Importância das orientações em saúde para o desenvolvimento infantil e o aleitamento materno no primeiro ano de vida

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v31i1-3p1-8

Palavras-chave:

Educação em saúde, Aleitamento materno, Desenvolvimento infantil, Cuidado da criança

Resumo

Objetivo: determinar o efeito das orientações em saúde para o desenvolvimento infantil e aleitamento materno no primeiro ano de vida. Método: estudo longitudinal (n=45 crianças), sendo 31 pertencentes ao grupo não exposto e 14 ao exposto, sendo este último acompanhado com visitas domiciliares mensais do nascimento ao 12º mês de vida, recebendo informações sobre saúde materno-infantil. Foi utilizado o Teste de Triagem Denver II para acompanhamento do desenvolvimento neuropsicomotor e um questionário para avaliação das variáveis do estudo. Resultados: 64,3% do grupo exposto e 45,2% do não exposto foram amamentados até o primeiro ano de vida, sem diferenças significantes. Quanto à transição alimentar, a única relevância estatística foi a introdução de alimentos sólidos, ocorrendo em período adequado para o exposto e antecipado para o não exposto. Houve introdução precoce de líquidos e pastosos para ambos os grupos. Quanto ao desenvolvimento neuropsicomotor, houve maior número de sujeitos além do esperado para a idade e tendência de melhor coordenação motora fina no grupo exposto (sem diferenças estatísticas). Conclusão: as orientações evidenciaram que intervenções em saúde na primeira infância, mesmo para grupos que não são de risco, proporcionam oportunidades para um desenvolvimento pleno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphaela Barroso Guedes-Granzotti, Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Fonoaudiologia

Fonoaudióloga, Mestre e Doutora em Neurociências - USP. Professora Associada do Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal de Sergipe.

 

Kelly da Silva, Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Fonoaudiologia

Fonoaudióloga, Mestre e Doutora em Ciências - USP. Professora Adjunta do Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal de Sergipe. 

Carla Patrícia Hernandez Alves Ribeiro César, Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Fonoaudiologia

Fonoaudióloga, Mestre e Doutora em Distúrbios da Comunicação Humana - UNIFESP. Pós-doutora em Expressão Facial da Emoção pela Universidade Fernando Pessoa, Portugal. Professora Adjunta do Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal de Sergipe. 

Rodrigo Dornelas, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Fonoaudiologia

 Fonoaudiólogo, Mestre em Ciências da Saúde pela UNB, Doutor em Fonoaudiologia pela PUC-SP. Professor Adjunto do Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.  

Larissa Santos Souza, Centro Especializado em Reabilitação de Alagoinhas

Fonoaudióloga do Centro Especializado em Reabilitação de Alagoinhas, Bahia. 

Larissa Santos de Jesus, Universidade Federal de Sergipe

Fonoaudióloga residente no programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família da Universidade Federal de Sergipe. 

Taisa Ribeiro de Souza Oliveira, Hospital Geral Roberto Santos

Fonoaudióloga do Hospital Geral Roberto Santos; membro da Clínica Método de Desenvolvimento Humano. Especialista em Fonoaudiologia Hospitalar com ênfase em Neonatologia e Pós-graduada em Análise do Comportamento Aplicada ao Autismo. 

Danielle Ramos Domenis, Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Fonoaudiologia

Fonoaudióloga, Mestre e Doutora em Ciências pela USP. Professora Adjunta do Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal de Sergipe

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Proteção da Saúde. Guia alimentar para crianças menores de dois anos de idade. Brasília; 2019.

Amaral LJX, Sales SS, Cavalho DPSRP, Cruz GKP, Azevedo IC, Ferreira Júnior MA. Fatores que influenciam na interrupção do aleitamento materno exclusivo em nutrizes. Rev Gaúcha Enferm. 2015;36:127-34. https://doi.org/10.1590/1983-1447.2015.esp.56676.

Paixão MCDS, Goés ACF, Del Raso A, Leal MAF. A amamentação sob o olhar das puérperas e as influências do meio sociofamiliar no processo de vinculação mãe-bebê. Contextos Clín. 2019;12(3):863-80. http://dx.doi.org/10.4013/ctc.2019.123.08.

Clark KM, Castilho M, Calatroni A, Walter T, Cayazzo M, Pino P, Lozoff B. Breastfeeding and mental and motor development at 5 ½ years. Ambul Pediatr. 2006;6(2):65-71. https://doi.org/10.1016/j.ambp.2005.11.003.

Souza SNDH, Migoto MT, Rossetto EG, Mello DF. Prevalência de aleitamento materno e fatores associados no município de Londrina - PR. Acta Paul Enferm. 2012;25(1):29-35. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002012000100006.

Ximenes LB, Moura JG, Oriá MOB, Martins MC, Almeida PC, Carneiro EP. Práticas alimentares e sua relação com as intercorrências clínicas de crianças de zero a seis meses. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2010;14(2):377-85. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452010000200023.

Weffort VRS, Escrivão MAMS, Oliveira FLC, Rocha HF, Mello ED, Mattos ÂP et al. Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente e na escola (citado 15 abr. 2020). Disponível em: http://www.sbp.com.br/pdfs/14617a-PDManualNutrologia-Alimentacao.pdf.

Schincaglia RM, Oliveira AC, Sousa LM, Martins KA. Práticas alimentares e fatores associados à introdução precoce da alimentação complementar entre crianças menores de seis meses na região noroeste de Goiânia. Epidemiol Serv Saúde. 2015;24(3):465-74. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742015000300012

Chiu W-C, Liao H-F, Chang P-J, Chen P-C, Chen YC. Duration of breastfeeding and risk of developmental delay in Taiwanese children: a nationwide birth cohort study. Paediatr Perinat Epidemiol. 2011;25:519-27. http://dx.doi.org/10.1111/j.1365-3016.2011.01236.x.

Michels KA, Ghassabian A, Mumford SL, Sundaram R, Bell EM, Bello SC, Yeung EH. Breastfeeding and motor development in term and preterm infants in a longitudinal US cohort. Am J Clin Nutr. 2017;106:1456-62. http://dx.doi.org/10.3945/ajcn.116.144279.

Silva VAAL, Caminha MFC, Silva SL, Serva VMSBD, Azevedo PTACC, Batista Filho M. Aleitamento materno: indicadores e fatores associados à amamentação exclusiva num aglomerado urbano subnormal assistido pela Estratégia de Saúde da Família. J Pediatr. 2019;95(3):298-305. http://dx.doi.org/10.1016/j.jped.2018.01.004.

Frankenburg FK, Dodds JB, Archer P, Bresnick B, Maschka P, Edelman N, Shapiro H. Denver II: Technical Manual and Training Manual. Denver: Denver Developmental Materials Inc.; 1990.

Oliveira TRS, Souza LS, Dornelas R, Domenis DR, Silva K, Guedes-Granzotti RB. Associação entre o aleitamento materno, introdução alimentar e desenvolvimento neuropsicomotor nos primeiros seis meses de vida. Distúrb Comum. 2017;29(2):262-73. https://doi.org/10.23925/2176-2724.2017v29i2p262-273.

World Health Organization (WHO). Indicators for assessing infant and young child feeding practices. Conclusions of consensus meeting held 6-8. Washington; 2007.

Margotti E, Epifanio M. Aleitamento materno exclusivo e a escala de autoeficácia na amamentação. Rev Rene. 2014;15(5):771-9. https://doi.org/10.15253/2175-6783.2014000500006.

Apostolakis-Kyrus K, Valentine C, DeFranco E. Factors associated with breastfeeding initiation in adolescent mothers. J Pediatr. 2013;163(5):1489- 94. https://doi.org/10.1016/j.jpeds.2013.06.027.

Caldeira AP, Goulart EM. A situação do aleitamento materno em Montes Claros, Minas Gerais: estudo de uma amostra representativa. J Pediatr. 2000;76: 65-72.

Sales-Costa R, Barroso GS, Cabral M, Castro MBT. Parental dietary patterns and social determinants of children’s dietary patterns. Rev Nutr. 2016;29(4):483-93. https://doi.org/10.1590/1678-98652016000400004.

Pereira CRVR, Fonseca VM, Oliveira MIC, Souza IEO, Mello RR. Avaliação de fatores que interferem na amamentação na primeira hora de vida. Rev Bras Epidemiol. 2013;16(2):525-34. https://doi.org/10.1590/S1415-790X2013000200026.

Araújo HRV, Carvalho MT, Imparato JCP, Pinchemel ENB. A importância do aleitamento materno no controle do desenvolvimento de hábitos deletérios: revisão de Literatura. Rev Multidiscip Psicol. 2019,13(47):1135-44. https://doi.org/10.14295/idonline.v13i47.2109

Doub AE, Moding KJ, Stifter CA. Infant and maternal predictors of early life feeding decisions. The timing of solid food introduction. Appetite. 2015;92:261-8. https://doi.org/10.1016/j.appet.2015.05.028.

Oliveira CS, Locca FA, Carrijo MLZ, Garcia RATM. Amamentação e as intercorrências que contribuem para o desmame precoce. Rev Gaúcha Enferm. 2015;36:16-23. https://doi.org/10.1590/1983-1447.2015.esp.56766.

Costa EF, Cavalcante LIC, Dell’Aglio D. Language development profile of children in Belem, according to Denver Developmental Screening Test. Rev CEFAC. 2015;17(4):1090-102. https://doi.org/10.1590/1982-0216201517418514.

Pena ALF. A psicomotricidade no desenvolvimento físico, cognitivo e social da criança. Rev Form Prat Docente. 2020;(3):54-64.

Brasil. Ministério da Saúde. Datasus: cadernos de informações de saúde Sergipe [cited 2019 Jun. 28], 2009. Available from: http://tabnet.datasus.gov.br/tabdata/cadernos/se.htm.

Downloads

Publicado

2020-05-18

Como Citar

Guedes-Granzotti, R. B., Silva, K. da ., César, C. P. H. A. R., Dornelas, R., Souza, L. S., Jesus, L. S. de, Oliveira, T. R. de S., & Domenis, D. R. (2020). Importância das orientações em saúde para o desenvolvimento infantil e o aleitamento materno no primeiro ano de vida. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 31(1-3), 1-8. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v31i1-3p1-8

Edição

Seção

Artigo Original