Comparação entre as necessidades energéticas prescritas e administradas a pacientes em terapia nutricional enteral

Autores

  • Claudia R.P. Detregiachi Universidade Estadual Paulista - UNESP - Botucatu
  • Karina R. Quesada Universidade de Marília - Unimar
  • Dayane E. Marques Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v44i2p177-184

Palavras-chave:

Terapia nutricional. Nutrição enteral. Estado nutricional. Necessidades nutricionais. Hospitalização.

Resumo

Objetivo: comparar a adequação, prescrição e oferta energética da terapia de nutrição enteral empacientes hospitalizados. Metodologia: foi realizado um levantamento retrospectivo do protocolo deevolução de TNE de 59 pacientes hospitalizados em um hospital geral da cidade de Marília/SP/BR. Osdados coletados incluíram: sexo, idade, diagnóstico clínico, dados antropométricos e dietéticos referentes a fórmula dietética prescrita, via e método de administração da nutrição enteral, o volume diárioprescrito e o administrado da mesma, valor diário de energia prescrito e ofertado da dieta, assim comoas intercorrências. Para avaliar o estado nutricional dos pacientes utilizou-se o índice de massa corporal (IMC), dobra cutânea tricipital (DCT) e circunferência muscular do braço (CMB). A adequação da TNEfoi avaliada com base na necessidade energética diária comparada com o valor energético médiorecebido diariamente durante o período de uso da TNE. Resultados: Quanto ao IMC, a média encontrada entre os pacientes avaliados foi de 21,4 kg/m2, não havendo diferença entre os sexos. Os dados daDCT e CMB apresentaram diferença entre os sexos (p<0,05) e nos sugerem maior comprometimentoda massa muscular em relação ao tecido adiposo. A necessidade energética média foi de 1642 kcal/dia. Entretanto a média de energia prescrita foi de 1045 kcal/dia e a ofertada foi de 1035 Kcal/dia.Verificou-se uma diferença significativa entre a necessidade e a oferta energética por meio da nutriçãoenteral (p<0,05) assim como entre ao valor energético necessário e o prescrito (p<0,05), ficando ambosaquém da necessidade. Não houve diferença significativa (p>0,05) nos parâmetros de oferta energética, volumes de NE prescrito e administrado entre os pacientes eutróficos, com baixo peso ou comexcesso de peso. Conclusão: Os resultados deste estudo indicam que a prescrição e a oferta energé-tica não foram baseadas nas necessidades destes pacientes, acarretando um déficit energético importante, que pode levar ao agravo do estado nutricional dos mesmos. Em pacientes hospitalizados emuso de TNE, a prescrição energética deve ser feita pelo profissional habilitado dentro da equipe multidisciplinar, tendo como base as necessidades de cada paciente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia R.P. Detregiachi, Universidade Estadual Paulista - UNESP - Botucatu

Docente da Universidade Estadual Paulista - UNESP - Botucatu e da Universidade de Marília - UNIMAR. Pós-doutoranda - Universidade Estadual Paulista - Unesp - Botucatu, Brasil

Karina R. Quesada, Universidade de Marília - Unimar

Docente da Universidade de Marília - Unimar e UniversidadePaulista - Unip - Assis, Brasil. Mestranda Alimentos e Nutrição:Ciências Nutricionais - Universidade Estadual Paulista - Unesp -Araraquara, Brasil.

Dayane E. Marques, Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA

Nutricionista. Aprimoranda de Nutrição Clínica - Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA -Marília, Brasi

Downloads

Publicado

2011-06-30

Como Citar

1.
Detregiachi CR, Quesada KR, Marques DE. Comparação entre as necessidades energéticas prescritas e administradas a pacientes em terapia nutricional enteral. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de junho de 2011 [citado 9 de dezembro de 2022];44(2):177-84. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/47358

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)