Estado nutricional avaliado por medidas antropométricas em pré-escolares atendidos pelo Programa de Saúde da Família de Ribeirão Preto - SP

Autores

  • Marina M. Ferreira-Marim Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo
  • Amaury L. D. Fabbro Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo - FMRP-USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v45i1p23-30

Palavras-chave:

Estado nutricional. Pré-escolares. Prevalência. Nutrição Infantil. Antropometria.

Resumo

Modelo de estudo: transversal descritivoObjetivo: avaliar o estado nutricional de pré-escolares através de medidas antropométricas. Metodologia: Foram coletadas medidas de peso, altura, pregas cutâneas e circunferências, além de dadosantropométricos do nascimento e dados sobre amamentação, de uma amostra representativa dos pré-escolares com idade entre 2 e 5 anos, de ambos os sexos, pertencentes à famílias cadastradas noPrograma de Saúde da Família vinculado ao Centro de Saúde Escola da Faculdade de Medicina deRibeirão Preto- SP.Resultados: Os dados obtidos mostraram a presença de 11% das crianças em vigilância para baixoIMC por idade, 16,8% em vigilância para elevado IMC para idade e 9% com excesso de peso, sendo osdados de IMC acima do adequado para idade, mais prevalentes nos meninos (p=0,03). Todas asmedidas de circunferências se diferenciaram entre os grupos com baixo, adequado ou elevado IMCpara idade e foram maiores no grupo de crianças com IMC elevado para idade (p<0,01). As medidas depregas cutâneas, bem como a porcentagem de gordura corporal, também apresentaram maiores valores para o grupo das crianças consideradas com IMC elevado para idade, porém não se diferenciaramentre as crianças dos grupos com IMC baixo ou adequado para idade. Quanto aos dados referentes aoperíodo de nascimento e amamentação, a idade da mãe em relação ao nascimento da criança nãovariou entre os grupos, bem como os períodos de amamentação exclusiva e total. No entanto, o comprimento ao nascer tendeu a ser maior no grupo de excesso de peso (p=0,22) e o peso ao nascer variousignificativamente (p=0,04) entre os grupos sendo menor no grupo de crianças com baixo IMC paraidade.Conclusões: O estudo permitiu observar mais crianças com IMC elevado para idade ou com excesso depeso que crianças com baixo IMC para idade, além disto, todas as medidas antropométricas e aporcentagem de gordura corporal foram maiores nas crianças com maiores valores de IMC para idade.Estes dados concordam com as prevalências nacionais de obesidade infantil e contribuem para omapeamento da transição nutricional em curso no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina M. Ferreira-Marim, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Nutricionista. Programa de Mestrado em Saúde da Comunidade. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Amaury L. D. Fabbro, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo - FMRP-USP

Departamento de Medicina Social. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo - FMRP-USP

Downloads

Publicado

2012-03-30

Como Citar

1.
Ferreira-Marim MM, Fabbro ALD. Estado nutricional avaliado por medidas antropométricas em pré-escolares atendidos pelo Programa de Saúde da Família de Ribeirão Preto - SP. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de março de 2012 [citado 7 de fevereiro de 2023];45(1):23-30. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/47482

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share