Efeitos fisiológicos da hidroterapia em balde em recém-nascidos prematuros

Autores

  • Hullyana Aguiar da Silva Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Karina Candia da Silva Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Mariane de Oliveira Nunes Reco Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Ariele dos Santos Costa Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Daniele de Almeida Soares-Marangoni Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Leila Foerster Merey Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v28i3p309-315

Palavras-chave:

Lactente, Recém-nascido prematuro, Hidroterapia.

Resumo

Objetivo: Este estudo examinou os efeitos da hidroterapia em balde em parâmetros fisiológicos e ganho de peso em recém-nascidos prematuros hospitalizados. Métodos: Participaram 30 recém-nascidos prematuros estáveis (221,13 ± 2,74 dias de gestação), com pelo menos 1,500 kg de peso corporal com ganho crescente nos últimos dias. A hidroterapia foi administrada em duas sessões em dias alternados, realizada com o recém-nascido em um balde com água aquecida, até as clavículas, durante 10 min. As avaliações foram realizadas três vezes por sessão: pré-intervenção (15 min antes da hidroterapia), pós-intervenção (imediatamente após) e seguimento (30 minutos após). As análises comparativas foram realizadas considerando as variáveis: freqüência cardíaca (FC), freqüência respiratória (FR), saturação de oxigênio (SaO2) e peso corporal (PC). Resultados: Houve aumento do PC dos recém-nascidos de 1983,00 ± 55,70 para 2044,00 ± 57,44 gramas durante as sessões (p <0,001). A FC foi menor no seguimento do que nas medidas pré e pós-intervenção em ambas as sessões (p <0,05). A FR e a SaO2 permaneceram constantes. Conclusões: A hidroterapia em balde com água aquecida pode ter promovido melhor funcionamento comportamental nos recém-nascidos prematuros. Isso pode ter resultado em menor FC. A terapia foi segura, uma vez que os parâmetros fisiológicos e o ganho de peso corporal não foram afetados negativamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele de Almeida Soares-Marangoni, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Graduação em Fisioterapia pela Universidade Federal da Paraíba (2007). É especialista em Intervenção em Neuropediatria (2009), pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). É mestre (2011) e doutora (2014) em Fisioterapia pelo Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da UFSCar, com estágio sandwich na Vrije Universiteit (VU University), Holanda. Supervisionou estágio de Aperfeiçoamento em Intervenção Precoce na UFSCar (2011-2012). Atualmente é Professora Adjunta do Curso de Fisioterapia (área: Saúde da Criança) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). É docente titular do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Desenvolvimento da Região Centro-Oeste - UFMS. Atua nos seguintes temas: Puericultura, Nascimento Prematuro, Desenvolvimento Motor, Aprendizagem Motora, Atenção Integral ao Bebê de Risco, Atenção Integral ao Bebê Pré-Termo.Graduação em Fisioterapia pela Universidade Federal da Paraíba (2007). É especialista em Intervenção em Neuropediatria (2009), pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). É mestre (2011) e doutora (2014) em Fisioterapia pelo Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da UFSCar, com estágio sandwich na Vrije Universiteit (VU University), Holanda. Supervisionou estágio de Aperfeiçoamento em Intervenção Precoce na UFSCar (2011-2012). Atualmente é Professora Adjunta do Curso de Fisioterapia (área: Saúde da Criança) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). É docente titular do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Desenvolvimento da Região Centro-Oeste - UFMS. Atua nos seguintes temas: Puericultura, Nascimento Prematuro, Desenvolvimento Motor, Aprendizagem Motora, Atenção Integral ao Bebê de Risco, Atenção Integral ao Bebê Pré-Termo.

Publicado

2018-02-26

Como Citar

da Silva, H. A., da Silva, K. C., Reco, M. de O. N., Costa, A. dos S., Soares-Marangoni, D. de A., & Merey, L. F. (2018). Efeitos fisiológicos da hidroterapia em balde em recém-nascidos prematuros. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 28(3), 309-315. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v28i3p309-315

Edição

Seção

Artigo Original