Acolhimento: uma postura, uma estratégia

Autores

  • Elisabete Ferreira Mângia USP; FM; Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional
  • Damaris Cecchetti de Souza Ambulatório de Saúde Mental de São Mateus
  • Marcia Fernandes de Mattos Núcleo Regional de Saúde 5; Coordenação do Programa de Saúde Mental
  • Valéria Camanho Hidalgo Núcleo Regional de Saúde 5; Coordenação do Programa de Saúde Mental

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v13i1p15-21

Palavras-chave:

Serviços de saúde mental^i1^stendênc, Estratégias, Desinstitucionalização^i1^stendênc, Equipe de assistência ao paciente^i1^sorganização & administra, Acesso aos serviços de saúde

Resumo

Este artigo desenvolve a reflexão sobre a importância da adoção da estratégia de acolhimento como eixo de organização do processo de trabalho e de recepção da demanda, nos serviços de saúde mental. Tal perspectiva, originária das experiências de desinstitucionalização, tem se projetado, em todo o campo da saúde e vem sendo considerada fundamental para quaisquer projetos inovadores. A partir da concepção de trabalho territorial e em rede, são desenvolvidas as temáticas consideradas centrais da estratégia de acolhimento e apresentados alguns dos efeitos dessa estratégia sobre a organização dos serviços, a postura do conjunto das equipes e a relação com os usuários .

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2002-04-01

Como Citar

Mângia, E. F., Souza, D. C. de, Mattos, M. F. de, & Hidalgo, V. C. (2002). Acolhimento: uma postura, uma estratégia . Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 13(1), 15-21. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v13i1p15-21

Edição

Seção

Artigo Original