

Garnelo, L., Lima, J. G., Rocha, E. S. C., & Herkrath, F. J. (2018). Acesso e cobertura da Atenção Primária à Saúde para populações rurais e urbanas na região norte do Brasil. Saúde em Debate, 42, 81-99.

Kochergin, C. N., Proietti, F. A., & César, C. C. (2014). Comunidades quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil: autoavaliação de saúde e fatores associados. Cadernos de Saúde Pública, 30, 1487-1501..

.

Tavares, V. O., Teixeira, K. D., Wajnman, S., & de Loreto, M. D. D. S. (2011). Interfaces entre a renda dos idosos aposentados rurais e o contexto familiar. Textos & Contextos (Porto Alegre), 10(1), 94-108.Santos, M. B. D., & Ribeiro, S. A. (2011). Dados sociodemográficos e condições de saúde de idosas inscritas no PSF de Maceió, AL. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, 14, 613-624.

Miranda, L. D. P., Oliveira, T. L., Queiroz, P. D. S. F., Oliveira, P. S. D., Fagundes, L. S., & Rodrigues, J. F. (2020). Saúde bucal e acesso aos serviços odontológicos em idosos quilombolas: um estudo de base populacional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 23.

Oliveira MB, Lopes FF, Rodrigues VP, Alves CMC, Hugo FN. Associação entre fatores socioeconômicos, comportamentais, saúde geral e condição da mucosa bucal em idosos. Ciênc Saúde Colet. 2018;23(11):3663-74.

Oliveira, M. B., Lopes, F. F., Rodrigues, V. P., Alves, C. M. C., & Hugo, F. N. (2018). Associação entre fatores socioeconômicos, comportamentais, saúde geral e condição da mucosa bucal em idosos. Ciência & Saúde Coletiva, 23, 3663-3674.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. Diretrizes brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. – 2. ed. rev. atual. – Rio de Janeiro: INCA, 2016. 114p

Publicado

2022-12-27

Edição

Seção

Artigo Original

Como Citar

1.
Pinto CS, Santos Junior GR dos, Silva RP da, Oliveira BLCA de, Aragão FBA, Barros ARV, et al. Perfil das condições de saúde das idosas quilombolas no município de Bequimão, Maranhão: dados do IQUIBEQ. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 27º de dezembro de 2022 [citado 19º de julho de 2024];55(4):e-198071. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/198071