Aplicação de entrevistas cognitivas para produção de versões brasileiras de instrumentos de avaliação da prática centrada na família

Autores

  • Daniela Virginia Vaz Universidade Federal de Minas Gerais
  • Dayana Karen Esteves da Silva Universidade Federal de Minas Gerais http://orcid.org/0000-0002-6540-7659
  • Débora Silva Campos Universidade Federal de Minas Gerais
  • Ana Amélia Moraes Antunes Universidade Federal de Minas Gerais
  • Lívia de Castro Magalhães Universidade Federal de Minas Gerais
  • Sheyla Rossana Cavalcanti Furtado Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v29i1p41-49

Palavras-chave:

Entrevista cognitiva, MPOC-20, MPOC-SP, Prática Centrada na Família

Resumo

A Prática Centrada na Família (PCF), considerada como best practice na assistência à criança, é um conjunto de atitudes e valores que reconhece a família como centro do cuidado. A MPOC-20 e MPOC-SP são questionários que avaliam a percepção dos cuidadores e dos profissionais de saúde, acerca da PCF. Este trabalho descreve o processo de tradução e adaptação transcultural dos instrumentos para o português brasileiro. A tradução deve garantir total compreensão das questões pelos entrevistados, assim, para avaliar essa compreensão utilizamos como ferramenta a entrevista cognitiva. Foram identificados problemas de compreensão em ambos os questionários, e foram feitos ajustes para solucioná-los. O uso da entrevista cognitiva foi fundamental para o processo de tradução e adaptação transcultural dos questionários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Virginia Vaz, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Fisioterapia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2003), mestrado em Ciências da Reabilitação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2004), e Ph.D. pela University of Connecticut (2013). Atualmente é professora Adjunta da Universidade Federal de Minas Gerais, no Departamento de Fisioterapia. Atua principalmente em ensino e pesquisa ligados ao controle e aprendizagem motora e reabilitação de pacientes com disfunção neurológica.

Dayana Karen Esteves da Silva, Universidade Federal de Minas Gerais

Estudante do 10º período de Graduação em Fisioterapia da Escola de Educação física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais.

Débora Silva Campos, Universidade Federal de Minas Gerais

Estudante do 10º período de Graduação em Fisioterapia da Escola de Educação física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais.

Ana Amélia Moraes Antunes, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestranda do programa de ciências da reabilitação da Escola de Educação física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais e fisioterapeuta da rede Sarah.

Lívia de Castro Magalhães, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduada em Terapia Ocupacional pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (1979), mestrado em Terapia Ocupacional na Boston University (1987), doutorado em Educação - University of Illinois (1995) e pós-doutorado em Terapia Ocupacional - Universidade de McMaster. Atualmente é professora Titular do Depto. de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais. É parecerista ad hoc do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e das revistas Medicina (Ribeirão Preto), Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar e Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Terapia Ocupacional, com ênfase no desenvolvimento de testes e medidas para avaliar o desenvolvimento e desempenho infantil, e nos recursos para tratamento de crianças com problemas de coordenação motora. Coordena programa de acompanhamento do crescimento e desenvolvimento de recém-nascidos pré-termo e os tópicos de interesse em pesquisa são: impacto da prematuridade no desenvolvimento infantil, terapia ocupacional com crianças, avaliação do desenvolvimento motor e tratamento dos transtornos da coordenação motora em crianças.

Sheyla Rossana Cavalcanti Furtado, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Fisioterapia pela Universidade Católica de Petrópolis (1980), mestrado em Rehabilitation - Queens University (1999) e doutorado em Ciência da Reabilitação Universidade Federal de Minas Gerias (2010). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de fisioterapia neurológica, atuando principalmente nos seguintes temas: participação social, barreiras ambientais, paralisia cerebral e adesão.

Publicado

2018-09-20

Como Citar

Vaz, D. V., Silva, D. K. E. da, Campos, D. S., Antunes, A. A. M., Magalhães, L. de C., & Furtado, S. R. C. (2018). Aplicação de entrevistas cognitivas para produção de versões brasileiras de instrumentos de avaliação da prática centrada na família. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 29(1), 41-49. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v29i1p41-49

Edição

Seção

Artigo Original