Desenvolvimento de roteiros turísticos no município de Santana do Livramento, RS, Brasil: um estudo sobre a Ferradura dos Vinhedos

Autores

  • Michele Bielinski Universidade Federal do Pampa
  • Paulo Vanderlei Cassanego Junior Universidade Federal do Pampa

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v32i3p572-593

Palavras-chave:

Planejamento turístico, Enoturismo, Vinho

Resumo

A construção de roteiros com elementos típicos de um território atrai turistas e, por isso, torna-se uma alternativa às regiões que não possuem atrativos consolidados. Nesta perspectiva, este estudo visa analisar o processo de construção, desenvolvimento e participação das organizações locais no roteiro turístico Ferradura dos Vinhedos, em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, mediante as etapas de roteirização do Ministério do Turismo do Brasil. Por meio de abordagem qualitativa e método de estudo de caso, foram realizadas 21 entrevistas, com a técnica bola de neve. A análise de conteúdo demonstrou que há fases do processo de roteirização que não foram realizadas parcial ou totalmente; e que o envolvimento de agentes públicos, privados e sociais é escasso, influenciando na promoção, comercialização e legalização do roteiro turístico. Por fim, o roteiro apresenta oportunidade de atrair novos turistas e investidores para o município, todavia, faz-se necessária a revisão do processo de roteirização e o estímulo dos agentes locais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michele Bielinski, Universidade Federal do Pampa

Mestre em Administração pela Universidade Federal do Pampa, Santana do Livramento, Rio Grande do Sul, Brasil.

Paulo Vanderlei Cassanego Junior, Universidade Federal do Pampa

Doutor em Administração pelo Programa de Pós Graduação em Administração da Universidade de São Paulo. Docente no Programa de Pós Graduação em Administração da Universidade Federal do Pampa, Santana do Livramento, Rio Grande do Sul, Brasil.

Referências

Almeida, B. L. A., Vital, T. W., & de Melo, A. S. (2019). Polo turístico vale do São Francisco: o papel de cada município na cadeia produtiva do enoturismo. Brazilian Journal of Development, 5(9), 14099-14125. doi: /10.34117/bjdv5n9-031

Alonso, A., Bressan, A., O’shea, M., Krajsic, V. (2015). Perceived Benefits and Challenges to Wine Tourism Involvement: An International Perspective. International Journal of Tourism Research, (17) 1, 66–81. doi: 10.1002/jtr.1967

Bahl, M. (2005). Roteiros e eventos como elementos dinâmicos no desenvolvimento regional do turismo. Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul, 3. url: https://www.ucs.br/site/midia/arquivos/gt13-roteiros.pdf

Barcellos, M. de melo, Knoll, K. R. H., & Cassanego Jr, P. (2018). Análise da competitividade do cluster vinícola da fronteira Oeste/RS através do modelo teórico Zaccarelli et al.(2008)/Analysis of competitiveness of the winery cluster of west frontier/RS through the theoric model Zaccarelli et al.(2008). Brazilian Journal of Development, 4(6), 2811-2828. doi: 10.34117/bjdv4n6-292

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Lisboa: edições, 70, 225.

Barros, M. O., Silva, S. C., Granero, A. E., & Braga Filho, H. (2008). O desenvolvimento do turismo: uma visão sistêmica. In CONGRESSO BRASILEIRO DE SISTEMAS (Vol. 4, pp. 01-17). url: https://legacy.unifacef.com.br/quartocbs/artigos/F/F_158.pdf

Bernier, E. T., Valduga, V., Gabardo, W. O., & Gândara, J. M. G. (2020). Enoturismo na região metropolitana de Curitiba: realidades e desafios de um novo território do vinho. PASOS Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 18(1), 39-56. doi: 10.25145/j.pasos.2020.18.003.

Byrd, E. T., Canziani, B., Hsieh, Y. C. J., Debbage, K., & Sonmez, S. (2016). Wine tourism: Motivating visitors through core and supplementary services. Tourism Management, 52, 19-29. doi: 10.1016/j.tourman.2015.06.009

Café Viagem (2016). Ferradura dos Vinhedos – a rota turística do vinho em Santana do Livramento. https://cafeviagem.com/ferradura-dos-vinhedos-santana-do-livramento/

Campos, A. C., Santos, L. L. G. D., & Santos, C. A. D. J. (2012). Regionalização do turismo no Brasil e a descentralização do turismo no estado de Sergipe: o caso do roteiro cidades históricas. XII Coloquio Internacional de Geocrítica – Las independências y construcción de estados nacionales: poder, territoriallización y socialización, siglos XIX – XX. Bogotá. url: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/1225/1/Regionaliza%c3%a7%c3%a3oDoTurismo.pdf

Cassanego Júnior, P. V., Boaventura, J. M. G., Azevedo, A. C., & Telles, R. (2019). Governance in business clusters: proposal for an application of an analytical model. Entrepreneurship & Regional Development, 31(9-10), 984-1010. doi: 10.1080/08985626.2019.1652351

Chiattone, M. V., & Chiattone, P. V. (2013). Enoturismo: atrativo e ferramenta para o desenvolvimento sustentável de regiões. Rosa dos Ventos, 5(4), 616-634. url: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/rosadosventos/article/view/1735

Cruz-Ruiz, E., Zamarreño-Aramendia, G., & Ruiz-Romero de la Cruz, E. (2020). Key Elements for the Design of a Wine Route. The Case of La Axarquía in Málaga (Spain). Sustainability, 12(21), 9242. doi: 10.3390/su12219242

Cuevas, A. V. (2012). Las nuevas formas de turismo como instrumento para lograr un desarrollo sostenible e integrador. Actualidad jurídica ambiental, (13), 10-25. url: https://www.actualidadjuridicaambiental.com/wp-content/uploads/2012/05/2012_01_Antonio-Dominguez.pdf

Donaire, J. A., & Galí, N. (2008). Modeling tourist itineraries in heritage cities. Routes around the Old District of Girona. Pasos: Revista de turismo y patrimônio cultural, 6(3), 435-449. doi: 10.25145/j.pasos.2008.06.033

Egrejas, M., Paz, A., & Bartholo, R. (2016). Roteiros dos Fortes: diálogo, pertencimento e webdocumentário no planejamento turístico. Caderno Virtual de Turismo, 15(3). url: http://www.ivt.coppe.ufrj.br/caderno/index.php/caderno/article/view/1214/446

Egrejas, Marisa, Bursztyn, Ivan, & Bartholo, Roberto. (2013). La valoración del diálogo en la construcción e implementación de rutas turísticas: Proyectos Palacios de Rio y Central de Turismo Comunitario de la Amazonia - Brasil. Estudios y perspectivas en turismo, 22(6), 1160-1181. url: http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1851-17322013000600008&lng=es&tlng=pt.

Faísco, A., Simplício, D., & Carmo, A. (2021). Enoturismo e Desenvolvimento Local: Reguengos de Monsaraz, Cidade Europeia do Vinho 2015. GOT: Revista de Geografia e Ordenamento do Território, (21), 290. doi: 10.17127/got/2021.21.012

Festa, G., Shams, S. R., Metallo, G., & Cuomo, M. T. (2020). Opportunities and challenges in the contribution of wine routes to wine tourism in Italy–A stakeholders' perspective of development. Tourism Management Perspectives, 33, 100585. doi: 10.1016/j.tmp.2019.100585

Figueira, L. (2013). Manual para elaboração de roteiros de turismo cultural. ESPOGA.IPT – Centro de Estudos Politécnicos da Golegã. url: http://www.cda.ipt.pt/download/ebooks/Manual_Roteiros_CESPOGA2013-compactado.pdf

Flores, A. M., & Silla, P. J. (2020). Los nuevos terruños del enoturismo en el Sur de Brasil. Proyección. Estudios Geográficos y de Ordenamiento Territorial, 14(28), 37-61. url: https://revistas.uncu.edu.ar/ojs3/index.php/proyeccion/article/view/3947

Fortunato, A. (2013) Roteiro enoturístico Ferradura dos Vinhedos em Santana do Livramento RS: turismo e desenvolvimento na fronteira do Brasil com o Uruguai. Relatório entregue à Prefeitura Municipal de Santana do Livramento.

Gorni, P. M., & Dreher, M. T. (2010). Estratégias Intersetoriais no Desenvolvimento do Turismo de Natureza: desafios e perspectivas. Revista Turismo em Análise, 21(3), 567-593. doi: 10.11606/issn.1984-4867.v21i3p567-593

Güzel, Ö., Ehtiyar, R., & Ryan, C. (2021). The Success Factors of wine tourism entrepreneurship for rural area: A thematic biographical narrative analysis in Turkey. Journal of Rural Studies, 84, 230-239. doi: 10.1016/j.jrurstud.2021.04.021

Hair, J., Babin, B., Money, A., & Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Bookman Companhia Ed.

Hernández Ramírez, J. (2011). Los caminos del patrimonio. Rutas turísticas e itinerarios culturales. Pasos: revista de turismo y patrimonio cultural, 9 (2), 225-236. doi: 10.25145/j.pasos.2011.09.021

Hojman, D. E., & Hunter-Jones, P. (2012). Wine tourism: Chilean wine regions and routes. Journal of Business Research, 65(1), 13-21. doi: 10.1016/j.jbusres.2011.07.009

III Seminário Acadêmico Ferradura dos Vinhedos (2018). Recuperado de https://m.facebook.com/Semin%C3%A1rio-Acad%C3%AAmico-Ferradura-dos-Vinhedos-427085127760659/

Lima, B. D. R., Ribeiro, J. C., & Nunes, V. P. (2020). Enoturismo no Brasil: um estudo comparativo dos perfís dos enoturistas do Vale dos Vinhedos e do Vale de São Francisco. Redes, 25(2), 782-808. doi: 10.17058/redes.v25i2.13521

López-Guzmán Guzmán, T. J., & Sánchez Cañizares, S. M. (2008). La creación de productos turísticos utilizando rutas enológicas. Pasos – Revista de turismo y pratrimonio cultural. 6(2). 159-172. doi: 10.25145/j.pasos.2008.06.013

Meyer, D. (2004). Tourism routes and gateways: key issues for the development of tourism routes and gateways and their potential for pro-poor tourism. ODI discussion paper. http://shura.shu.ac.uk/6469/

Minasse, M. H. S. G. G., & dos Santos, B. P. G. (2019). Da Festa do Vinho à Expo São Roque: a trajetória dos eventos gastronômicos de São Roque (SP). RITUR-Revista Iberoamericana de Turismo, 9(2), 68-86. doi: 10.2436/20.8070.01.153

Mitchell, R., Charters, S., & Albrecht, J. N. (2012). Cultural systems and the wine tourism product. Annals of tourism research, 39(1), 311-335. doi: 10.1016/j.annals.2011.05.002

MTur - Ministério do Turismo Do Brasil. Avaliação do programa de regionalização do turismo – roteiros do Brasil. Brasília, 2009

MTur - Ministério do Turismo Do Brasil. Roteiros do Brasil – Programa de Regionalização do Turismo – Módulo operacional 7: Roteirização Turística. Brasília, 2007a.

MTur - Ministério do Turismo Do Brasil. Roteiros do Brasil – Programa de Regionalização do Turismo – Módulo operacional 3: Institucionalização da instância de Governança Regional. Brasília, 2007b.

MTur - Ministério do Turismo do Brasil. Segmentação do turismo e o mercado. Brasília, 2010.

Nogueira, M. G. (1987). O papel do turismo no desenvolvimento econômico e social do Brasil. Revista de Administração Pública, 21(2), 37-54. url: https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/9772

Pereira, C. A. S. (1999). Políticas públicas no setor de turismo. Revista Turismo em Análise, 10(2), 7-21. doi: 10.11606/issn.1984-4867.v10i2p7-21

Rachão, S. A. S., de Jesus Breda, Z., de Oliveira Fernandes, C., & Joukes, V. N. P. M. (2021). Drivers of experience co-creation in food-and-wine tourism: an exploratory quantitative analysis. Tourism Management Perspectives, 37, 100783. doi: 10.1016/j.tmp.2020.100783

Ramos, S. P., & Ribeiro, L. F. (2015). Roteiro Integrado da Civilização do Açúcar: algumas considerações sobre o processo de planejamento e desenvolvimento do turismo no estado de Alagoas. Revista Acadêmica Observatório de Inovação do Turismo, 9 (1), 52-81. doi: 10.12660/oit.v9n1.52889

Severino, S., & Tomasulo, S. (2012). Planos Estratégicos Municipais de Turismo do Estado de Santa Catarina-Roteiros Turísticos Regionais: um estudo. Revista Turismo em Análise, 23(2), 408-436. doi: 10.11606/issn.1984-4867.v23i2p408-436

Silva, T. M., & Stoppa, E. A. (2021). Roteiro do Vinho em São Roque: Relações entre o lazer, o turismo e a participação sociocultural. Marketing & Tourism Review, 6(2). doi: 10.29149/mtr.v6i2.6546

Tonini, H., Lavandoski, J., Carlotto, O. B., & de Avila Martins, B. (2021). Formação superior e desenvolvimento do enoturismo no Brasil. RITUR-Revista Iberoamericana de Turismo, 11(2), 247-266. doi: 10.2436/20.8070.01.228

Torres, J. P., Barrera, J. I., Kunc, M., & Charters, S. (2021). The dynamics of wine tourism adoption in Chile. Journal of Business Research, 127, 474-485. doi: 0.1016/j.jbusres.2020.06.043

Valduga, V. (2012). O desenvolvimento do enoturismo no Vale dos Vinhedos (R/S/Brasil). CULTUR: Revista de Cultura e Turismo, 6(2), 127-143. url: http://periodicos.uesc.br/index.php/cultur/article/view/288

Valduga, V., & Minasse, M. H. S. (2018). O Enoturismo no Brasil: principais regiões e características da atividade. Territoires du vin, (9). url: http://preo.u-bourgogne.fr/territoiresduvin/index.php?id=1635

Vázquez Vicente, G., Martín Barroso, V., & Blanco Jiménez, F. J. (2021). Sustainable tourism, economic growth and employment—The case of the wine routes of Spain. Sustainability, 13(13), 7164. doi: 10.3390/su13137164

Zamarreño-Aramendia, G., Cruz-Ruiz, E., & Ruiz-Romero De la Cruz, E. (2021). Sustainable economy and development of the rural territory: Proposal of wine tourism itineraries in La axarquía of malaga (Spain). Economies, 9(1), 29. doi: 10.3390/economies9010029

Zamora, J., & Barril, M. E. (2007). Turismo y vino: un estudio formativo sobre la evolución de las rutas del vino en Chile. Estudios y perspectivas en turismo, 16(2), 173-194. url: http://ref.scielo.org/srgxvk

Downloads

Publicado

2021-12-28

Como Citar

Bielinski, M., & Cassanego Junior, P. V. (2021). Desenvolvimento de roteiros turísticos no município de Santana do Livramento, RS, Brasil: um estudo sobre a Ferradura dos Vinhedos. Revista Turismo Em Análise, 32(3), 572-593. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v32i3p572-593

Edição

Seção

Artigos e Ensaios