Hospitalidade e Competitividade em Áreas Protegidas

evidências de um estudo de casos múltiplos

  • Ruan Tavares Ribeiro Universidade Federal do Maranhão
  • Airton José Cavenaghi Universidade Anhembi Morumbi
  • Elizabeth Kyoko Wada Universidade Anhembi Morumbi
Palavras-chave: Hospitalidade, Stakeholders, Serviços, Competitividade, Áreas Protegidas

Resumo

Este artigo analisa as relações de hospitalidade entre a gestão de unidades de conservação e seus stakeholders envolvidos com o turismo, com ênfase em suas possíveis influências na competitividade dos destinos. Os objetos de estudo são três áreas protegidas localizadas no Nordeste brasileiro: Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, Parque Nacional de Jericoacoara e a Área de Proteção Ambiental Delta do Parnaíba. Foi desenvolvido um estudo de casos múltiplos, com abordagens qualitativa e quantitativa, tendo como fontes de evidências entrevistas semiestruturadas, observação assistemática e survey. Verificou-se que há uma relação de dependência de stakeholders, como a dos condutores de turismo com a gestão desses locais, por meio do compromisso com as normas previstas pelo credenciamento como base para a prestação do serviço. As relações de hospitalidade entre o anfitrião e seus stakeholders ligados ao turismo favorecem a existência de um ambiente de confiança mútua, influenciando diretamente na capacidade de gestão das unidades de conservação e na percepção de competitividade dos destinos. Foi comprovado também que as relações de hospitalidade reforçam as intenções de retorno dos visitantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ruan Tavares Ribeiro, Universidade Federal do Maranhão

Docente do Departamento de Turismo e Hotelaria (DETUH) da Universidade Federal do Maranhão/ UFMA Mestre em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM) Especialista em Gestão Hoteleira (CASTELLI/ESH) e Hotelaria Hospitalar (Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein). 
E-mail: ruantavaresufma@gmail.com

Airton José Cavenaghi, Universidade Anhembi Morumbi

Doutor em História Social pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP). Professor pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Hospitalidade e Mestrado Profissional em Gestão de Alimentos e Bebidas pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM).

Elizabeth Kyoko Wada, Universidade Anhembi Morumbi

Possui pós-doutorado em Turismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professora do Programa de Pós-Graduação em Hospitalidade e Mestrado Profissional em Gestão de Alimentos e Bebidas pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM).

Referências

Alves, M. L. B. (2011). Reflexões sobre a pesquisa qualitativa aplicada ao turismo. Turismo em Análise, 22(3), 599-613. doi:10.11606/issn.1984-4867.v22i3p599-613

Baptista, I. (2002). Lugares de hospitalidade. In Dias, C. M. (Org.), Hospitalidade: reflexões e perspectivas (pp. 157-164). Barueri, SP: Manole.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo (L. A. Reto, A. Pinheiro, trad.). São Paulo, SP: Edições 70.

Bryson, J. M. (2004). What to do when stakeholders matter: stakeholders identification and analysis techniques. Public Management Review, 6(1), 21-53. Recuperado de https://bit.ly/2kskzcF

Camargo, L. O. L. (2003). Os domínios da hospitalidade. In Dencker, A., & Bueno, M. S. (Orgs.), Hospitalidade: cenários e oportunidades (pp. 7-28). São Paulo, SP: Thomson Learning.

Cruz, R. C. A. (2002). Hospitalidade turística e fenômeno urbano no Brasil: considerações gerais. In Dias, C. M. (Org.), Hospitalidade: reflexões e perspectivas (pp. 39-56). Barueri, SP: Manole.

Dencker, A. F. M. & Viá, S. C. (2001). Pesquisa empírica em ciências humanas: com ênfase em comunicação. São Paulo, SP: Futura.

Eagles, P. F. J. (2009). Governance of recreation and tourism partnerships in parks and protected areas. Journal of Sustainable Tourism, 17(2), 231-248. doi:10.1080/09669580802495725

Eagles, P. F. J., Romagosa, F., Buteau-Duitschaever, W. C., Havitz, M., Glover, T. D., & McCutcheon, B. (2012). Good governance in protected areas: an evaluation of stakeholders’ perceptions in British Columbia and Ontario Provincial Parks. Journal of Sustainable Tourism, 21(1), 60-79. doi:10.1080/09669582.2012.671331

Fitzsimmons, J. A. & Fitzsimmons, M. J. (2014). Administração de serviços: operações, estratégia e tecnologia da informação (7ª ed.). Porto Alegre, RS: Bookman.

Freeman, R. E. (1984). Strategic management. Boston, MA: Pitman Books Limited.

Grinover, L. (2002). Hospitalidade: um tema a ser reestruturado e pesquisado. In Dias, C. M. (Org.), Hospitalidade: reflexões e perspectivas (pp. 25-38). Barueri, SP: Manole.

Hunt, B. & Ivergard, T. (2015). Designing service excellence: people and technology. Boca Raton, FL: CRC Press.

Imran, S., Alam, K., & Beaumont, N. (2014). Environmental orientations and environmental behaviour: perceptions of protected area tourism stakeholders. Tourism Management, 40, 290-299. doi:10.1016/j.tourman.2013.07.003

Lashley, C. (2004). Para um entendimento teórico. In Lashley, C. & Morrison, A. (Orgs.), Em busca da hospitalidade: perspectivas de um mundo globalizado (pp. 1-24). São Paulo, SP: Manole.

Lopes, J. G. & Vialôgo, T. M. L. (2013). Unidades de conservação no Brasil. Revista JurisFIB, IV(IV), 79-109.

Lugosi, P. (2008). Hospitality spaces, hospitable moments: consumer encounters and affective experiences in commercial settings. Journal of Foodservice, 19(2), 139-149. doi:10.1111/j.1745-4506.2008.00092.x

Ministério do Meio Ambiente. (2012, maio 2). Glossário. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente. Recuperado de https://bit.ly/2mrfguD

Ministério do Meio Ambiente. (2015). Relatório de gestão do exercício de 2014. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente. Recuperado de https://bit.ly/2ksq8rz

Ministério do Turismo. (2017, abril 7). Unidades de Conservação. Brasília, DF: Ministério do Turismo. Recuperado de https://bit.ly/2kvlUzB

Moore, S. A. & Weiler, B. (2009). Tourism-protected area partnerships: stoking the fires of innovation. Journal of Sustainable Tourism, 17(2), 129-132. doi:10.1080/09669580802582506

Raimundo, S. (2008). Conservação da natureza e turismo no Núcleo Picinguaba do Parque Estadual da Serra do Mar (SP). Revista Brasileira de Ecoturismo, 1(1), 10-41. Recuperado de https://bit.ly/2msCX5W

Ritchie, J. R. B. & Crouch, G. I. (2010). A model of destination competitiveness/sustainability: Brazilian perspectives. Revista de Administração Pública, 44(5), 1049-1066. doi:10.1590/S0034-76122010000500003

Sarfati, G. & Sano, N. N. (2012). Estudo comparado da gestão das visitações nos parques estaduais turísticos do Alto do Ribeira (PETAR) e Intervales (PEI). Turismo em Análise, 23(1), 207-237. doi:10.11606/issn.1984-4867.v23i1p207-237

Sarti, A. C. & Queiroz, O. T. M. M. (2012). Espaço, paisagem, lugar, território e região – a organização do espaço turístico. In Beni, M. C. (Org.), Turismo: planejamento estratégico e capacidade de gestão – desenvolvimento regional, rede de produção e clusters. Barueri, SP: Manole.

Tomazzoni, E. L. (2012). Observatório de turismo e cultura, integração regional do cluster de turismo e desenvolvimento socioeconômico da Serra Gaúcha. In Beni, M. C. (Org.). Turismo: planejamento estratégico e capacidade de gestão – desenvolvimento regional, rede de produção e clusters. Barueri, SP: Manole.

Wada, E. K. (2003). Reflexões de uma aprendiz da hospitalidade. In Dencker, A. & Bueno, M. (Orgs.), Hospitalidade: cenários e oportunidades. São Paulo, SP: Thomson Pioneira.

Wada, E. K. & Moretti, S. L. A. (2014). Hospitalidade: dos domínios às lentes e sua inserção nos processos de gestão. Caderno de Estudos e Pesquisas do Turismo, 3(3), 95-105. Recuperado de https://bit.ly/2kY2ljB

Waligo, V., Clarke, J., & Hawkins, R. (2015). Embedding stakeholders in sustainable tourism strategies. Annals of Tourism Research, 55, 90-93. doi:10.1016/j.annals.2015.09.002

Whitelaw, P. A., King, B. E. M., & Tolkach, D. (2014). Protected areas, conservation and tourism – financing the sustainable dream. Journal of Sustainable Tourism, 22(4), 584-603. doi:10.1080/09669582.2013.873445

Yin, R. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos (A. Thorell, trad., 4ª ed.). Porto Alegre, RS: Bookman.

Publicado
2019-11-26
Como Citar
Ribeiro, R., Cavenaghi, A., & Wada, E. (2019). Hospitalidade e Competitividade em Áreas Protegidas. Revista Turismo Em Análise, 30(1), 78-97. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v30i1p78-97
Seção
Artigos e Ensaios