Preensão para escrita manual: prevalência dos diferentes tipos entre adultos jovens

Autores

  • Mariana Midori Sime Laboratório de Análise Funcional e Ajudas Técnicas. Departamento de Educação Integrada em Saúde. Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, Vitória – Espírito Santo.
  • Luis Alberto Magna Departamento de Genética Médica. Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Campinas – São Paulo.
  • Daniel Marinho Cezar da Cruz Laboratório de Análise Funcional e Ajudas Técnicas. Departamento de Terapia Ocupacional. Universidade Federal de São Carlos. São Carlos – São Paulo.
  • Iracema Serrat Vergotti Ferrigno Laboratório de Análise Funcional e Ajudas Técnicas. Departamento de Terapia Ocupacional. Universidade Federal de São Carlos. São Carlos – São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v25i3p242-248

Palavras-chave:

Escrita manual, Terapia ocupacional, Prevalência, Adulto jovem

Resumo

Para a escrita manual, as preensões maduras são consideradas as mais efi cientes e recomendadas por educadores e terapeutas, pois demandam menor gasto energético e menor tensão na região proximal do membro superior. Algumas pessoas utilizam outros padrões de preensão que são também funcionais, no entanto desconhece-se que problemas podem decorrer do uso dessas preensões. O conhecimento dos tipos de preensão de adultos jovens para escrita manual pode colaborar com estudos que relacionam a preensão utilizada em atividades funcionais com suas implicações. Este estudo, quantitativo, descritivo, de corte transversal de base populacional, identifi cou os tipos e a prevalência de preensões utilizadas por 806 estudantes universitários adultos, destros, de ambos os sexos, sem comprometimento funcional dos membros superiores. A atividade de escrita foi fi lmada e as imagens foram analisadas e identifi cadas. Os resultados revelaram que o padrão mais frequente foi a preensão trípode dinâmica, seguido pela trípode lateral, ambas maduras. As preensões de transição e as variações foram identifi cadas em 34,86% da amostra. Estudos futuros podem incluir o uso excessivo das estruturas do corpo e lesões no membro superior, ajudando a fornecer orientações adequadas para a prevenção e tratamentos de reabilitação de lesões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-12-19

Como Citar

Sime, M. M., Magna, L. A., da Cruz, D. M. C., & Ferrigno, I. S. V. (2014). Preensão para escrita manual: prevalência dos diferentes tipos entre adultos jovens. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 25(3), 242-248. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v25i3p242-248

Edição

Seção

Artigo Original