Geoconservação e Geoturismo na Amazônia

contexto e perspectivas no Geoparque Cachoeiras do Amazonas

Autores

  • João Rodrigo Leitão dos Reis Universidade Federal do Amazonas
  • Ivani Ferreira Faria Universidade Federal do Amazonas
  • Therezinha de Jesus Pinto Fraxe Universidade Federal do Amazonas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v31i1p50-76

Palavras-chave:

Geoparque, Atrativo turístico natural, Planejamento territorial, Turismo

Resumo

Os Geoparques são reconhecidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) como estratégia para proteção da geodiversidade, nessa premissa, foi instituído em 2011, o Geoparque Cachoeiras do Amazonas (GCA), pela Prefeitura de Presidente Figueiredo, estado do Amazonas, Brasil. Esse artigo, analisa a situação territorial do GCA focando nas possibilidades de real implementação do Geoturismo, a partir dos atrativos turísticos naturais encontrados nos estudos realizados no período de 1998 a 2020, a fim de subsidiar a elaboração de um plano de ação. Utilizou-se o método exploratório, baseado em bibliográfica e documental. Constatou-se que 57,4% da área do GCA está ocupada por “Territórios Institucionais”, enquanto que em 42,6% não foram encontradas sobreposições territoriais. Identificou-se oficialmente 81 atrativos turísticos naturais, com distintas formas de uso recreativo localizado, contudo, somente quatro foram reconhecidos como Geossítios. Para desenvolvimento do plano de ação, pondera-se a necessidade de complementação de estudos de capacidade de carga desses atrativos e a identificação de outros atrativos naturais. Indica-se ainda a adoção de regramento para gestão ambiental e turística dos locais, bem como a necessidade de interação entre sociedade local e organizações públicas e privadas para o fortalecimento da gestão do Geoparque, com desenvolvimento de agendas conjuntas que atendam objetivos comuns de proteção do patrimônio ambiental e geológico do território.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Rodrigo Leitão dos Reis, Universidade Federal do Amazonas

Doutor em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia – PPG-CASA pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Manaus, Amazonas, Brasil.

Ivani Ferreira Faria, Universidade Federal do Amazonas

Pós-doutorada pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia pela Universidad Nacional Autónoma
de México (UNAM). Docente de Geografia na Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Manaus,
Amazonas, Brasil.

Therezinha de Jesus Pinto Fraxe, Universidade Federal do Amazonas

Doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente de Agronomia na
Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Manaus, Amazonas, Brasil.

Referências

Bacci, D.L.C.; Piranha, J.M.; Boggiani, P.C.; Lama, E.A. e Teixeira, W.. (2009). Geoparque - Estratégia de Geoconservação e Projetos Educacionais. Revista do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo (USP). Geol. USP, Publ. Espec., São Paulo, 5(1), 7-15. DOI: /10.11606/issn.2316-9087.v5i0p07-15.

Braga, L., Silva, L., & Deus, J. (2019). A Prática do Geoturismo no Vale do Jequitinhonha como Alternativa de Valorização do Patrimônio Geomineiro e Etnodesenvolvimento Regional. Revista Turismo Em Análise, 29 (3), 525-539.

Brilha, J. (2016). Inventory and Quantitative Assessment of Geosites and Geodiversity Sites: A Review. Geoheritage, 8 (2), 119–134.

CECAV. (2019). Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas. Referenciado de: < https://www.icmbio.gov.br/cecav/canie.html>. Acesso em 10 mai. 2020.

CECAV. (2020). Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas. Mapa Brasileiro de Potencialidade de Ocorrência de Cavernas. In: <https://www.icmbio.gov.br/cecav/projetos-e-atividades/potencialidade-de-ocorrencia-de-cavernas.html>. Acesso: 10 mai. 2020.

CPRM-PRIMAZ. (1998). Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais. Potencial turístico do município de Presidente Figueiredo, Amazonas. Programa de Integração Mineral em Municípios da Amazônia – PRIMAZ. Serviço Geológico do Brasil. Manaus: CPRM.

Díaz, H. F. S. (2020). Efeito da perda da cobertura florestal na atividade turística da Amazônia Central. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Amazonas, Manaus.

Faria, I. F (2018). Metodologias participantes e conhecimento indígena na Amazônia: Propostas interculturais para a autonomia. In B.S.S. et al. (Orgs.). Epistemologías del Sur - Epistemologias do Sul. Buenos Aires: CLACSO/CES.

Faria, I. F. (2012). Ecoturismo indígena: território, sustentabilidade, multiculturalismo. São Paulo: Annablume.

Faria, I. F. (2015). Geopolítica Ambiental: reflexões sobre Gestão do Território e Políticas Ambientais do Estado do Amazonas. In I. F. Faria (Org.). Geopolítica ambiental: a produção do território no Estado do Amazonas. São Paulo: Annablume, 11-27.

Freitas, M. S., Tello, J.C.R., & Reis, J.R.L. (2013). Gestão de Reservas Privadas na Amazônia Central Floresta Amazônica: configurando um novo debate. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas – EDUA.

Gadelha, E. M., & Alecrim, J. D. (2006). Turismo: impactos nos aspectos geomorfológicos da Área de Proteção Ambiental Presidente Figueiredo Caverna do Maroaga/AM. Caderno de Turismo Virtual. 6(2), 19-24.

Garcia, M. G. M., Del Lama, E.A., Martins, L., Mazoca, C. E. M., & Bourotte, C. L. M. (2019). Inventory and assessment of geosites to stimulate regional sustainable management: the northern coast of the state of São Paulo, Brazil. Anais da Academia Brasileira de Ciências. 91(2).

Gonçales, S. C. B., & Marmos, J. L. (2010). Atrativos Geoturísticos. In. M. A. M. Maia. Geodiversidade do Estado do Amazonas, Manaus, CPRM, 101-118. Referenciado de: www.cprm.gov.br/publique/media/Geodiversidade_AM.pdf. Acesso em: 03 fev. 2016.

Governo do Estado do Amazonas. (2012). Plano de Gestão da Área de Proteção Ambiental (APA) Estadual Caverna do Maroaga. Manaus-AM: CEUC-SDS.

IBGE. (1978). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeto RADAMBRASIL. Folha AS. 20 - Manaus: geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso potencial da terra. 18(1). Departamento Nacional da produção Mineral. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rio de Janeiro.

IBGE. (2020). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. http://www.ibge.br. Acesso: 10/02/2020.

ICMBio. (2020). Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Base Cartográfica das Unidades de Conservação Federais do Brasil – Shapefile. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/geoprocessamentos/51-menu-servicos/4004-downloads-mapa-tematico-e-dados-geoestatisticos-das-uc-s. Acesso: 01/02/2020.

INCRA. (2020). Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Acervo Fundiário Brasileiro – banco de dados geográficos de Assentamentos Rurais. Disponível em: http://acervofundiario.incra.gov.br/acervo/acv.php. Acesso: 01/02/2020.

Jansen, D. C., Cavalcanti, L. F., & Lamblém, H. S. (2012). Mapa de Potencialidade de Ocorrência de Cavernas no Brasil, na escala 1:2.500.000. Revista Brasileira de Espeleologia, Brasília, 2 (1), 42-57.

Lima, F. F., Brilha, J. B., & Salamuni, E. (2010). Inventorying Geological Heritage in Large Territories: A Methodological Proposal Applied to Brazil. Geoheritage, 2, 91–99.

Lunas, M., & Oliveira, A. (2019). O Valor Turístico e Educacional dos Geossítios no Geopark Bodoquena-Pantanal/MS. Revista Turismo Em Análise. 29(3), 468-486.

Luzardo, R. (2010). Projeto Geoparques do Brasil: Geoparque cachoeiras do Amazonas – proposta (estudo de criação). Manaus: CPRM. Referenciado de: www.cprm.gov.br/publique/media/amazonas.pdf. Acesso em: 03 fev. 2016.

Luzardo, R. (2012). Geoparque Cachoeiras do Amazonas (AM) – Proposta. In C. Schobbenhaus, & C.R. Silva. Geoparques do Brasil: propostas. Rio de Janeiro: CPRM, 39-58.

Marconi, M. A. e Lakatos, E. M. (2016). Fundamentos de metodologia científica. 7ª. ed. São Paulo: Atlas.

Medeiros, C. A. F., Gomes, C. S. C. D., & Nascimento, M. A. L. (2015). Gestão em Geoparques: Desafios e Realidades. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. São Paulo, 9(2), 342-359.

Moreira, J. C. (2014). Turismo em áreas naturais e o geoturismo. Geoturismo e interpretação ambiental 19-36.

Netto, A., & Ansarah, M. G. R. (2009). Segmentação em Turismo: panorama atual. In Segmentação do mercado turístico: estudos, produtos e perspectivas. Barueri: Manole.

Nogueira, A. C. R., & Sarges, R. R. (2001). Characterization and genesis of waterfalls of the Presidente Figueiredo region, northeast State of Amazonas, Brazil. Anais da Academia Brasileira de Ciências. 73(02), 287-301.

Pereira, R. F., Brilha, J., & Martinez, J. E. (2008). Proposta de enquadramento da geoconservação na legislação ambiental brasileira. Memórias e Notícias. 3, 491-499.

Raffestin, C. (1993). Por uma geografia do poder. (M. C. França trad.). São Paulo: Ática.

Reis, J. R. L. (2010a). Diagnóstico dos atrativos turísticos naturais da APA Caverna do Maroaga, Presidente Figueiredo-AM. Manaus: Associação de Levantamento Florestal do Amazonas - ALFA.

Reis, J. R. L., & Pinheiro, E. S. (2010). Análise do desflorestamento em uma unidade de conservação de uso sustentável na Amazônia Central. Geografia. 35(3), 623-640.

Reis, J. R. L., & Tello, J. C. R. (2010). Gestão ambiental de atrativos turísticos naturais da APA Caverna do Maroaga, Presidente Figueiredo/AM. Revista da ANPEGE, 6(6), 123-145.

Reis, J. R. L., & Tello, J. C. R. (2013). Caracterização e mapeamento de atributos naturais da APA Estadual Caverna do Maroaga, Presidente Figueiredo-AM. In: J. C. R. Tello, S. S. B., Oliveira, & Reis, J. R. L. (Orgs.). Floresta Amazônica: Configurando um novo debate. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas - EDUA.

Reis, J. R. L., Tello, J. C. R., & Fischer, C. (2018). Percepções sobre o Turismo em Áreas Rurais: limitações e possibilidades na APA Caverna do Maroaga, Presidente Figueiredo/AM. Revista Turismo em Análise. 29(1), 108-127.

Reis, J. R. L., Tello, J. C. R., Angelo, A. C., & Fischer, C. (2011). The conservation of speleological tourist attractions in the central Amazon: situation and perspectives for the environmental protection and tourist management in the Maroaga Cave. Pesquisas em Turismo e Paisagens Cársticas. 4 (2), 89-105.

Reis, J., Tello, J., & Fischer, C. (2013). Percepções do turismo em atrativos da APA Caverna do Maroaga, Presidente Figueiredo/AM. Revista Turismo em Análise. 24(1), 145-169.

Reis. J. R. L. (2010b). Gerenciamento Ambiental de atributos naturais da APA Caverna do Maroaga, Presidente Figueiredo/AM. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Ciências Agrárias. Manaus.

Santos, I. E. (2016). Manual de métodos e técnicas de pesquisa científica. 12. Ed. Niteroi: Impetus.

Schobbenhaus, C., & Silva, C. R. (2012). O papel do Serviço Geológico do Brasil na criação de Geoparques e na conservação do patrimônio Geológico. In C. Schobbenhaus, & S. R. Cássio. Geoparques do Brasil: propostas. Rio de Janeiro: CPRM.

SEMA. (2020). Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas. Acervo das Unidades de Conservação Estaduais do Estado do Amazonas. Shapefiles das Unidades de Conservação obtidos via Ofício Institucional. Disponível em: http://meioambiente.am.gov.br/unidade-de-conservacao/. Acesso: 01/02/2020.

SEMMA-PF. (2020). Secretaria Municipal de Presidente Figueiredo. Shapefiles das Unidades de Conservação obtidos via Ofício Institucional. Acesso: 01/02/2020.

Sessegolo, G. C., Pries, D. C., Rocha, L. F. S., Rocha, R. P., & Zakrzewski, D. P. (2004). Manejo da Caverna do Maroaga, Presidente Figueiredo/AM. IV Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação: Anais. Curitiba.

Souza, V. S. & Nogueira, A. C. R. (2009). Seção geológica Manaus – Presidente Figueiredo (AM), borda norte da Bacia do Amazonas: um guia para excursão de campo. Revista Brasileira de Geociências. 39(1), 16-29.

Unesco-Brasil (2020). Geociências e Geoparques Mundiais da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Referenciado de: https://pt.unesco.org/fieldoffice/brasilia/expertise/earth-science-geoparks. Acesso em: 18 mai. 2020.

Yin, R. K. (2015). Estudo de Caso: planejamento e métodos. (C. M. Herrera trad.). 5ª ed. Porto Alegre: Bookman.

Downloads

Publicado

2020-04-29

Como Citar

Reis, J. R. L. dos, Faria, I. F., & Fraxe, T. de J. P. (2020). Geoconservação e Geoturismo na Amazônia: contexto e perspectivas no Geoparque Cachoeiras do Amazonas. Revista Turismo Em Análise, 31(1), 50-76. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v31i1p50-76

Edição

Seção

Artigos e Ensaios