Notas sobre Branco

Autores

  • José Fernando Peixoto Azevedo Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v17i2p436-453

Palavras-chave:

Dispositivo, Forma, Racismo

Resumo

Branco configura-se como um dispositivo de captura a determinar aspectos de sua recepção. Essa dinâmica opera por desvios e exige uma reflexão sobre as relações entre tema e forma. Trata-se de saber como o racismo informa esse material.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Fernando Peixoto Azevedo, Universidade de São Paulo

Professor Associado do Departamento de Artes Cênicas da Universidade de São Paulo, leciona História e Teoria do Teatro desde 1998. Pesquisador do CNPq A1d. Co-Editor da revista Sala Preta entre 2000 e 2010. Editor responsável a partir de 2014.

Referências

DAL FARRA, A. Branco: o cheiro do lírio e do formol. São Paulo 2017a. Mimeografado.

______. Por um teatro que coloque o mal em cena. Revista Cult, São Paulo, 15 maio 2017b. Disponível em: <https://goo.gl/EJBjX3>. Acesso em: 17 nov. 2017.

LEPECKI, A. Exaurir a dança: performance e a política do movimento. Tradução Pablo Assumpção Barros Costa. São Paulo: Annablume, 2017.

PASTA JR., J. A. Formação supressiva: constantes estruturais do romance brasileiro. Tese de livre docência – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

Downloads

Publicado

2017-12-26

Como Citar

Azevedo, J. F. P. (2017). Notas sobre Branco. Sala Preta, 17(2), 436-453. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v17i2p436-453

Edição

Seção

DOSSIÊ BRANCO