Quem são nossos(as) mestres(as) e doutores(as)?

Formação pós-graduada e atuação profissional de terapeutas ocupacionais no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v29i2p92-103

Palavras-chave:

Educação de Pós-Graduação, Pesquisa, Terapia Ocupacional, Brasil

Resumo

Introdução: Uma das principais demandas da terapia ocupacional brasileira é a sua institucionalização acadêmica. Isso abrange, entre outros aspectos, a atividade de pesquisa, a formação e atuação dos profissionais em programas de pós-graduação. Objetivo: Caracterizar os terapeutas ocupacionais mestres e doutores no Brasil quanto a formação pós-graduada e a atuação profissional. Procedimentos Metodológicos: A pesquisa foi realizada a partir de informações coletadas em plataformas eletrônicas como a Plataforma Lattes e a Plataforma Sucupira, entre outras. Os dados foram analisados por meio da análise estatística descritiva. Resultados: 1188 currículos de terapeutas ocupacionais com mestrado e/ou doutorado foram analisados. Identificou-se um aumento na quantidade de mestres e doutores nas duas últimas décadas (2000-2017) e que encontra-se em curso uma mudança de perfil da formação pós-graduada desses profissionais, o que implica na produção de conhecimento e na institucionalização acadêmica da área. Conclusão: Esta pesquisa permitiu identificar algumas implicações dessa formação para o desenvolvimento da terapia ocupacional enquanto profissão e como área de conhecimento no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Otavio Augusto De Araujo Costa Folha, Universidade Federal do Pará (UFPA). Faculdade de Fisioterapia e Terapia Ocupacional

Terapeuta Ocupacional pela Universidade do Estado do Pará.

Especialista em Docência da Educação Superior pela Universidade do Estado do Pará.

Mestre em Neurociências e Biologia Celular pela Universidade Federal do Pará.

Professor Assistente I da Faculdade de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

 

Débora Ribeiro da Silva Campos Folha, Universidade Federal do Pará, Faculdade de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Departamento de Terapia Ocupacional

Terapeuta Ocupacional pela Universidade do Estado do Pará.

Especialista em Docência da Educação Superior pela Universidade do Estado do Pará.

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Pará. Professora Assistente II do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade do Estado do Pará (UEPA).

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Mirela de Oliveira Figueiredo, Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Terapia Ocupacional

Terapeuta Ocupacional, Doutora em Educação Especial pelo PPGEES/UFSCar; Docente do Departamento de Terapia Ocupacional e do Programa de Pós-graduação em Terapia Ocupacional da UFSCar

Daniel Marinho Cezar da Cruz, Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Terapia Ocupacional

Doutor e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Professor Adjunto III do Departamento de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Maria Luísa Guillaumon Emmel, Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Terapia Ocupacional

Terapeuta Ocupacional pela Universidade de São Paulo, Mestre em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos e Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo. Professora Titular do Departamento de Terapia Ocupacional e do PPGTO da Universidade Federal de São Carlos

Publicado

2018-12-31

Como Citar

Folha, O. A. D. A. C., Folha, D. R. da S. C., Figueiredo, M. de O., Cruz, D. M. C. da, & Emmel, M. L. G. (2018). Quem são nossos(as) mestres(as) e doutores(as)? Formação pós-graduada e atuação profissional de terapeutas ocupacionais no Brasil. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 29(2), 92-103. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v29i2p92-103

Edição

Seção

Artigo Original