Visão binocular

estrabismos

Autores

  • Harley Edison Amaral Bicas Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v30i1p27-35

Palavras-chave:

Ambliopia, Estrabismo, Percepção de Profundidade, Visão Binocular

Resumo

O poder de reconhecimento tridimensional do espaço (estereopsia), efeito da anteriorização dos eixos visuais ocorrida na filogênese, é criticamente discutido e as conseqüências da superposição dos campos visuais (diplopia, confusão e supressão) são explicadas. Para o funcionamento normal da visão binocular, torna-se necessário um sistema oculomotor que garanta a adequação posicional dos olhos a cada objeto de atenção visual, isto é, possa dar movimentos oculares ajustados (conjugados). Os componentes desse sistema (nervos, músculos e suas ações), as leis que o regem e modalidades de compensação, assim como seus defeitos (estrabismos) e as perdas visuais associadas (ambliopia, correspondência visual anômala, lesões de vias aferentes) são analisadas. Finalmente, com respeito aos desequilíbrios oculomotores (estrabismos e heteroforias) descrevem-se seus tipos e nomenclatura, etiopatogenia e tratamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1997-03-30

Como Citar

1.
Bicas HEA. Visão binocular: estrabismos. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de março de 1997 [citado 24 de outubro de 2021];30(1):27-35. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/810

Edição

Seção

Simpósio: Oftalmologia para o clínico
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)