Estudo comparativo das complicações vasculares arteriais e biliares no transplante hepático pediátrico com doador vivo e cadavérico

Autores

  • Bruna N. Achar Universidade Cidade de São Paulo(UNICID)
  • Niklas S. Campos Universidade Metropolitanade Santos
  • Renata N. Achar Universidade Lusiadas
  • Eduardo Achar Universidade Cidade de São Paulo - UNICID
  • Marcelo Augusto F. Ribeiro Junior Universidade de Santo Amato (UNISA)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v44i2p172-176

Palavras-chave:

Transplante de Fígado. Pediatria. Transplante/complicações. Doadores Vivos. Doadores cadavéricos. Doação Dirigida de Tecido. Cadaver.

Resumo

Introdução: O transplante de fígado melhorar significativamente a taxa de sobrevivência de crianças eadolescentes com doença hepática terminal.Os pacientes, uma vez que tinha um prognóstico fatal, hojepodem ser submetidos a transplante de fígado (TF), com taxas de sobrevida de aproximadamente 90%em um ano. A atresia biliar é a principal indicação para a população pediátrica e para aqueles sofreramuma portoenterostomia e não obtiveram bons resultados com a mesma, representando mais de 50%das crianças menores de 2 anos na Europa e nos EUA. O transplante representa a única opção restantede sobrevivência com um bom benefício terapêutico. Os avanços nos cuidados cirúrgicos e clínicos,levaram a melhoria das técnicas para aumentar a sobrevida dos pacientes submetidos a transplante defígado. Porém, a hemorragia e as complicações biliares representam o tendão de Aquiles do desenvolvimento deste processo.Além disso, a escassez de órgãos para a população pediátrica motiva o desenvolvimento de novas modalidades de enxertos de fígado, como a redução do enxerto de fígado, otransplante de fígado dividido, e mais recentemente o de doadores vivos. As complicações arteriais ebiliares continuam a ser uma importante causa de morbidade, mortalidade e perda do enxerto após otransplante. Objetivo: Avaliar as complicações mais frequentes relacionadas às anastomoses biliarese arteriais do transplante hepático pediátrico com doadores vivos e com doadores cadavéricos. Métodos: Pesquisa no Pubmed e Lilacs para reunir dados de complicações hepáticas relacionadas comtransplante pediátrico entre 1999 e 2009. Resultados: Neste estudo de 1485 transplantes de fígadoutilizando doadores cadavéricos e 505 utilizando dadores vivos, os dados foram coletados e analisadosestatisticamente. Ao analisar as complicações arteriais e biliares no transplante hepático pediátrico emintervivos utilizando enxertos, as taxas de fístula biliar foram de 14,7%, 3,1%, e de estenoses biliares etromboses arteriais de 3,3%. Ao analisar os dados de doadores cadavéricos foi observado que as taxasde trombose arterial foram de 5,7%, 3,7% de estenoses biliares, e 2,5% de fístulas biliares. Os dadosforam analisados e comparados entre os dois grupos de doadores vivos e  cadavéricos, e os resultados foram: fístula biliar (P = 0,0486)*, estenose biliar (P = 0,5167) e trombose da artéria hepática(P =0,6752). Conclusão: A fístula e a estenose representam as complicações biliares mais frequentes,especialmente na vigência do uso de doadores vivos. Por outro lado, as complicações arteriais maisfrequentes  acontecem no grupo submetido a enxertos de doadores cadavéricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna N. Achar, Universidade Cidade de São Paulo(UNICID)

Acadêmica de Medicina Universidade Cidade de São Paulo(UNICID)

Niklas S. Campos, Universidade Metropolitanade Santos

Acadêmico de Medicina Universidade Metropolitanade Santos

Renata N. Achar, Universidade Lusiadas

Acadêmica de Medicina Universidade Lusiadas

Eduardo Achar, Universidade Cidade de São Paulo - UNICID

Docente, Habilidades cirúrgicas, Departamento de Medicina, Universidade Cidade de São Paulo - UNICID

Marcelo Augusto F. Ribeiro Junior, Universidade de Santo Amato (UNISA)

Docente de Cirurgia Geral, Coordenador do Nú-cleo de Clinica Cirúrgica e Coordenador do Curso de Medicinada Universidade de Santo Amato (UNISA)

Downloads

Publicado

2011-06-30

Como Citar

1.
Achar BN, Campos NS, Achar RN, Achar E, Ribeiro Junior MAF. Estudo comparativo das complicações vasculares arteriais e biliares no transplante hepático pediátrico com doador vivo e cadavérico. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de junho de 2011 [citado 6 de dezembro de 2022];44(2):172-6. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/47357

Edição

Seção

Artigo de Revisão
Bookmark and Share