Efeitos do treinamento físico sobre a pressão arterial, frequência cardíaca e morfologia cardíaca de ratos hipertensos

Autores

  • Karla F. Goessler Universidade Estadual de Maringá. Centro de Educação Física e Esportes. Departamento de Educação Física
  • Marli C. Martins-Pinge Universidade Estadual de Londrina. Centro de Ciências Biológicas. Departamento de Ciências Fisiológicas
  • Natalia V. da Cunha Universidade Estadual de Londrina. Centro de Ciências Biológicas. Departamento de Ciências Fisiológicas
  • Marlusa Karlen-Amarante Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Departamento de Fisiologia
  • Marcos D. Polito Universidade Estadual de Maringá. Centro de Educação Física e Esportes. Departamento de Educação Física

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v48i1p87-98

Palavras-chave:

Treinamento/Natação, Óxido Nítrico, Hipertensão, Sistema Cardiovascular.

Resumo

O objetivo desse estudo foi verificar o efeito da natação sobre as alterações morfológicas cardíacas e hemodinâmicas de ratos com hipertensão induzida por L-NAME. Quarenta ratos Wistar foram divididos nos grupos: controle sedentário (CS), controle treinado (CT), sedentário com L-NAME (LS) e treinado com L-NAME (LT). Os animais treinados realizaram natação por até 60 min durante quatro semanas. Os animais dos grupos L-NAME receberam 20 mg.kg-1 também durante quatro semanas. O grupo LS apresentou maiores valores de PAM (136,6±5,1 mmHg) comparado ao CS (107,1±1,8 mmHg). O grupo LT apresentou reduções na PAM comparado ao LS (121,2±1,4 e 136,6±5,1 mmHg, respectivamente). Por outro lado, os LT ainda permaneceram hipertensos comparados ao CT (121,0±1,4 e 107,1±1,8 mmHg, respectivamente). Em relação à FC, houve bradicardia de repouso para os animais treinados. Os grupos CS e CT não apresentaram alterações no peso relativo e absoluto do coração. Houve aumento do peso absoluto do coração para o grupo LS comparado ao CS e também se observou aumento para o peso relativo e absoluto do coração para o grupo LT comparado ao CT. A análise histológica demonstrou que o treinamento físico pode reduzir a quantidade de lesões provocadas pela administração crônica de LNAME. Conclui-se que a natação foi eficiente em reduzir a PAM de animais hipertensos, mas não reduziu em animais normotensos. Adicionalmente, o treinamento físico não promoveu hipertrofia cardíaca, mas a administração de L-NAME aumentou o peso absoluto e relativo do coração em animais sedentários e treinados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karla F. Goessler, Universidade Estadual de Maringá. Centro de Educação Física e Esportes. Departamento de Educação Física

Departamento de Educação Física, Centro de Educação Física e Esportes, Universidade Estadual de Londrina. Programa de Pós-graduação Associado em Educação Física UEM/UEM.

Marli C. Martins-Pinge, Universidade Estadual de Londrina. Centro de Ciências Biológicas. Departamento de Ciências Fisiológicas

Departamento de Ciências Fisiológicas, Centro de Ciências Biológicas, Universidade Estadual de Londrina. Programa de Pós-graduação Multicêntrico em Ciências Fisiológicas – Universidade Estadual de Londrina.

Natalia V. da Cunha, Universidade Estadual de Londrina. Centro de Ciências Biológicas. Departamento de Ciências Fisiológicas

Departamento de Ciências Fisiológicas, Centro de Ciências Biológicas, Universidade Estadual de Londrina. Programa de Pós-graduação Multicêntrico em Ciências Fisiológicas – Universidade Estadual de Londrina.

Marlusa Karlen-Amarante, Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Departamento de Fisiologia

Departamento de Fisiologia, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. Programa de Pós-graduação em Fisiologia – Universidade de São Paulo.

Marcos D. Polito, Universidade Estadual de Maringá. Centro de Educação Física e Esportes. Departamento de Educação Física

Departamento de Educação Física, Centro de Educação Física e Esportes, Universidade Estadual de Londrina. Programa de Pós-graduação Associado em Educação Física UEM/UEM.

Downloads

Publicado

2015-02-28

Como Citar

1.
Goessler KF, Martins-Pinge MC, Cunha NV da, Karlen-Amarante M, Polito MD. Efeitos do treinamento físico sobre a pressão arterial, frequência cardíaca e morfologia cardíaca de ratos hipertensos. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 28 de fevereiro de 2015 [citado 3 de dezembro de 2021];48(1):87-98. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/97017

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share