Papéis ocupacionais de mulheres que fazem uso abusivo de substâncias psicoativas

Autores

  • Larissa Cecília Oliveira Soares Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Andrea Ruzzi-Pereira Universidade Federal do Triangulo Mineiro
  • Paulo Estevão Pereira Universidade Federal de São Carlos
  • Alessandra Cavalcanti Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Valéria Sousa de Andrade Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v24i3p199-207

Palavras-chave:

Drogas Ilícitas, Terapia Ocupacional, Mulheres

Resumo

O uso de substâncias psicoativas é uma prática milenar e universal, não sendo, portanto, um fenômeno exclusivo da atualidade. A história do uso destas substâncias se mescla a própria história da humanidade; seu consumo sempre aconteceu ao longo dos tempos, em todas as religiões e culturas, com finalidades específicas. O individuo que faz uso abusivo de drogas tende a assumir a drogadição como atividade principal em seu cotidiano, negligenciando, na maioria das vezes, os papéis que realizava anteriormente. O objetivo deste estudo é descrever e analisar o impacto do uso de drogas nos papéis ocupacionais de mulheres que faziam uso abusivo de substâncias psicoativas. Estudo de natureza quantitativa em que foi utilizada a Lista de Identificação de Papéis Ocupacionais para coletar os dados. Os sujeitos da pesquisa constituíram-se de vinte e uma mulheres internadas em uma instituição para tratamento de mulheres com problemas relacionados ao abuso de drogas, no período de abril a maio de 2011, quando se deu a coleta de dados. Aponta-se como dado relevante a alta percentagem de mulheres que abandonaram o exercício de papéis ocupacionais em decorrência do uso abusivo das SPA e, diante disso a importância da inserção do terapeuta ocupacional nas equipes que compõem os serviços que atendem esta população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Cecília Oliveira Soares, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Terapeuta Ocupacional pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro/UFTM - 2011

Andrea Ruzzi-Pereira, Universidade Federal do Triangulo Mineiro

Terapeuta Ocupacional graduada pela Universidade Federal de São Carlos (1998), mestre em Ciências Médicas pela FMRP-USP (2007) e especialista em Saúde Pública e Saúde Mental, pela UNICAMP (2007). Doutoranda do Programa em Saúde na Comunidade da FMRP-USP. Professora Assistente da Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM, atuando no ensino, pesquisa e extensão na Terapia Ocupacional com enfoque nas áreas de saúde mental; saúde coletiva; e dependência química e sexualidade.

Paulo Estevão Pereira, Universidade Federal de São Carlos

estre em Terapia Ocupacional pelo PPGTO-UFSCar, linha de pesquisa Redes Sociais e Vulnerabilidade; graduação em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de São Carlos (1997), Especialização em Saúde Pública com ênfase em saúde Mental pela UNICAMP (2007) e especialização em Psicologia Transpessoal pela Associação Luso-Brasileira de Transpessoal, ALUBRAT. Atuou como professor substituto no curso de graduação em Terapia Ocupacional da UFTM e como terapeuta ocupacional do Centro de Atenção Integral à Saúde Santa Rita, responsável pelo atendimento na área no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas - CAPS-ad. Tem experiência na área de Terapia Ocupacional, inserido no serviço público desde 1998; atua principalmente nos seguintes temas: terapia ocupacional, terapia ocupacional social, reabilitação psicossocial e Saúde mental.

Alessandra Cavalcanti, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

É graduada em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG (1998), especialista em Tecnologia Assistiva pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (2005) e em Reabilitação do Membro Superior - FCMMG (2001). É mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN (2006). Atualmente é Professora Assistente do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM. Tem experiência na área de reabilitação física (neuropediatria), terapia da mão, dispositivos ortóticos e tecnologia assistiva - prescrição e adaptação de cadeira de rodas. No ano de 2007 em conjunto com a terapeuta ocupacional Claudia Galvão publicou a obra Terapia Ocupacional - Fundamentação & Prática - Editora Guanabara Koogan, que conta com a participação de outros terapeutas ocupacionais.

Valéria Sousa de Andrade, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Bacharel em terapia ocupacional pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestre na ciência pela Queens University/Canadá e especialista em terapia ocupacional com ênfase em gerontologia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Foi terapeuta funcional do Hospital Sarah Kubitschek (Brasília) e de Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) nos Estados Unidos. A experiência volta-se para reabilitação terapêutico-ocupacional de indivíduos adultos e idosos com déficits neurológico e traumato-ortopédicos. Atualmente é docente da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) onde, além de lecionar disciplinas diversas, auxilia na supervisão do estágio em reabilitação gerontoloógica,coordena o Projeto de Extensão Terapia Ocupacional no Centro de Reabilitação Prof. Dr. Fausto da Cunha Oliveira (CERTO) e é pesquisadora dos grupos de pesquisa "CIF: Disseminação e Aplicabilidade" e "Grupo de Estudo e Pesquisa em Esclerose Múltipla/GEPEM da UFTM". É também um dos professores do Programa HODU-CIF Brasil (http://www.cifbrasil.com.br/home.html, www.hoducif.webs.com).

Downloads

Publicado

2014-09-03

Como Citar

Soares, L. C. O., Ruzzi-Pereira, A., Pereira, P. E., Cavalcanti, A., & Andrade, V. S. de. (2014). Papéis ocupacionais de mulheres que fazem uso abusivo de substâncias psicoativas. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 24(3), 199-207. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v24i3p199-207

Edição

Seção

Artigo Original