Hanseníase: pauci e multibacilares estão sendo diferentes?

Autores

  • Maria Júlia Izzo Crespo Pontíficia Universidade Católica -Campinas
  • Aguinaldo Gonçalves Pontíficia Universidade Católica -Campinas
  • Carlos Roberto Padovani Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v47i1p43-50

Palavras-chave:

Hanseníase, Hanseníase/epidemiologia, Perfil Epidemiológico, Classificação. Hanseníase Paucibacilar, Hanseníase multibacilar

Resumo

Modelo do estudo: Estudo observacional descritivo transversal. Introdução: A estratégia atual de controle da hanseníase preconizada pela Organização Mundial da Saúde é baseada no respectivo tratamento segundo classificação operacional, se multibacilar ou paucibacilar. Objetivo: Comparar perfis de hansenianos de ambas as formas atendidos em Unidade Hospitalar. Metodologia: Coleta de dados em Fichas de Investigação de Hanseníase do Sistema de Informação de Agravos de Notificação, no Hospital e Maternidade Celso Pierro, PUC Campinas, anos 2007 a 2011. Registro em planilha codificada, armazenamento em banco de dados específico, e processamento estatístico por meio do SPSS. Associações de variáveis investigadas pela prova de Goodman para contraste entre e intra populações multinomiais e pelo teste não-paramétrico de Mann-Whitney, ao nível de 5% de significância. Resultados: Averiguaram-se 57 casos novos, obtendo-se 14 paucibacilares e 43 multibacilares com indicadores compatíveis com o esperado. No entanto, constataram-se, entre as inconsistências apuradas: i) cinco registros de recidiva, os quais não se confirmaram nosograficamente; ii) caso multibacilar tratado como paucibacilar; iii) quanto a modo de detecção, frequências assemelhadas de encaminhamento e demanda espontânea entre os multibacilares; iv) predomínio de grau zero de incapacidade entre paucibacilares, majoritariamente tuberculóides. Conclusões: Estes resultados indicam a necessidade de vigilância epidemiológica permanente visando à interlocução entre a rede básica e os centros de referência quanto aos procedimentos de controle, com vistas à adequação da gestão técnica dos respectivos Serviços de Saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Júlia Izzo Crespo, Pontíficia Universidade Católica -Campinas

Acadêmica de Medicina, Bolsista do CNPq e da Fundação de Apoio à Pesquisa e Iniciação Científica, Pontificia Universidade Católica -Campinas

Aguinaldo Gonçalves, Pontíficia Universidade Católica -Campinas

Docente Pesquisador, Coordenador, Grupo de Epidemiologia e Saúde, Faculdade de Medicina, Centro de Ciências da Vida, Pontíficia Universidade Católica -Campinas

Carlos Roberto Padovani, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Professor Titular, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP), Campus de Botucatu

Downloads

Publicado

2014-03-30

Como Citar

1.
Crespo MJI, Gonçalves A, Padovani CR. Hanseníase: pauci e multibacilares estão sendo diferentes?. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de março de 2014 [citado 7 de fevereiro de 2023];47(1):43-50. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/80097

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)