Práticas e desafios para a terapia ocupacional no contexto da intervenção precoce

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v31i1-3p17-23

Palavras-chave:

Intervenção Precoce, Infância, Reabilitação, Terapia Ocupacional, Intervenção precoce (Educação), Pré-escolar

Resumo

Objetivos: analisar as práticas implementadas por terapeutas ocupacionais atuantes em serviços de Intervenção Precoce destinados a crianças entre zero e cinco anos e apontar os desafios enfrentados por esses profissionais durante a estruturação de suas ações. Procedimentos metodológicos: Trata-se de um estudo transversal, descritivo e exploratório, de abordagem qualitativa. Participaram quatro terapeutas ocupacionais vinculados a serviços localizados em municípios do interior e litoral do estado de São Paulo. A coleta de dados foi realizada mediante entrevistas semiestruturadas e a análise dos dados foi feita sob a perspectiva da Análise de Conteúdo, na modalidade de análise temática. Resultados: Os resultados do estudo, foram classificados em quatro núcleos temáticos, sendo eles: Práticas no contexto da Intervenção Precoce, O objeto da intervenção, Fundamentação para atuar e Desafios para a Terapia Ocupacional em Intervenção Precoce. Conclusões: Conclui-se que práticas desenvolvidas têm se estruturado sob referenciais predominantemente reabilitativos e pautados nas necessidades das crianças atendidas, o que impacta a identidade das ações. Assim, os principais encontram-se relacionados às características dos serviços, formação profissional e ao delineamento do um modelo de prática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Pereira Ricci Marini, Universidade Federal de São Carlos

Parte da dissertação do Mestrado de Bruna P. R. Marini “As práticas de Intervenção Precoce no estado de São Paulo”, orientação de Patrícia Carla de S. Della Barba, Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da UFSCar. Apresentado no XV Encontro Nacional de Docentes de Terapia Ocupacional, Vitória - ES, 6-10 nov. 2016.
Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos. Bolsista CAPES.

Patrícia Carla de Souza Della Barba, Universidade Federal de São Carlos. Departamento de Terapia Ocupacional

Professora Associada do Departamento de Terapia Ocupacional e do Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos. 

Referências

Guralnick MJ. Family influences on Early Development: integrating the science of normative development, Risk and disability, and intervention. In: Maccartney K, Phillips D. Handbook of early childhood development. Oxford: Blackwell Publishers; 2006.

Serrano AM. Redes Sociais de Apoio e a sua Relevância para a Intervenção Precoce. Porto: Porto Editora; 2007. p. 110.

Fernandes MDA. Subsídios para a caracterização de programas de intervenção precoce implementados pelas equipas de apoios educativos na região de Trás-os-Montes [dissertação]. Porto: Universidade do Porto; 2001.

Muhlenhaupt M, Pizur-Barnekow K, Schefkind S, Chandler B, Harvison N. Occupational therapy contributions in early intervention: Implications for personnel preparation and interprofessional practice. Infants Young Children. 2015;28(2):123-32. DOI: 10.1097/IYC.0000000000000031

Dunst CJ. Familly and Community Life as the Contexts for Supporting and Strengthening Child Learning and Development. In: Eight National Congress on Early Intervention with Young Children. Aveiro, 2010.

McWilliam RA. Routines Based early intervention: Supporting young children and their families. Baltimore: Paul H. Brookes; 2010.

Mahoney G, MacDonald J. Autism, and developmental delays in young children: the responsive teaching curriculum for parents and professionals. Austin: PRO-ED; 2007.

European Agency for Development in Special Needs Eduaction. Early Childhood Intervention: progress and developments [cited 2016 Jan 15]. Available from: https://www.european-agency.org/sites/default/files/earlychildhood-interventionprogress-and-developments_ECIreport-EN.pdf. A.

Bolsanello MA. Concepções sobre os procedimentos de intervenção e avaliação de profissionais em estimulação precoce. Educar. 2003;22:343-55. DOI: 10.1590/0104-4060.323.

Marini BPR, Lourenço MC, Della Barba PCS. Revisão sistemática integrativa da literatura sobre modelos e práticas de intervenção precoce no Brasil. Rev Paul Pediat. 2017;35(4):456-63. DOI: 10.1590/1984-0462/;2017;35;4;00015.

Fernandes PRS. Diálogos sobre a Intervenção Precoce em Portugal e no Brasil: clarificação nacional e internacional sobre práticas profissionais [tese]. Braga: Instituto de Educação da Universidade do Minho; 2016.

Marini BPR. As práticas de Intervenção Precoce no Estado de São Paulo [dissertação]. São Carlos: Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos; 2017.

Marini BPR, Lourenço MC, Della Barba PCS. A perspectiva brasileira das ações de Intervenção Precoce na infância. In: Fuertes M, et al. Teoria, práticas e investigação em intervenção precoce. Lisboa: CIED; 2018. p.27-49.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Della Barba PCS. Intervenção precoce no Brasil e a prática dos terapeutas ocupacionais. Rev Inter Bras Ter Ocup. 2018;2(4):848-61. DOI: 10.47222/2526-3544.rbto14809

Constantinidis TC, Cunha AC. A formação em terapia ocupacional: entre o ideal e o real. Rev Ter Ocup Univ São Paulo. 2013;24(2):149-54. DOI: 10.11606/issn.2238-6149.v24i2p149-154

Downloads

Publicado

2020-05-18

Como Citar

Marini, B. P. R., & Della Barba, P. C. de S. (2020). Práticas e desafios para a terapia ocupacional no contexto da intervenção precoce. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 31(1-3), 17-23. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v31i1-3p17-23

Edição

Seção

Artigo Original