A prática de registros em Terapia Ocupacional

reflexões sobre os fundamentos técnico-legais da resolução COFFITO-415

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v29i1p85-91

Palavras-chave:

Terapia ocupacional, Registros como assunto/legislação & jurisprudência, Condutas terapêuticas/legislação & jurisprudência

Resumo

Este artigo busca tecer reflexões a partir dos fundamentos técnico-legais da resolução do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO), número 415, sancionada em 2012, a qual regulamenta o procedimento do registro terapêutico ocupacional em prontuário. Apresentamos o estado da arte das pesquisas sobre registro em prontuário no Brasil, as relações entre o raciocínio clínico/terapêutico e seu registro e as diretrizes da resolução COFFITO-415 de modo a elucidar tensionamentos, fragilidades e dar destaque às potências do registro em prontuário. Além disso, o artigo busca trabalhar alguns aspectos práticos para ampliar a prática de registro em prontuário na área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2018-09-21

Como Citar

Bombarda, T. B., Moreira, M. de S., Dahdah, D. F., Marcolino, T. Q., & Joaquim, R. H. V. T. (2018). A prática de registros em Terapia Ocupacional: reflexões sobre os fundamentos técnico-legais da resolução COFFITO-415. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 29(1), 85-91. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v29i1p85-91

Edição

Seção

Ponto de Vista