Perfil do estado de saúde de mulheres climatéricas

Autores

  • Roberta D.S. Santos Universidade de São Paulo
  • Flávia G.D. Carvalho Universidade Estadual Paulista
  • Tatiana P. Lima Universidade de São Paulo - USP
  • Riana L. Viegas
  • Angélica Faria
  • Vivian M. M. Suen Universidade de São Paulo
  • Anderson M. Navarro Universidade de São Paulo
  • Renata Iannetta Universidade de São Paulo
  • Carla B. Nonino Universidade de São Paulo
  • Julio S. Marchini Universidade de São Paulo
  • Odilon Iannetta Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v45i3p310-317

Palavras-chave:

Climatério. Menopausa. Hipertensão. Diabetes Mellitus. Dislipidemias. Obesidade.

Resumo

Modelo do estudo: Estudo retrospectivo com análise de dados de prontuário.Objetivo: O presente estudo teve por objetivo verificar a freqüência de obesidade, diabetes mellitus,hipertensão arterial e dislipidemia em um grupo de mulheres climatéricas.Metodologia: Estudo das primeiras pacientes atendidas no Ambulatório do Climatério (ACLI) do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto -USP, no período de1983 a 2007. De fevereiro a abril de 2008 foram coletados dados de peso, estatura, Índice de MassaCorporal (IMC), grupo biológico, diagnóstico de hipertensão, diabetes e dislipidemia.Resultados: De 1983 a 2007, 400 pacientes tiveram seguimento no Ambulatório (ACLI), e 272 apresentavam seus prontuários com os dados do presente estudo devidamente registrados. Dessas 272pacientes, foram selecionadas 628 consultas, sendo que, portanto, em média, cada mulher teve trêsretornos. Estas mulheres tinham idade mínima de 29 e máxima de 80 anos, com IMC mediano acimade 25 kg/m2. O diagnóstico de diabetes, hipertensão e dislipidemia foi detectado em, respectivamente:32%, 68% e 54% dos casos.Conclusão: Mulheres climatéricas atendidas em um hospital de nível de atendimento terciário apresentaram um aumento do IMC e da prevalência de doenças crônicas não transmissíveis com o passar dotempo, o que faz urgir um olhar mais atento dos profissionais de saúde a esse grupo populacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta D.S. Santos, Universidade de São Paulo

Doutoranda pela Universidade de São Paulo - Campus Ribeirão Preto

Flávia G.D. Carvalho, Universidade Estadual Paulista

Doutoranda pela Universidade Estadual Paulista, UNESP- Campus Araraquara.

Tatiana P. Lima, Universidade de São Paulo - USP

Mestranda pela Universidade de São Paulo, USP- Campus Ribeirão Preto.

Riana L. Viegas

Nutricionista

Angélica Faria

Nutricionista

Vivian M. M. Suen, Universidade de São Paulo

Médica associada ao Departamento de Clínica Médica, Universidade de São Paulo, Campus Ribeirão Preto.

Anderson M. Navarro, Universidade de São Paulo

Docente. Curso de Nutrição e Metabolismo, Universidade de São Paulo - Campus Ribeirão Preto

Renata Iannetta, Universidade de São Paulo

Doutoranda pela Universidade de São Paulo - Campus Ribeirão Preto

Carla B. Nonino, Universidade de São Paulo

Docente. Curso de Nutrição e Metabolismo, Universidade de São Paulo - Campus Ribeirão Preto

Julio S. Marchini, Universidade de São Paulo

Docente. Curso de Ciências Médicas, Universidade de São Paulo - Campus Ribeirão Preto

Odilon Iannetta, Universidade de São Paulo

Docente. Curso de Ciências Médicas, Universidade de São Paulo - Campus Ribeirão Preto

Downloads

Publicado

2012-09-30

Como Citar

1.
Santos RD, Carvalho FG, Lima TP, Viegas RL, Faria A, Suen VMM, Navarro AM, Iannetta R, Nonino CB, Marchini JS, Iannetta O. Perfil do estado de saúde de mulheres climatéricas. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de setembro de 2012 [citado 15 de junho de 2021];45(3):310-7. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/47664

Edição

Seção

Artigo de Revisão
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)