Perfil profissional e sociodemográfico dos terapeutas ocupacionais do Estado do Paraná, Brasil

Autores

  • Milton Carlos Mariotti Universidade Federal do Paraná
  • Rafaella Stradiotto Bernardelli Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • Renato Nickel Universidade Federal do Paraná. Departamento de Terapia Ocupacional Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • Abdo Augusto Zegbhbi Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional - CREFITO 8
  • Maria Luiza Vautier Teixeira Universidade Federal do Paraná,Hospital de Clínicas da UFPR, Serviço de Terapia Ocupacional
  • Ruy Moreira da Costa Filho Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Fisioterapia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v27i3p313-321

Palavras-chave:

Terapia ocupacional, Ocupações em saúde, Inquéritos demográficos.

Resumo

O conhecimento do perfil dos terapeutas ocupacionais, tendências na formação e mercado de trabalho permitem o vislumbre da identidade da profissão e a projeção de tendências futuras. Objetivo: Traçar o perfil profissional e sociodemográfico de terapeutas ocupacionais do Paraná em 2015. Método: Pesquisa quantitativa, observacional, de caráter transversal, realizada por meio de questionário respondido por amostra representativa de 188 dos 680 profissionais inscritos no Conselho Profissional. Resultados: O conjunto de profissionais do Paraná inscritos é constituído predominantemente por mulheres jovens e se concentra na capital do estado. A maioria graduou-se nos últimos 10 anos, possui pós-graduação latu sensu, porém poucos possuem mestrado ou doutorado. A maioria trabalha exclusivamente na profissão, num único emprego, em instituição pública, com carga horária de 6 horas diárias. As principais áreas de atuação são Saúde Mental, Saúde Funcional, Contextos Sociais e Contextos Hospitalares . A renda mensal varia entre o piso e 4 mil reais. Conclusão: Nos últimos 15 anos houve aumento expressivo no número de profissionais e na qualificação deles. O perfil profissional demonstrou que a profissão está em fase de amadurecimento e consolidação no mercado de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milton Carlos Mariotti, Universidade Federal do Paraná

Saúde Mental. Qualidade de Vida. Ciência Ocupacional.Docência.

Professor Adjunto do Departamento de Terapia Ocupacional da Universidade Federal do Paraná.

Professor fundador do curso de graduação em Terapia Ocupacional da UFPR. Coordenador 2003 a 2007. Chefe Fundador do Departamento de Terapia Ocupacional.

Rafaella Stradiotto Bernardelli, Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional

Fisioterapeuta. Membro da Comissão Científica do CREFITO 8. Doutoranda em Tecnologias da Saúde pela Pontifícia Universidade Cartólica do Paraná - Curitiba.

 

Renato Nickel, Universidade Federal do Paraná. Departamento de Terapia Ocupacional Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional

Professor e Pesquisador do Departamento de Terapia Ocupacional da UFPR.

 

Abdo Augusto Zegbhbi, Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional - CREFITO 8

Presidente do Crefito 8 Gestões 2010-2014 e 2014-2018. Fisioterapeuta.

Maria Luiza Vautier Teixeira, Universidade Federal do Paraná,Hospital de Clínicas da UFPR, Serviço de Terapia Ocupacional

Terapeuta Ocupacional do HC UFPR.

Conselheira do Crefito 8.

Ruy Moreira da Costa Filho, Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Fisioterapia

Professor do Departamento de Fisioterapia da Universidade Estadual de Londrina.

Conselheiro do Crefito 8.

Publicado

2016-12-30

Como Citar

Mariotti, M. C., Bernardelli, R. S., Nickel, R., Zegbhbi, A. A., Teixeira, M. L. V., & Costa Filho, R. M. da. (2016). Perfil profissional e sociodemográfico dos terapeutas ocupacionais do Estado do Paraná, Brasil. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 27(3), 313-321. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v27i3p313-321

Edição

Seção

Artigo Original