O mal e o niilismo no romance “Os demônios”, de Dostoiévski

Autores

  • Luana Martins Golin Universidade Metodista de São Paulo (UMESP)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-4765.rus.2021.181457

Palavras-chave:

Fiódor Dostoiévski, Mal, Niilismo, Os demônios, Morte

Resumo

Os temas do mal e do niilismo são recorrentes na obra dostoievskiana. Contudo, em Os demônios (1871), o próprio título e a epígrafe da obra já sugerem, de maneira mais explícita, o caráter do demoníaco nas ações das personagens. O suicídio, o assassinato, a violação, a morte, o caos, a censura, a falta de liberdade e a destruição são elementos presentes e atuantes na narrativa. Esse artigo buscou aproximar o olhar sobre as forças e o movimento do mal, cujo fim é a falta de sentido, o nada.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Martins Golin, Universidade Metodista de São Paulo (UMESP)

Teóloga, mestra e doutora em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Professora da Faculdade de Teologia da UMESP. Professora do curso de pós-graduação em Religião e Cultura, do Centro Universitário Assunção (UNIFAI). Pesquisa doutoral interdisciplinar nas áreas de religião e literatura em Dostoiévski.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. “Formas de Tempo e de Cronotopo no Romance (Ensaios de poética histórica)”. In: Questões de Literatura e Estética (A Teoria do Romance). Equipe de tradução (do russo): Aurora Fornoni Bernardini, José Pereira Júnior, Augusto Góes Júnior, Helena Spryndis Nazário, Homero Freitas de Andrade. 6ª Ed. São Paulo: Hucitec, 2012, p. 211-362.

BERDIAEFF, Nicolas. El cristianismo y el problema del comunismo. Tradução de María de Cardona. 7ª ed. Buenos Aires - Argentina: Espasa-Calpe, 1953. Colección Austral.

BEZERRA, Paulo. Posfácio: “Um romance profecia”. In: DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Os Demônios. Trad. de Paulo Bezerra e desenhos de Claudio Mubarac. São Paulo: Editora 34, 2004. p. 693.

BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução de João Ferreira de Almeida. 2 ed. Edição revista e atualizada. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 1993.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. O Idiota. Tradução de Paulo Bezerra e desenhos de Oswaldo Goeldi. São Paulo: Editora 34, 2002. Coleção Leste. D

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Os Demônios. Trad. de Paulo Bezerra e desenhos de Claudio Mubarac. São Paulo: Editora 34, 2004.

GIRARD, René. Mentira romântica e verdade romanesca. São Paulo: É Realizações, 2009. p. 320-21. Respeito à ortografia da edição. Grifo meu.

KJETSAA, Geir. Dostoevsky and His New Testament. Slavica Norvegica III. Solum Forlag A. S.: Oslo. Humanities Press: New Jersey, 1984, p. 13-17. Tradução própria.

O PEREGRINO RUSSO: TRÊS RELATOS INÉDITOS. Tradução de M. Cecília de M. Duprat. 2ª ed. São Paulo: Paulinas, 1986. p. 35-40.

PAREYSON, Luigi. Dostoiévski: Filosofia, Romance e Experiência Religiosa. Tradução Maria Helena Nery Garcez, Sylvia Mendes Carneiro. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo (EDUSP), 2012.

PEREIRA, Ana Carolina Huguenin. “O Demônio Moderno”. In: Dostoiévski – Caderno de literatura e cultura russa. Nº 2. Organizadores: Arlete Cavaliere, Bruno Gomide, Elena Vássina e Noé Silva. Departamento de Letras Orientais (DLO) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP). São Paulo: Ateliê Editorial, 2008.

PONDÉ, Luiz Felipe. Crítica e Profecia: a filosofia da religião em Dostoiévski. São Paulo: Editora 34, 2003.

Downloads

Publicado

2021-04-29

Como Citar

Golin, L. M. (2021). O mal e o niilismo no romance “Os demônios”, de Dostoiévski. RUS (São Paulo), 12(18). https://doi.org/10.11606/issn.2317-4765.rus.2021.181457